Mais uma baixa no Governo britânico. Boris Johnson demitiu-se

BackBoris2012 / Flickr

O mayor de Londres, Boris Johnson

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico anunciou a sua demissão, horas depois da demissão do ministro para o Brexit.

“Esta tarde, a primeira-ministra aceitou a demissão de Boris Johnson como ministro dos Negócios Estrangeiros. O seu substituto será anunciado em breve. A primeira-ministra agradece a Boris pelo seu trabalho”, disse um porta-voz.

A demissão de Boris Johnson, que ainda não tornou públicas as suas razões, aumenta a pressão sobre a primeira-ministra, Theresa May, alvo de críticas de alguns deputados a favor de um divórcio mais radical com a UE.

Na sexta-feira, o Governo anunciou ter chegado a consenso sobre uma proposta de criar uma zona de comércio livre entre o Reino Unido e a UE ao aderir às regras europeias.

Hoje, o antigo líder do partido eurocético UKIP, Nigel Farage, tinha desafiado através do Twitter aquele que foi um dos mais destacados defensores da saída do Reino Unido da UE.

“Boris Johnson agora tem a oportunidade de salvar o Brexit, ele será um herói se se afastar da traição da confiança dos eleitores”, afirmou, ao denunciar o acordo como uma deslealdade para com os eleitores que votaram o Brexit.

David Davis havia invocado discordar com o plano revelado na sexta-feira, referindo que deixa o país “na melhor das hipóteses, numa posição de negociação fraca, e possivelmente inaceitável”.

O secretário de Estado para a Saída da UE, Steve Baker, também apresentou a sua demissão, assim como Suella Braverman, na sequência da saída de Davis, entretanto substituído por Dominic Raab.

A primeira-ministra tinha previsto para esta tarde uma intervenção no Parlamento a propósito dos planos apresentados na sexta-feira, seguindo por uma reunião com os deputados do partido conservador.

Se 48 deputados formalizarem o seu descontentamento, May poderá ser alvo de uma moção de censura dentro do partido.

Em reação à demissão de Davis, May lamentou a sua saída a “apenas 8 meses da data estabelecida na lei” para o Reino Unido abandonar a União Europeia. A primeira-ministra disse ainda não concordar com a descrição de Davis sobre o acordo alcançado em Chequers, na casa de campo da chefe do executivo britânico.

A lei que oficializa a saída da União Europeia revoga a lei de adesão do Reino Unido à Comunidade Europeia em 1973, e transfere as normas europeias para o direito britânico, facilitando assim o Brexit. A mesma lei determina que essa saída vai acontecer dentro de 276 dias, a 29 de Março de 2019.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Professores regressam à greve ao trabalho extraordinário

A paralisação poderá comprometer as avaliações intercalares dos alunos, alertam os sindicatos que pedem o cumprimento do horário de 35 horas semanais. A greve dos professores ao trabalho extraordinário regressa esta segunda-feira às escolas, sem data …

Caos na Síria. Bombardeamentos turcos levam à fuga de centenas de militantes do Daesh presos

Cerca de 800 militantes do Daesh fugiram neste domingo da prisão de Ain Issa, de acordo com a administração autónoma curda, que acusa a Turquia de ter dado “cobertura aérea” para que a fuga fosse …

Supremo Tribunal espanhol reativa mandado de detenção europeu contra Puigdemont

Um juiz do Supremo Tribunal de Justiça espanhol, Pablo Llarena, aceitou o pedido do Ministério Público e reativou o mandado de detenção europeu para a extradição de Carles Puigdemont. O ex-Presidente do governo regional da Catalunha …

A partir de agora, os saldos têm mesmo que ser saldos

Já estão em vigor as alterações à lei relativa aos saldos e promoções. As novas normas definem que um produto vendido em saldo ou promoção não pode ter um preço mais alto do que o …

Marcelo Rebelo de Sousa critica "instrumentalização do medo" pelo poder

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje haver demasiados poderes com medo que o medo acabe, considerando a "instrumentalização do medo" para acorrentar os outros como um problema na ordem do dia. “Há …

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …