“Não escolhemos o Brexit”. Macron não aceita acordo que prejudique pesca (mas Boris quer controlar as suas águas)

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson alertou na sexta-feira o país para se preparar para um colapso das negociações comerciais com a União Europeia e para um Brexit com medidas mais duras e sem acordo até ao final do ano. No centro da discussão está a atividade piscatória.

Boris Johnson garante que mesmo com a saída do Reino Unido da União Europeia, a instituição quer continuar a “controlar a liberdade legislativa do país, sobretudo no que diz respeito à pesca, de uma forma que é obviamente inaceitável para um país independente como o nosso”, referiu na passada sexta-feira.

A pesca sempre foi um dos maiores obstáculos para um acordo pós-Brexit entre a UE e o Reino Unido. Perante estas afirmações, o principal negociador da UE, Michel Barnier, disse que não haveria acordo comercial geral sobre a saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo “justo e sustentável” sobre a pesca.

Brexit espalha o “caos” em França

Esta situação já está a preocupar o presidente francês Emmanuel Macron que insistiu que os franceses não devem perder os seus direitos de extrair cavala do Canal da Mancha. “Sob nenhuma circinstância, o nosso setor da pesca deverá ser prejudicado pela saída do Reino Unido da Europa. Não escolhemos o Brexit, é uma escolha dos britânicos”, referiu Macron em entrevista à rádio francesa RFI

O presidente de França acrescenta ainda que caso a Grã-Bretanha não permita pescadores franceses nas suas águas, a União Europeia não terá outra opção senão bloquear o fornecimento de energia ao país.

Segundo o The Washington Post, a pesca francesa chega a cerca de 1% do PIB, com números comparáveis na Holanda e na Dinamarca. Estes três países pertencentes à União Europeia são dependentes das águas britânicas para encher as suas redes.

Entre farpas, Macron sugeriu numa entrevista na semana passada, que permanecer firme na pesca ajudaria Boris Johnson a reivindicar pelo menos uma vitória parcial no caso de um resultado sem acordo. “A pesca é um tema usado taticamente pelos ingleses. Porque, no caso de não haver acordo, é o único tópico em que Johnson pode dizer que ganhou ”, disse Macron.

“Se não houver acordo, os pescadores europeus não devem ter acesso às águas do Reino Unido. Essa é a realidade”, acrescentou o presidente de França. Este problema está a causar preocupação a muitos pescadores franceses que não sabem como será o seu futuro, pois sempre pescaram em águas inglesas e a sua subsistência depende disso.

“Será o caos! Teremos que parar os barcos, porque não poderemos pescar em lugar nenhum ”, disse Dimitri Rogoff, presidente do Comitê Regional de Pesca da Normandia, em declarações ao jornal francês Les Echos.

“Retomar o controlo”

Mas esta luta pelas águas inglesas não é de agora. Em 2016, durante a campanha de Boris Johnson para o Brexit, o futuro primeiro-ministro despertou o interesse dos britânicos com a ideia de que os vizinhos europeus estavam a pescar nas suas águas de forma abusiva.

Simon Usherwood, professor de política da Universidade de Surrey, garante que esta postura do atual primeiro-ministro inglês fez com que a pesca passasse a desempenhar um papel de destaque nas negociações do Brexit. “Em termos objetivos, esta é uma parte bastante importante da economia”, referiu o professor.

O slogan do Brexit “retomar o controlo” parece encaixar-se perfeitamente com esta nova conduta dos ingleses, em que querem um controlo unilateral de quem pode pescar nas suas águas. Contudo, a gestão da pesca é uma negociação global.

Apesar de toda esta preocupação em torno da atividade piscatória, a verdade é que a maioria do peixe pescado nas águas britânicas não é consumido pelos ingleses, pois têm como destino França e Espanha, onde há uma grande procura pelas espécies que circulam em águas britânicas. Enquanto isso, os britânicos preferem comer camarões, que também vêm do exterior.

ZAP ZAP //

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Dezenas de corpos de vítimas de covid-19 encontrados nas margens do rio Ganges

Ciclone Tauktae faz pelo menos 33 mortos na Índia (e paralisa vacinação contra covid-19)

Pelo menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas devido ao impacto do ciclone Tauktae, que atingiu esta terça-feira a Índia, país que registou o maior número de mortes diárias provocadas pela covid-19 no …

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Cientistas criaram dispositivos que permitem detetar infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 num segundo ou em menos de 30 minutos, conforme a técnica usada, revelam dois estudos distintos divulgados esta terça-feira na imprensa da especialidade. Investigadores das …

CP está a vender bilhetes com 80% de desconto

A CP tem uma nova campanha, que entra em vigor esta terça-feira, através da qual disponibiliza cerca de 17.920 viagens com descontos até 80% nos comboios intercidades. De acordo com o jornal Público, os bilhetes abrangidos …

Mais de 40 pessoas, quase todas crianças, no hospital de Beja com vómitos

Um total de 35 crianças e seis adultos oriundos de diversas escolas do concelho de Beja deram esta terça-feira entrada no Hospital José Joaquim Fernandes, naquela cidade alentejana. A notícia foi avançada por fonte hospitalar, que …

Novo Banco. "Não era um banco bom, foi preciso fazer dele um bom banco", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, afirmou esta terça-feira que o Novo Banco “não era um banco bom” e “foi preciso fazer dele um bom banco”, recordando o “legado do BES” que marca …

Ensino superior com vagas especiais para lusodescendentes

O Governo alargou o contingente especial de acesso ao ensino superior dirigido a emigrantes e seus familiares permitindo que, no próximo ano letivo, se possam candidatar todos os lusodescendentes, de nacionalidade portuguesa e residentes no …

Países admitem criação de lotaria europeia do património

A ministra portuguesa da Cultura, Graça Fonseca, disse esta terça-feira que os Estados-membros da União Europeia (UE) admitem a criação de uma lotaria europeia do património, como a que arranca hoje em Portugal, para angariar …

Costa pede fim dos ataques de Israel a enclaves palestinianos

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu hoje o fim dos ataques de Israel aos enclaves palestinianos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, para que se possa regressar a um caminho em que “a paz seja …

Taxa de vacinação completa no distrito de Bragança superior à média nacional

A taxa de vacinação completa contra a covid-19 no distrito de Bragança é superior à média nacional, com 19,3% da população com duas doses, enquanto no país o valor é de 13,5%, segundo dados oficiais. A …

Praias. Regras mais apertadas e multas já a partir de amanhã

A partir desta quarta-feira, entra em vigor o decreto de lei que regula o acesso, a ocupação e a utilização das praias no contexto da pandemia. Quem não cumprir as regras está sujeito a coimas …