/

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Greg Baker / AFP

Richard Carapaz, ciclista do Equador, nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: “O país nunca acreditou em mim”. Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram.

Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França em bicicleta, tendo chegado a Paris no terceiro lugar da geral, Richard Carapaz voltou a subir a um pódio mas, desta vez, ocupou o lugar mais alto. Carapaz foi o vencedor da prova masculina de estrada nos Jogos Olímpicos em Tóquio.

Já com a medalha de ouro no peito, Carapaz criticou entidades do seu país natal, o Equador: “Sou um desportista quase sem apoios. O país nunca acreditou em mim. Esta medalha pertence-me e pertence às poucas pessoas que sempre me apoiaram”.

Tivemos até que procurar uma massagista, não tínhamos. Viemos sozinhos e pedimos ajuda. Foram as seleções europeias que nos deram a mão quando precisámos”, alertou o ciclista.

Palavras que deixaram em alerta o Comité Olímpico do Equador e o próprio governo do país sul-americano. O ministro do Desporto já lembrou que é o Comité Olímpico que trata de tudo que diz respeito à logística para os Jogos Olímpicos. E as coisas não foram bem planeadas.

“Vimos coisas que nos chamaram a atenção, que me preocupam e que me indignam. Compreendo as declarações do Richard Carapaz e concordo com elas. Há algumas coisas que devem ser dadas a conhecer, em relação à participação do Equador nos Jogos Olímpicos”, avisou o ministro Sabastián Palacios, que está em Tóquio a acompanhar os atletas compatriotas.

Palacios acrescentou que está indignado e justificou: “Faltam treinadores, falta uma equipa multidisciplinar junto dos desportistas. Mas o governo do Equador acredita que o desporto é uma prioridade e vai trabalhar de forma muito dura para transformar o desporto no nosso país”.

O Comité Olímpico do Equador reagiu: “Carapaz chegou a Tóquio, no dia 20 de julho, graças ao esforço deste Comité”, assegurando que a entidade tratou de tudo, na viagem do ciclista de França até ao Japão, e que garantiu tudo que seria necessário em termos de logística.

O presidente do Equador também falou sobre o assunto. Guillermo Lasso reforçou a ideia de que o governo do Equador tem como prioridade “acompanhar” os desportistas equatorianos e admitiu: “Concordamos com o Richard Carapaz e vamos trabalhar para fornecer um suporte abrangente”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE