Cabra com mais de 400 anos encontrada mumificada numa montanha de gelo

Esercito Italiano / Comando Truppe Alpine

Caixão que transporta a múmia do local para o laboratório

Uma cabra morta há mais de 400 anos foi descoberta por um esquiador, em Val Aurina, em Itália. Hermann Oberlechner, alpinista e campeão de esqui, estava a caminhar quando encontrou algo invulgar e inesperado no meio do gelo.

“Apenas metade do corpo do animal estava coberto pela neve”, disse Oberlechner num comunicado. “A pele parecia couro, encontrava-se sem pelos. Nunca tinha visto nada assim. Imediatamente tirei uma foto e mandei para o guarda-florestal, que de seguida informou o Departamento de Património Cultural”, revelou o esquiador italiano.

Esta caso faz lembrar outras histórias de outras múmias de gelo encontradas, incluindo o famoso “Homem de Gelo” Ötzi, cujo corpo mumificado foi encontrado nos Alpes italianos em 1991. Os cientistas ficaram entusiasmados com a descoberta, e agora querem usar a múmia encontrada para perceber melhor como se deve preservar o ADN antigo, esperando assim estar melhor preparados da próxima vez que aparecer uma múmia humana de gelo.

Albert Zink, diretor do Instituto de Estudos de Múmias da Eurac Research em Itália, diz que o objetivo do estudo da múmia “é usar dados científicos para desenvolver um protocolo de conservação válido globalmente para múmias de gelo”, acrescentando ainda que “esta é a primeira vez que uma múmia de um animal é usada dessa forma”.

Para conseguirem estudar a múmia ao pormenor, a equipa da Eurac teve que a retirar das montanhas. O sítio onde a cabra estava, localizava-se a 3200 metros de altitude, numa grande montanha de gelo, revela o Life Science.

Marco Samadelli, investigador da Eurac, construiu uma caixa especial para transportar a múmia do local até ao laboratório, e que foi colocada debaixo de um helicóptero comandado por pilotos treinados para operar em grandes altitudes. A múmia foi levada para o laboratório de conservação da Eurac, onde está a ser armazenada a -5 graus.

Enquanto as múmias de gelo estiverem sepultadas em glaciares, o seu ADN está garantidamente preservado. Contudo, assim que a temperatura das múmias começa a subir, a sua informação genética nas células pode começar a deteriorar-se.

Samadelli e a sua equipa querem perceber melhor essas alterações e por isso “com análises aprofundadas repetidas, vamos verificar quais as alterações que o ADN sofre quando as condições externas mudam”, escreveu o investigador em comunicado.

Os cientistas esperam que essas informações sejam úteis, e contam que devido ao fenómeno do degelo, provavelmente irão aparecer mais corpos antigos, sendo que cada um deles deverá dar a descobrir mais sobre chaves genéticas do passado.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Festejos do Sporting. Moedas atira em Medina e acusa-o de ter falhado

Carlos Moedas acusou Fernando Medida de “incapacidade e incompetência” devido aos acontecimentos durante os festejos do Sporting, esta terça-feira à noite. O candidato à Câmara de Lisboa Carlos Moedas acusou o presidente da autarquia, Fernando Medina, …

Irão. Ex-Presidente Mahmud Ahmadinejad volta a candidatar-se para liderar o país

A televisão estatal iraniana noticiou esta quarta-feira que o antigo Presidente do país Mahmud Ahmadinejad vai candidatar-se de novo ao cargo, nas próximas eleições em junho. Imagens difundidas pela televisão estatal mostraram Ahmadinejad a dirigir-se, na …

Chanceler da Áustria investigado por corrupção

O chanceler austríaco Sebastian Kurz está a ser investigado por autoridades anticorrupção, por suspeita de ter faltado à verdade numa comissão parlamentar criada para entender o que se passou no caso "Ibizagate". O Ibizagate é um …

Deputado do BE acusado de violência doméstica desiste da candidatura autárquica

Luís Monteiro, deputado pelo Bloco de Esquerda e cabeça de lista do partido à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia nas eleições autárquicas, vai abandonar a corrida. Luís Monteiro, o deputado do Bloco de Esquerda …

Governo quer estender teletrabalho obrigatório até final de maio

Esta quarta-feira, Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, transmitiu aos parceiros sociais que o Governo pretende estender o teletrabalho obrigatório até final de maio em todo o país. O Governo deverá manter …

Injeções no Novo Banco são "dinheiro público". E "contra factos não há argumentos"

Apesar das críticas, o Tribunal de Contas mantém a sua opinião: qualquer despesa do Fundo de Resolução é despesa pública e "contra factos não há argumentos". Os responsáveis do Tribunal de Contas – José Tavares e o …

Suspeito da morte de Maëlys de Araújo condenado a 20 anos de prisão por outro homicídio

O suspeito da morte de Maëlys de Araújo foi condenado a 20 anos de prisão pela morte de um jovem militar e não pretende recorrer da sentença. Nordahl Lelandais, suspeito da morte de Maëlys de Araújo, …

SNS reforçado com profissionais contratados para combater a covid-19

O Ministério das Finanças informou esta quarta-feira que mais 2.474 profissionais poderão ser integrados no Serviço Nacional de Saúde (SNS), medida que abrangerá, sobretudo, os contratados para ajudar no combate contra a covid-19. De acordo com …

Se não reconquistar câmaras, Rio "terá dificuldade em manter-se como líder" do PSD

Paulo Cunha, conselheiro nacional do PSD e presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, disse que Rui Rio terá dificuldade em manter-se como líder do partido se não conseguir inverter a tendência de perda …

Política orçamental tem de "ser adaptada", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, defendeu que as medidas de apoio à economia criadas pelos governos em 2020 foram "corajosas", mas também "mais simples de desenhar face ao que vem agora", tendo …