Câmara de Lisboa vai sortear casas a preços baixos para a classe média

A Câmara de Lisboa assina, nesta segunda-feira, um protocolo com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social que lhe vai permitir sortear vários imóveis desta entidade, para arrendamento a preços baixos, por famílias da classe média.

Estão em causa escritórios que são actualmente usados pela Segurança Social, em edifícios nas freguesias do Areeiro, Avenidas Novas, Alvalade e Santo António, em Lisboa, que vão ser transformados em casas de habitação com rendas a preços baixos.

A TSF nota que as habitações serão arrendadas por valores entre os 200 e os 600 euros a pessoas da classe média. A atribuição das casas será feita por sorteio, como explica o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, à estação.

“As famílias terão de ter uma taxa de esforço com a renda que não ultrapasse os 30%, ou seja, mensalmente o valor da renda não deve ultrapassar os 30% dos seus rendimentos”, para se poderem candidatar ao sorteio, nota a TSF.

Os imóveis ficam situados em onze prédios no centro de Lisboa que são, actualmente, utilizados pela Segurança Social. A mudança de todos os serviços da entidade para um edifício na Avenida 5 de Outubro vai deixar os prédios vazios.

Assim, o protocolo com a autarquia lisboeta visa “rentabilizar os espaços que ficarão livres, mas sem entrar em especulações imobiliárias”, como explica uma fonte da Segurança Social à TSF.

Em causa estão 250 apartamentos em dez prédios, e ainda “mais 226 quartos para estudantes numa residência na Alameda D. Afonso Henriques com 43 quartos simples e 183 duplos”, refere a mesma fonte.

Após a adaptação dos imóveis para habitação, as primeiras casas deverão ser sorteadas em 2019.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Com a sorte que o atual presidente da câmara de lisboa tem com o imobiliário (conseguiu fazer com que simultaneamente o andar que vendia inflacionasse e o que comprou desvalorizasse fortemente) estou certo que ainda lhe vão cair alguns imóveis no sapatinho.

  2. “Câmara de Lisboa vai sortear casas a preços baixos para a classe média”. Pois, porque a classe da miséria vai morar para debaixo da ponte, num vão de escada qualquer, nas arcadas de um ministério ou na entrada de uma loja… A classe média é que tem de ser protegida e abençoada, não a classe miserável… Não foi com o meu voto que estás à frente da C.M.L.

  3. Casas ao preço da uva mijona para a classe média? Não estou a perceber. Ou é para compensar essa classe que tem sido altamente prejudicada e esmifrada com impostos, ao ponto de ter quase desaparecido? Sim porque agora existe quase só a classe dos miseráveis e a classe de gente rica. Coisas do “socialismo” do senhor Medina!!!

  4. Se faz é porque faz, se não faz é porque não faz. Quanto a classe dos miseráveis, essa acaba por ter mais ajudas. Há gente da classe miserável que à conta das ajudas vive bem melhor do que quem é da classe média baixa e não tem direito a ajudas nenhumas. E se não tem dinheiro para viver em Lisboa, vive nos arredores. Como muita gente vive, não?

Responder a MF Cancelar resposta

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …

Luso-canadiano quer criar 25 murais dedicados a Amália Rodrigues

Um português a residir no Canadá pretende criar uma “aldeia global virtual” das comunidades portuguesas espalhadas nos vários cantos do mundo, um projeto que envolve a colocação de 25 murais dedicados à fadista Amália Rodrigues. “O …

MP e BdP pedem manutenção de coima a Salgado no processo da compra de ações da ESFG

O Ministério Público e o Banco de Portugal pediram, esta segunda-feira, ao Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão, que mantenha a coima de 75 mil euros aplicada ao ex-presidente do BES no processo da compra …