“Não escolhemos o Brexit”. Macron não aceita acordo que prejudique pesca (mas Boris quer controlar as suas águas)

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson alertou na sexta-feira o país para se preparar para um colapso das negociações comerciais com a União Europeia e para um Brexit com medidas mais duras e sem acordo até ao final do ano. No centro da discussão está a atividade piscatória.

Boris Johnson garante que mesmo com a saída do Reino Unido da União Europeia, a instituição quer continuar a “controlar a liberdade legislativa do país, sobretudo no que diz respeito à pesca, de uma forma que é obviamente inaceitável para um país independente como o nosso”, referiu na passada sexta-feira.

A pesca sempre foi um dos maiores obstáculos para um acordo pós-Brexit entre a UE e o Reino Unido. Perante estas afirmações, o principal negociador da UE, Michel Barnier, disse que não haveria acordo comercial geral sobre a saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo “justo e sustentável” sobre a pesca.

Brexit espalha o “caos” em França

Esta situação já está a preocupar o presidente francês Emmanuel Macron que insistiu que os franceses não devem perder os seus direitos de extrair cavala do Canal da Mancha. “Sob nenhuma circinstância, o nosso setor da pesca deverá ser prejudicado pela saída do Reino Unido da Europa. Não escolhemos o Brexit, é uma escolha dos britânicos”, referiu Macron em entrevista à rádio francesa RFI

O presidente de França acrescenta ainda que caso a Grã-Bretanha não permita pescadores franceses nas suas águas, a União Europeia não terá outra opção senão bloquear o fornecimento de energia ao país.

Segundo o The Washington Post, a pesca francesa chega a cerca de 1% do PIB, com números comparáveis na Holanda e na Dinamarca. Estes três países pertencentes à União Europeia são dependentes das águas britânicas para encher as suas redes.

Entre farpas, Macron sugeriu numa entrevista na semana passada, que permanecer firme na pesca ajudaria Boris Johnson a reivindicar pelo menos uma vitória parcial no caso de um resultado sem acordo. “A pesca é um tema usado taticamente pelos ingleses. Porque, no caso de não haver acordo, é o único tópico em que Johnson pode dizer que ganhou ”, disse Macron.

“Se não houver acordo, os pescadores europeus não devem ter acesso às águas do Reino Unido. Essa é a realidade”, acrescentou o presidente de França. Este problema está a causar preocupação a muitos pescadores franceses que não sabem como será o seu futuro, pois sempre pescaram em águas inglesas e a sua subsistência depende disso.

“Será o caos! Teremos que parar os barcos, porque não poderemos pescar em lugar nenhum ”, disse Dimitri Rogoff, presidente do Comitê Regional de Pesca da Normandia, em declarações ao jornal francês Les Echos.

“Retomar o controlo”

Mas esta luta pelas águas inglesas não é de agora. Em 2016, durante a campanha de Boris Johnson para o Brexit, o futuro primeiro-ministro despertou o interesse dos britânicos com a ideia de que os vizinhos europeus estavam a pescar nas suas águas de forma abusiva.

Simon Usherwood, professor de política da Universidade de Surrey, garante que esta postura do atual primeiro-ministro inglês fez com que a pesca passasse a desempenhar um papel de destaque nas negociações do Brexit. “Em termos objetivos, esta é uma parte bastante importante da economia”, referiu o professor.

O slogan do Brexit “retomar o controlo” parece encaixar-se perfeitamente com esta nova conduta dos ingleses, em que querem um controlo unilateral de quem pode pescar nas suas águas. Contudo, a gestão da pesca é uma negociação global.

Apesar de toda esta preocupação em torno da atividade piscatória, a verdade é que a maioria do peixe pescado nas águas britânicas não é consumido pelos ingleses, pois têm como destino França e Espanha, onde há uma grande procura pelas espécies que circulam em águas britânicas. Enquanto isso, os britânicos preferem comer camarões, que também vêm do exterior.

ZAP //

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …