Bruno critica Marcelo e processa Ferro Rodrigues. Mesa da AG demite-se em bloco

António Cotrim / Lusa

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting

O presidente do Sporting anunciou que vai mover um processo contra o Presidente da Assembleia da República, comentadores e jornalistas por o terem “difamado e caluniado”. Entretanto, a Mesa da Assembleia-Geral do Sporting demitiu-se em bloco.

Esta quarta-feira, os elementos da Mesa da Assembleia Geral do Sporting convocaram, com “caráter de urgência”, o Conselho Diretivo e o Conselho Fiscal para uma reunião na segunda-feira que definirá o “futuro imediato do clube”.

Entretanto, já esta manhã, a Mesa da Assembleia-Geral demitiu-se em bloco, confirmou à Lusa o presidente Jaime Marta Soares. “Apelo à direção, ao senhor presidente Bruno de Carvalho, que siga este nosso exemplo, que apresente a sua demissão, e do Conselho Diretivo”, disse.

O presidente e vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) também já apresentaram a demissão. “Tendo em conta os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal, que são e sempre foram a nossa maior preocupação, apelamos a que o presidente e os restantes membros do Conselho Diretivo apresentem a sua renúncia ao cargo de forma a permitir a marcação imediata de eleições”, indicam os cinco subscritores do comunicado.

Além do presidente do CFD, Nuno Silvério Marques, e do vice-presidente, Vicente Caldeira Pires, também os membros Vítor Bizarro do Vale, Miguel Almeida Fernandes e Nuno Miguel Santos apresentaram os pedidos de demissão.

Os subscritores indicam que têm “acompanhado com preocupação os factos ocorridos e que em nada dignificam a história, a imagem e os interesses do Sporting” e que o conselho fiscal não pretende “contribuir para o problema”.

Críticas a Marcelo e processo a Ferro Rodrigues

“Não posso aceitar que a segunda figura do Estado tenha sido mais taxativo e belicista, fazendo-me uma crítica violentíssima, não tendo a mínima noção do cargo que ocupa e da sua condição de sócio do Sporting Clube de Portugal. Será por isso um dos primeiros visados nas ações cíveis que vou mover, até pela posição relevante que ocupa na sociedade”, refere Bruno de Carvalho.

Negando qualquer responsabilidade no “ato hediondo” cometido em Alcochete, o presidente do Sporting critica também a posição de Marcelo Rebelo de Sousa, acusando-o de “não ter sido taxativo” a confirmar a presença no estádio do Jamor, para a final da Taça de Portugal, uma manobra que disse lamentar e lhe permite apenas fazer “duas leituras”.

Em primeiro, que o chefe de Estado “lhe está a imputar responsabilidades”, (…) deixando instalar a dúvida“. Em segundo, que o Presidente está “disponível para aceitar que um grupo de marginais ponha em causa a realização de um evento relevante e que se ache no direito de acreditar que influencia as suas decisões”.

Contra todos os que o têm difamado – políticos, jornalistas e comentadores – Bruno de Carvalho garantiu que vai “mover ações cíveis”. As ações estender-se-ão a figuras públicas como Daniel Sampaio, José Maria Ricciardi ou Rogério Alves, os quais afirmaram que o dirigente “não tinha condições de continuar a exercer o cargo”, acrescentou.

O presidente do clube de Alvalade classificou como “terroristas” os atos cometidos na terça-feira e queixou-se do linchamento público de que tem sido alvo. “Não passa pela cabeça de ninguém que o Clube ou a SAD tivessem interesse neste tipo de atos de terrorismo contra os seus, ou outros”, disse, sublinhando que tem “lutado com todas as forças contra a violência”.

“Nunca tive qualquer tipo de ação que fosse geradora de violência como se comprova (…) pelos cinco anos na presidência do Sporting sem qualquer incidente. Lamento, por isso, que me estejam a ser imputadas responsabilidades, diretas ou indiretas, morais ou materiais desse ato absolutamente hediondo“.

Quanto ao cargo, o presidente do Sporting não deixou dúvidas: não se demite. “Neste momento, sinto-me com a mesma capacidade, força, prazer e honra em servir o clube que amo, não vendo qualquer motivo enquanto sportinguista para me afastar de um trabalho e de um rumo que está a ser seguido com sucesso nestes cinco anos”.

Bruno de Carvalho concluiu a nota com “três desejos”: “que quem cometeu este ato terrorista seja severamente punido, que quem cometeu atos criminosos contra mim seja punido e que o Sporting Clube de Portugal consiga conquistar a 17.ª Taça de Portugal”.

Ferro Rodrigues nada tem a dizer

Contactada pela Lusa, a assessoria de Ferro Rodrigues respondeu que o presidente da AR “não tem nada a dizer” sobre as declarações de hoje do presidente do Sporting.

Na quarta-feira, o presidente da Assembleia da República condenou a “situação gravíssima” de violência no treino do Sporting e apelou a “medidas sérias” da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e do Governo.

Ferro Rodrigues, em declarações no Parlamento, afirmou também que “não pode ficar impune quem deu passos” no sentido da existência de “ódio, fanatismo e corrupção” no desporto, acrescentando que o ocorrido “ofende o país”, referindo-se à “perversidade autoritária e totalitária” de dirigentes desportivos e de “alguma comunicação social fanática”.

O Presidente da AR sugeriu até que a final da Taça decorresse à porta fechada ou que fosse transferida de Lisboa para a Vila das Aves.

Segundo o Expresso, o Presidente da República e o Presidente da AR temem que a presença de Bruno de Carvalho na galeria onde também se iriam sentar as altas individualidades do Estado possa suscitar desacatos imprevisíveis.

“Imagine o que seria se adeptos começassem a mandar objetos para a bancada de honra em protesto contra o presidente do clube. As duas figuras cimeiras do Estado não podem sujeitar-se a isso”, explicou ao semanário fonte que está a acompanhar o processo.

José Sena Goulão / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa e Ferro Rodrigues

Não há pedidos de rescisão nem suspensões

Esta quarta-feira, a Sporting SAD comunicou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que não há suspensão ou rescisão com qualquer elemento da equipa técnica, nem pedidos de rescisão de contratos de futebolistas.

“Não há qualquer suspensão ou rescisão do vínculo laboral de qualquer dos elementos da equipa técnica do plantel principal de futebol profissional. Não foi manifestada qualquer intenção de rescisão dos contratos de trabalho por parte de qualquer jogador da equipa principal de futebol profissional”, diz a nota da Sporting SAD, em dois pontos distintos.

Os leões responderam assim a uma solicitação da CMVM, que pediu esclarecimentos sobre as notícias dos últimos dias, no sentido de avaliar a necessidade de a SAD leonina dar explicações ao mercado.

Autoridade Nacional contra a Violência no Desporto

Na sequência destes incidentes, o primeiro-ministro anunciou a criação de uma autoridade nacional contra a violência no desporto. “É claro agora que é necessário reforçar as medidas e, designadamente, avançar para uma autoridade nacional contra a violência no desporto, que permita agir nestas situações, e não só naquelas em que a lei permite às autoridades administrativas agir”, avançou.

À saída da reunião do Partido Socialista Europeu, em Sófia (Bulgária), António Costa confirmou que vai propor esta autoridade nacional para fazer face ao crescendo de violência “absolutamente intolerável” no desporto português.

Esta quinta-feira, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto recordou que o Governo está a preparar uma alteração à lei da violência no desporto. João Paulo Rebelo reagia assim a uma notícia do Público, que sublinha que o Executivo está há mais de um ano a “prometer medidas que nunca saíram da gaveta“.

“O que aconteceu em abril do ano passado, na sequência de alguns episódios de violência que envolviam árbitros, foi que o Governo reuniu um conjunto de entidades que trabalham no futebol, desafiando-os para em conjunto pensarmos medidas para a erradicação da violência no desporto”, disse.

O governo explicou que no dia 21 de dezembro de 2017 teve a oportunidade de partilhar com o Conselho Nacional de Desporto a intenção que o Governo tinha, depois de feita uma avaliação à atual lei da violência, de fazer uma alteração a essa lei”.

“Em abril deste ano e não em abril do ano passado, anunciei na Assembleia da República que o Governo estava a preparar uma alteração à lei da violência. Esta proposta de lei passará anteriormente em Conselho de Ministros, mas como o senhor primeiro-ministro já disse, para a semana teremos muitas notícias sobre este assunto”, sintetizou.

O secretário de Estado voltou a repudiar os “terríveis incidentes” de terça-feira e explicou que, neste momento, o Governo está a direcionar toda a concentração para “criar todas as condições para que domingo possa decorrer a final da Taça de Portugal”.

O governante garantiu ainda que tenciona estar na final, assim como António Costa. “Naturalmente, estarei lá com muito gosto”, disse o primeiro-ministro, em declarações aos jornalistas à margem da Cimeira União Europeia-Balcãs.

“O meu desejo, que penso que é o desejo de todos, é que haja condições para que no Jamor se possa realizar com total normalidade a final da taça. Se forem necessárias outras medidas, há uma panóplia de várias outras medidas como a mudança de local, se isso for adequado às condições de segurança, a realização sem acesso do público, há várias possibilidades”, sustentou.

“Não sendo adepto de nenhum dos clubes, seria para mim uma enorme tristeza que a final da Taça não tivesse lugar no local próprio, no dia próprio, à hora própria, com as equipas que ganharam o direito de estar presentes na final da Taça”, afirmou.

Entretanto, de acordo com o Diário de Notícias, o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, já revelou que o clube pediu para não ser recebido nos Paços do Concelho caso conquiste a Taça de Portugal.

Hugo Delgado / Lusa

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting

Agressões em Alcochete

Na terça-feira, cerca de 50 pessoas, de cara tapada, alegadamente adeptos leoninos, invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic, o treinador Jorge Jesus e outros membros da equipa técnica.

Na sequência da invasão à Academia leonina, a GNR deteve 23 suspeitos, apreendeu cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolheu depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

Os detidos foram já identificados, ficaram a conhecer os factos que lhe são imputados e vão começar hoje a ser ouvidos por um juiz de instrução criminal no Tribunal do Barreiro.

O Ministério Público disse na quarta-feira que os detidos pelas agressões a futebolistas do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, e terrorismo, entre outros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. … “o Presidente da República e o Presidente da AR temem que a presença de Bruno de Carvalho na galeria onde também se iriam sentar as altas individualidades do Estado possa suscitar desacatos imprevisíveis.
    “Imagine o que seria se adeptos começassem a mandar objetos para a bancada de honra em protesto contra o presidente do clube. As duas figuras cimeiras do Estado não podem sujeitar-se a isso””
    Simples e fácil de concretizar: quem não tem de sentar-se na tribuna presidencial é BdC e não o Chefe de Estado e Presidente da A.R. terem de mudar de lugar…

  2. Muito bem esta resposta do Bruno de Carvalho. O Marcelo Rebelo de Sousa é um palerma, o presidente do beijinho no dói-dói, Maria vai com todas, não tinha nada que dizer aquelas palermices que disse. O Ferro Rodrigues então foi de vomitar. O Sporting foi o unico clube a suspender sócios, e BdC disse o que tinha de ser dito, que nao teve qualquer responsabilidade no que aconteceu, e que o que aconteceu foi um acto de terrorismo contra os seus

    • O problema é ainda com os 50 “jhiadistas” encapuzados, que se julga não tenham recebido o combinado e desta vez procurem investir contra quem se diz “representar” o clube, antes deste entrar em extinção.

  3. Aguardemos pelos próximos capítulos! Muita coisa se vai saber, não só no que respeita ao futebol mas à corrupção a todos os níveis. Um país ao Deus dará, onde o povão é que mais ordena. E os políticos e mafiosos quem mais ordenha. Em 1974 a maioria das pessoas não sabiam o que tinha sido a bagunçada da 1ª. república e acreditaram na corja que aí vinha. Isto não tem ponta por onde se lhe pegue!!

    • Um Portugal pobre, esmagado…pequenino ! Com esta classe política, o país e todos nós, estamos “fodricados”.

  4. “Nunca tive qualquer tipo de ação que fosse geradora de violência como se comprova (…) pelos cinco anos na presidência do Sporting sem qualquer incidente”. Pois claro! Se ignorarmos todas as acções geradoras de violência (e não foram poucas…) do BdC, é totalmente verdade! Só que não é possível!… Nem toda a gente usa palas nos olhos…

  5. O Presidente da Assembleia da República nunca se refere ao BdC!!! Refere-se ao estado actual do futebol (que anda muito mal e não é só para os lados de Alvalade). O BdC achou que o Sporting foi difamado… Onde? Quando? Ah… Já sei! Sempre que o BdC abre a boca, suja a glória e a credibilidade da grande instituição que é o Sporting! Não é possível maior difamação! Talvez o sócio BdC devesse processar o Presidente BdC (esta foi baseada numa entrevista de 2016 a este “senhor”)… Este “senhor” diz-se preocupar-se com o Sporting mas, no entanto, preocupa-se com ele e o seu poder… Infelizmente, graças a este “senhor” o verde está a ficar acastanhado… Que venha alguém (que ame verdadeiramente o Sporting) e salve o Leão! Alguém que também tenha toma…ts para pôr em ordem essa organização criminosa que se auto-intitula (erradamente) de claque… de sócios! Já agora!… Que se ilegalize qualquer claque organizada de futebol (e de outras modalidades desportivas profissonais)! nada de bom vem dessa “gente”, seja qual fôr a côr!!!

  6. Este doente Bruno de Carvalho, tanto se batia pela legalização de claques. Tinha razão: quando precisou da sua, pediu-lhe para praticar uma ato terrorrista dos mais miseráveis que houve no futebol português.

  7. O menino mimado e birrento só tem que ir para casa, a atitude ao realizar reuniões com equipa técnica e jogadores foi o mesmo que dizer a alguém folgado e sem responsabilidades para com a vida, a praticar acções de rebeldia. Portanto é o responsável máximo por tudo o que corre de mal.

  8. No Futebol e em especial na 1ª Divisão, nunca houve pessoas de bem, e ainda tem direito ao perdão de divida de vários milhares de euros, e tempo de antena nos média ao ponto da saturação.
    10 estádios de Futebol para que???.
    Estes senhores deviam ser como qualquer contribuinte, pagar as seus impostos e viver a custa das bilheteiras. nada de apoios a custa de todos nós.

  9. Este rapazote Bruno de Carvalho disse em 2017 que se este ano não ganhasse o campeonato que se demitia. Então, de que está à espera ?

  10. duas alternativas ao terrorismo de bruninho…… ou a justiça o coloca numa cela sem cntacto com o exterior e sem hipoteses de arregimentar os seus incondicionais aliados…… ou os adeptos constroem uma jaula em alvalade para poder ser visitado pelos amigalhaços.
    depois do que aconteceu durante mais de um ano com a aliança dragolagartos é provavel que o jmarques e o saraiva possam fazer parte da elite de honra àjaula do bruno com direito a um vaucher de permanencia diaria. jesus o eterno braço direito,o podera ficar numa jaula mais aberta e cm direito a deslocaçoes à terrinha para ver os familiares…. ao lado da jaula podem erigir uma estatua ao patrono deste descalabro edificante pc e um tal de pp abraçados a torre dos clerigos

RESPONDER

Polícias de elite da PSP convocados para trabalhar nas obras

Operacionais da Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP estão a ser chamados para colaborarem como voluntários nas obras de remodelação da messe localizada na Quinta das Águas Livres, em Belas, Sintra. Segundo o Correio da …

Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados …

Ex-diretor da CIA admite recorrer à Justiça contra Donald Trump

O ex-diretor da CIA John Brennan admitiu neste domingo recorrer à Justiça, depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe ter cancelado o acesso a informação confidencial e à Casa Branca. “Se esse é …

Trabalhadores da CGD em greve contra a perda de privilégios

O novo Acordo de Empresa que a Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pretende implementar está a gerar revolta entre os trabalhadores e já levou à convocação de uma greve para sexta-feira, 24 de …

Asia Argento terá pago a jovem ator que a acusou de assédio sexual

A atriz e realizadora italiana terá pago 380 mil dólares para silenciar um jovem ator e músico que a acusa de assédio sexual quando tinha apenas 17 anos. Asia Argento foi uma das primeiras mulheres da …

Governo está a preparar descida dos impostos e aumento das pensões

São cinco as prioridades do Governo para o próximo Orçamento do Estado, segundo revela Marques Mendes no seu habitual espaço de comentário na SIC, nomeando o aumento das pensões, o alívio no IRS, a descida …

Bomba que matou 40 crianças no Iémen foi vendida pelos EUA em 2015

A bomba que matou de 40 crianças num autocarro escolar no Iémen, a 9 de agosto, foi fabricada pelos Estados Unidos e vendida à Arábia Saudita em 2015. De acordo com a CNN, que avança …

GNR "desfalcada" devido à transferência de mil militares para os incêndios

Nos últimos meses, mais de mil militares da GNR foram "reconvertidos" em bombeiros especialistas, membros do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), que atuam no combate a incêndios. Com esta alocação, a situação …

Em 17 anos, o número de inspetores na educação caiu 41%

Entre 2001 e 2017, o número de inspetores a Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) passou de 304 funcionários a exercer essas funções para 179, registando assim uma queda de 41%. O Sindicato dos Inspetores da …

Mais de 400 mortos nas inundações em Kerala, no sul da Índia

Mais de 400 pessoas morreram na sequência das inundações que atingiram Kerala, na Índia, as mais graves em 100 anos naquele estado do sul do país, de acordo com um balanço feito nesta segunda-feira pelas …