Boris afasta (para já) eleições antecipadas, mas recusa novo adiamento do Brexit

Neil Hall / EPA

A aprovação de legislação que force um novo adiamento do Brexit seria “cortar as pernas” ao Governo, afirmou esta segunda-feira o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, numa declaração à porta de Downing Street, em que afastou, para já, a possibilidade de eleições antecipadas.

 

“Se há algo que pode travar-nos nessas negociações, é a sensação em Bruxelas de que os deputados podem encontrar uma maneira de cancelar o referendo, ou que amanhã os deputados vão votar em Jeremy Corbyn [líder da oposição] a favor de mais um atraso inútil”, afirmou o sucessor de Theresa May.

O apelo dirige-se sobretudo a deputados conservadores que estão envolvidos numa iniciativa para aprovar legislação que evite um Brexit sem acordo ao impor um novo adiamento até 31 de janeiro.

“Se o fizerem, vão simplesmente cortar as pernas da posição do Reino Unido e vão tornar impossível qualquer negociação adicional. Para mostrar aos nossos amigos em Bruxelas que estamos unidos no nosso objetivo, os deputados devem votar com o Governo contra Corbyn”, sublinhou, na declaração no exterior da residência oficial.

Segundo a Reuters, Boris está mesmo a ameaçar expulsar do Parlamento os deputados do seu partido que votem contra o Governo. A ameçada foi confirmada à agência por uma fonte do partido, que acrescentou que para além da expulsão imediata, os deputados rebeldes serão impedidos de se candidatarem pelos Conservadores nas próximas eleições.

“Os deputados Conservadores estão a receber uma mensagem muito simples. Se não votarem ao lado do governo na terça-feira vão destruir a margem negocial do governo e entregar o controlo do parlamento a Jeremy Corbyn”, afirmou a mesma fonte.

Boris Johnson manifestou-se “encorajado com o progresso” que diz ter sido feito nos contactos com Bruxelas desde que encontrou em funções, em julho, e que as hipóteses de alcançar um acordo de saída “aumentaram”.

“Conseguem ver o que queremos fazer, conseguem ver que temos uma visão clara para o nosso futuro relacionamento com a UE, algo que nem sempre foi o caso, e eles podem ver que estamos totalmente determinados a fortalecer a nossa posição, preparando-nos para sair, aconteça o que acontecer”, vincou.

Boris recusa novo adiamento do Brexit

O chefe do executivo britânico reiterou que não pretende pedir qualquer adiamento da data de saída do Reino Unido da União Europeia para além de 31 de outubro “em quaisquer circunstâncias”, mas também insistiu estar convicto na possibilidade de alcançar um acordo no Conselho Europeu de 17 e 18 de outubro.

“Entretanto, vamos deixar que os nossos negociadores continuem o seu trabalho sem esse tipo de espada de Dâmocles no pescoço. E sem uma eleição sem uma eleição [legislativa]. Eu não quero eleições“, garantiu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …

Virgin Galactic quer desenvolver avião comercial supersónico (que promete superar a velocidade do som)

A Virgin Galactic vai aliar-se à Rolls-Royce para criar um avião comercial supersónico, ainda mais rápido do que o mítico Concorde. A empresa de turismo espacial Virgin Galactic anunciou uma parceria com a Rolls-Royce para desenvolver …

PayPal resiste à pandemia. Volume de pagamentos cresce 30% no segundo trimestre

O volume de pagamentos através do PayPal cresceu 30% no segundo trimestre. A empresa parece resistir à pandemia de covid-19, que abalou o setor das viagens, cujos pagamentos estão muitas vezes associados a meios eletrónicos. …

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …

Invocando Sá Carneiro, Miguel Albuquerque também defende diálogo entre PSD e Chega

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu que o PSD deve dialogar com vários partidos, incluindo o Chega de André Ventura. Depois de Rui Rio admitir em entrevista à RTP que poderá vir …