Cabra com mais de 400 anos encontrada mumificada numa montanha de gelo

Esercito Italiano / Comando Truppe Alpine

Caixão que transporta a múmia do local para o laboratório

Uma cabra morta há mais de 400 anos foi descoberta por um esquiador, em Val Aurina, em Itália. Hermann Oberlechner, alpinista e campeão de esqui, estava a caminhar quando encontrou algo invulgar e inesperado no meio do gelo.

“Apenas metade do corpo do animal estava coberto pela neve”, disse Oberlechner num comunicado. “A pele parecia couro, encontrava-se sem pelos. Nunca tinha visto nada assim. Imediatamente tirei uma foto e mandei para o guarda-florestal, que de seguida informou o Departamento de Património Cultural”, revelou o esquiador italiano.

Esta caso faz lembrar outras histórias de outras múmias de gelo encontradas, incluindo o famoso “Homem de Gelo” Ötzi, cujo corpo mumificado foi encontrado nos Alpes italianos em 1991. Os cientistas ficaram entusiasmados com a descoberta, e agora querem usar a múmia encontrada para perceber melhor como se deve preservar o ADN antigo, esperando assim estar melhor preparados da próxima vez que aparecer uma múmia humana de gelo.

Albert Zink, diretor do Instituto de Estudos de Múmias da Eurac Research em Itália, diz que o objetivo do estudo da múmia “é usar dados científicos para desenvolver um protocolo de conservação válido globalmente para múmias de gelo”, acrescentando ainda que “esta é a primeira vez que uma múmia de um animal é usada dessa forma”.

Para conseguirem estudar a múmia ao pormenor, a equipa da Eurac teve que a retirar das montanhas. O sítio onde a cabra estava, localizava-se a 3200 metros de altitude, numa grande montanha de gelo, revela o Life Science.

Marco Samadelli, investigador da Eurac, construiu uma caixa especial para transportar a múmia do local até ao laboratório, e que foi colocada debaixo de um helicóptero comandado por pilotos treinados para operar em grandes altitudes. A múmia foi levada para o laboratório de conservação da Eurac, onde está a ser armazenada a -5 graus.

Enquanto as múmias de gelo estiverem sepultadas em glaciares, o seu ADN está garantidamente preservado. Contudo, assim que a temperatura das múmias começa a subir, a sua informação genética nas células pode começar a deteriorar-se.

Samadelli e a sua equipa querem perceber melhor essas alterações e por isso “com análises aprofundadas repetidas, vamos verificar quais as alterações que o ADN sofre quando as condições externas mudam”, escreveu o investigador em comunicado.

Os cientistas esperam que essas informações sejam úteis, e contam que devido ao fenómeno do degelo, provavelmente irão aparecer mais corpos antigos, sendo que cada um deles deverá dar a descobrir mais sobre chaves genéticas do passado.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …