Brasil vai criar de banco de dados genéticos de 100 mil pessoas

José Dias / PR

O ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello

O Ministério da Saúde do Brasil lançou na quarta-feira um programa de medicina de precisão, através da criação de um banco de dados com 100 mil genomas de brasileiros para tentar antecipar o diagnóstico de doenças.

Denominado “Genomas Brasil”, o programa visa aperfeiçoar o entendimento das variações genéticas típicas da população brasileira, possibilitando, futuramente, o acesso a tratamentos personalizados no Sistema Único de Saúde (SUS), noticiou a agência Lusa.

Segundo a tutela da Saúde, será assim possível identificar a suscetibilidades de indivíduos em desenvolver determinadas doenças antes dos primeiros sintomas. O investimento previsto para os primeiros quatro anos é de 600 milhões de reais (91,4 milhões de euros, no câmbio atual).

“O programa Genomas Brasil representa um grande avanço no diagnóstico, na prevenção e no tratamento de doenças. Essa iniciativa vai mudar a medicina realizada hoje no país e vai trazer precisão ao tratamento dos brasileiros. É o primeiro grande passo para o Brasil entrar na elite da área de terapia avançada da genómica no mundo”, destacou o Presidente, Jair Bolsonaro, na cerimónia de lançamento, em Brasília.

Nos próximos quatro anos, a principal meta é a criação de um banco de dados com 100 mil genomas completos. O banco de dados sequenciará genes de portadores de doenças raras, cardíacas, cancro e doenças infetocontagiosas, como a covid-19, enfermidades escolhidas devido ao elevado número de casos no país e pelos altos custos que geram ao SUS.

“Estamos efetivamente focados em construir o maior banco de sequências genéticas do mundo (…) Isso vai dar-nos capacidade de medicina de precisão. Nós precisamos de dar o remédio certo, na dose certa e personalizado à população. Com esta medida estamos a procurar fazer a saúde que o brasileiro merece no futuro”, frisou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O ministro disse ainda que está em estudo uma parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro, além de outras instituições de ensino e empresas privadas. A iniciativa contará com a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES), que apoiará o projeto na atração e regulação de recursos privados para o programa.

O Ministério da Saúde informou que o projeto é inspirado no 100.000 Genomas do Reino Unido, iniciado em 2012.

De acordo com o executivo brasileiro, a medicina de precisão torna mais exato o diagnóstico de doenças, ao utilizar dados genéticos dos cidadãos, permitindo a personalização do tratamento, e tornando todo o processo “mais seguro e eficaz”.

Neste setor da medicina é possível observar e compreender o comportamento das doenças, para que, a longo prazo, o melhor tratamento ou até mesmo a cura de algumas dessas enfermidades possa ser alcançada.

No Brasil, a população possui uma das maiores miscigenações no mundo, já que é caracterizada por uma grande diversidade étnica.

“Nesse contexto, o Programa Genomas Brasil propõe-se explorar as especificidades genéticas da população brasileira, composta por fragmentos de diferentes genomas subcontinentais (europeu, ameríndio, africano e asiático), para garantir o acesso à saúde de precisão”, concluiu o Ministério da Saúde.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Liveblog Autárquicas. Poderá ser "a primeira vez que um partido ganha três vezes seguidas"

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Alemanha: Sociais-democratas reclamam vitória (com "desastre" para os conservadores)

Os sociais-democratas SPD reivindicaram hoje vitória nas eleições parlamentares alemãs, numa altura em que os conservadores da CDU, força política de Angela Merkel, se aproximam de uma votação mínima histórica, de acordo com as primeiras …

Em 2018, cientistas de Wuhan terão planeado infetar morcegos com coronavírus

Em 2018, um grupo de cientistas da cidade chinesa de Wuhan, onde foi registado o primeiro caso de covid-19, estaria a planear infetar, com coronavírus modificados, morcegos que vivem em cavernas. Os cientistas terão pedido 14 …

Este batom foi lançado em 1971, mas está esgotado - e é mais uma prova do impacto económico do TikTok

O Black Honey da Clinique é o mais recente produto de maquilhagem a bombar no TikTok. Muitas marcas estão a notar o poder económico que em ser viral na aplicação e estão a tentar promover …

Portugal regista mais duas mortes e 599 casos de covid-19

Nas últimas 24 horas registaram-se mais duas mortes e 599 novos casos de covid-19 em Portugal, de acordo com o boletim epidemiológico da DGS. Portugal regista hoje duas mortes atribuídas à covid-19, assim como 599 novos …

Em 2021, Sochi voltou a ser Sochi e em Sochi ganha a Mercedes – com recorde histórico para Hamilton

Lando Norris, o jovem piloto da Mclaren, vai sair da Rússia com um misto de sensações. No fim-de-semana em que conquista a primeira pole position da carreira, perde também, de forma dramática, a hipótese de …

As pessoas que comem mais gordura láctea têm menor risco de doença cardíaca

As pessoas que fazem uma dieta com maior teor de gordura láctea têm um menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares, revela um novo estudo. Uma equipa internacional de cientistas estudou o consumo de gordura láctea de …

Alaphilippe revalida título de campeão mundial de fundo

O francês Julian Alaphilippe revalidou neste domingo o título de campeão mundial de fundo, ao cortar isolado a meta no final da “prova rainha” dos Mundiais de ciclismo de estrada, que decorreram na região belga …

Do céu ao inferno. Adeptos do Palmeiras chamam "arrogante" a Abel Ferreira

O Palmeiras perdeu e está cada vez mais longe da liderança do Brasileirão. Os adeptos estão insatisfeitos com as exibições e chamaram "arrogante" a Abel Ferreira. O Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira, perdeu na deslocação …

Mesmo depois da morte de Ihor, centro do aeroporto ainda tem videovigilância "muito limitada"

Um ano e meio após a morte de Ihor Homeniuk, o centro de instalação temporária do aeroporto de Lisboa (CIT) continua sem cobertura total de câmaras de videovigilância em zonas comuns. A situação atual distancia-se daquilo …