Bragança. PJ deteve dois médicos e sete agentes funerários

1

Tiago Henrique Marques / Lusa

A Polícia Judiciária (PJ), através do Departamento de Investigação Criminal de Vila Real, com a colaboração da Diretoria do Norte, deteve esta segunda-feira dois médicos e sete agentes funerários numa operação realizada em várias localidades de Bragança.

Segundo avançou o Expresso, foram realizadas 29 buscas domiciliárias e não domiciliárias e detidas nove pessoas (seis homens e três mulheres), com idades entre os 38 e os 67 anos, suspeitos de crimes de recebimento indevido de vantagem, corrupção, falsificação de documento e falsidade informática.

A Operação Rigor Mortis, baseada num inquérito do Ministério Público – DIAP do Porto, investigou médicos suspeitos de emitir e entregar a agentes funerários certificados de óbito e guias de transporte de cadáveres, sem praticarem os atos médicos que lhes competia legalmente e mediante contrapartida financeira.

  ZAP //

1 Comment

  1. O Joaquim morreu. Foi-lhe feito um funeral. Mas está vivo.
    A Maria Joaquina faleceu. Houve funeral. Porém, está viva.

    Morri, mas estou vivo. A sério?? Que situação ridícula!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.