“Desprezível”. Bulgária-Inglaterra marcado por cânticos racistas e saudações nazis

Georgi Licovski / EPA

O Bulgária-Inglaterra desta segunda-feira, no qual se disputou a qualificação para o Euro2020, ficou marcado por cânticos racistas e saudações nazis, tendo a partida que ser interrompida por duas vezes na primeira parte.

A partida, que terminaria com a Inglaterra a golear a Bulgária (6-0), foi interrompida duas vezes na primeira parte devido a cânticos racistas. A primeira paragem, conta a imprensa desportiva, aconteceu aos 28 minutos depois de se ouvirem cânticos de adeptos búlgaros.

De acordo com o jornal The Guardian, Vasil Levski, Tyrone Mings e Marcus Rashford, jogadores titulares na partida, foram chamados de “macacos” e alvo de cânticos ofensivos que terão começado ainda no aquecimento.

As seleções voltaram a jogo mas no minuto 42 houve nova interrupção: o árbitro, Ivan Bebek, e o selecionador da formação inglesa, Gareth Southgate, falaram por breves instantes, votando a volta a rolar no estádio Stadion Vasil Levski.

Bebek questionou Southgate sobre se queria levar os seus jogadores para o balneário, tendo o treinador respondido que queria chegar ao intervalo.

Durante as interrupções, o speaker chegou a pedir aos adeptos para que parassem com os cânticos, apelo que foi acatado por alguns; outros, revela o jornal Record, ignoraram o pedido e chegaram a fazer a saudação nazi enquanto o speaker falava.

Em declarações ao diário britânico, Southgate elogiou a atitude dos seus jogadores, dizendo que estes fizeram uma “declaração importante” ao decidirem continuar a jogar. “Sei que tudo que fazemos pode ser percebido como insuficiente, mas acho que fizemos uma declaração importante”, começou por dizer.

“Fizemos uma declaração importante na forma como jogamos em circunstâncias tão complicadas. Não acho que um jogo desta magnitude tenha de ser interrompido duas vezes (…)  Estou incrivelmente orgulhoso de todos os jogadores e de todos os funcionários”.

“Poderíamos ser criticados por não ir longe o suficiente, mas acho que fizemos uma grande declaração e, francamente, estávamos numa situação impossível para acertar a satisfação de todos (…) Os jogadores estavam absolutamente inflexíveis de que queriam continuar a jogar, mas também sabíamos que, se acontecesse alguma coisa na segunda parte, iríamos denunciar e sair” da partida, revelou.

https://twitter.com/brfootball/status/1183868464475148288

Capitão búlgaro falou com adeptos

O capitão da Bulgária, Ivelin Popov, foi visto numa discussão acesa com alguns adeptos perto do túnel, quando as equipas saiu para o intervalos. “Disseram-me o que fez o capitão da Bulgária no intervalo”, disse Rashford, um dos jogadores visados. “Ficar sozinho e fazer a coisa certa exige coragem e atos como esse não devem passar despercebidos”.

O treinador da seleção búlgara, Krasimir Balakov, negou as acusações de racismo, dizendo que não ouviu os cânticos e que estes alegados abusos devem ser, antes de mais, “provados”. “Não ouvi nada, o comportamento inaceitável foi dos adeptos da Inglaterra”. “Se o nosso capitão falou com os adeptos foi, provavelmente, por causa do desempenho da equipa”, afirmou, citado pela Sky Sports.

Por sua vez, Greg Clarke, presidente da Associação de Futebol, considerou que a noite desta segunda-feira foi “uma das noites mais terríveis” que já viu no futebol.

“Parecia, especialmente na primeira parte, que mal qualquer jogador negro de Inglaterra tocava na bola, surgiam insultos, cânticos sobre macacos e saudações nazi – o pior racismo que já vi num jogo”, relatou Kaveh Solhekol, repórter da Sky Sports no local.

A imprensa inglesa também condenou a atitude dos adeptos búlgaros nas capas desta terça-feira: “Nojento”, “Vergonha”, “Desprezível” e “Expulsem-nos” são alguns dos títulos que fazem as manchetes britânicas de hoje.

Entretanto, e de acordo com o Sapo 24, o Governo búlgaro pediu a demissão do presidente da União Búlgara de Futebol, Borislav Mihaylov, na sequência dos incidentes na partida.

“Depois dos incidentes de segunda-feira, o primeiro ministro [Boiko Borisov] ordenou que se cancelem todas as relações entre o Governo, incluindo as financeiras, e a União [Búlgara de Futebol], até que o presidente apresente a demissão”, declarou o ministro do desporto, Krasen Kralev, à televisão Nova TV.

A UEFA não fez ainda quaisquer comentários sobre os incidentes em Sófia.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Mas.. mas..

    E a Beyonce a fazer a saudação racista black power, em plena superbowl para milhões de americanos??
    (E isso ser visto como um acto de coragem)

    Os activistas africanos que usam e usaram essa saudação,não andavam propriamente a apregoar beijos e abraços à comunidade branca.
    A maioria apelam à morte de todos os brancos, incluindo bebes brancos..

    Mas pois é, só os brancos podem ser racistas..
    Estava-me a esquecer..

  2. Boa tarde.
    Não sei se é possível mas pergunto: a FIFA não pode tomar uma atitude p/resolver de vez estas situações?! Hoje em dia, c/as redes sociais, tudo se sabe em poucos minutos!!! Foram avisados, portanto, os que continuaram a incitar o ódio e a ofender os jogadores, fosse lá de que lado fosse, eram imediatamente identificados (para sanções posteriores) e posteriormente expulsos do estádio!!! Há gente que vê futebol e enlouquece! Assim como enlouquecem muitos na condução, na estrada… e noutras situações.

  3. Gente que não sabe estar e fazem de um jogo de futebol um meio para descarregarem toda a sua raiva e desprezo pelo próximo, existe disto por todo o lado e neste caso há que pôr essa espécie de gente fora dos estádios de uma vez por todas.

Elon Musk lança concurso para ver quem consegue bater um caracol

O multimilionário, através da sua empresa especializada em construção de túneis, lançou um concurso mundial para ver quem é capaz de bater um caracol. De acordo com o jornal Daily Mail, Elon Musk lançou um concurso …

Covid-19. Tóquio quer pagar até quatro mil euros a bares que fiquem fechados

As autoridades de Tóquio, no Japão, estão a ponderar pagar um subsídio, que pode chegar aos quatro mil euros, aos bares que se mantenham fechados para conter a propagação da covid-19 na cidade. De acordo com …

Médicos franceses detetaram primeiro caso de bebé infetado no útero

Médicos em França pensam ter identificado aquele que será o primeiro caso confirmado de um bebé infetado com covid-19 no útero materno. De acordo com o site Business Insider, a equipa médica conta que a …

17 anos depois, Estados Unidos voltam a aplicar a pena capital a nível federal

Os Estados Unidos procederam, esta terça-feira, à primeira execução federal de um prisioneiro no "corredor da morte" em 17 anos, através de uma injeção letal. Daniel Lewis Lee, 47 anos, natural de Yukon (Oklahoma), foi executado …

Com o pretexto de paz, "senhor da guerra" vai ganhando poder na República Centro-Africana

O "senhor da guerra" Ali Darassa foi pago pelo presidente da República Centro-Africana e já influenciou a demissão de um ministro numa tentativa de manter a paz no país. A República Centro-Africana é um país atormentado …

Ministério Público acusa 25 arguidos pela queda do BES

O Ministério Público deduziu acusação, esta terça-feira, contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete pessoas coletivas, no âmbito do processo sobre a queda do Universo Espírito Santo. "O Ministério Público do Departamento Central de Investigação …

Agora, até o Toyota Corolla é um crossover

O Toyota Corolla Cross é o mais recente SUV da marca japonesa. Apesar de a marca estar a reforçar a sua gama de SUV, Portugal terá de esperar mais um pouco. Na semana passada, a Toyota …

Da Escócia à Grécia, Kleon pedalou durante 48 dias para regressar a casa

Um jovem grego, "preso" na Escócia devido ao cancelamento dos voos por causa da pandemia de covid-19, decidiu pedalar durante 48 dias consecutivos para conseguir regressar a casa. De acordo com a CNN, Kleon Papadimitriou, de …

Após fugirem da Venezuela, milhares foram obrigados a regressar por causa da pandemia (mas não é assim tão fácil)

Desde 2016, quase cinco milhões de venezuelanos deixaram o país, fugindo da pobreza e dos serviços sociais e de saúde em colapso. Agora, a pandemia de covid-19 forçou-os a regressar à Venezuela - se o …

Costa defende na Hungria que Estado de direito não deve ser associado à recuperação

O primeiro-ministro defendeu, esta terça-feira, à saída de uma reunião com o seu homólogo húngaro que a questão do Estado de direito, embora "central" para Portugal, não deve ser relacionada com as negociações sobre o …