Bolsonaro critica “ataques injustificados” sobre a desflorestação da Amazónia

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, considerou durante a cimeira virtual do G20, que as críticas sobre o aumento da desflorestação são “ataques injustificados” e “demagógicos” que surgem de países “menos competitivos”.

“Eu apresento factos, dados concretos, não frases demagógicas que rebaixam o debate público e prejudicam a causa que pretendem defender”, disse Jair Bolsonaro durante o discurso que realizou na cimeira do G20, sob a organização da Arábia Saudita.

O presidente brasileiro evocou, nomeadamente, a “revolução agrícola” que, segundo ele, permitiu ao país de utilizar “apenas 8% do território para o cultivo e 19% para a criação de gado”, preservando a vegetação nativa em “66% do território”.

“É com orgulho que apresento estes números e que reafirmo que trabalharmos sempre para manter um alto nível de preservação e rejeitar os ataques injustificados de países menos desenvolvidos e menos preocupados pelo desenvolvimento sustentável”, insistiu Bolsonaro.

Rotulado de cético em relação às questões climáticas, Jair Bolsonaro tem sido fortemente criticado pela comunidade internacional sobre a gestão ambiental e, nomeadamente em 2019, devido ao grande aumento de incêndios na floresta amazónica no seu primeiro ano de mandato.

Incêndios estes que continuaram a devastar a floresta tropical com 93.356 focos registados de janeiro a outubro, contra os 89.176 de 2019. A desflorestação na Amazónia voltou a subir no último mês, um aumento de 50% face à 2019, após quatro meses em queda.

Com quase 7.899 quilómetros quadrados, nos dez primeiros meses do ano, o total permanece ligeiramente inferior ao período homólogo do ano anterior (8.425). Mas este registo é largamente superior ao período pré-Bolsonaro: 4.951 quilómetros quadrados em 2018, 3.551 em 2017, 6.032 em 2016 e 2.195 em 2015.

As questões ambientais estão na base da relutância de vários países em ratificarem o acordo entre a Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e a União Europeia adotado em 2019, após 20 anos de negociação para ser criada a maior zona de comércio livre do mundo.

Na passada quinta-feira, Bolsonaro acusou a França de ser “o grande problema” para a implementação deste acordo.

“O nosso grande problema para a progressão do acordo Mercosul-União Europeia é precisamente a França. Nós fazemos todos os esforços, mas a França, defendendo os seus interesses, tornam este assunto difícil para nós”, afirmou o presidente brasileiro durante a transmissão semanal ao vivo na rede social Facebook.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Polskie Babcie", as avós que lutam pela democracia na Polónia

Um grupo de idosas polacas organiza protestos, todas as semanas, para lutar pela democracia no país, governado pelo partido de direita nacional-conservador e democrata-cristão Lei e Justiça (PiS). É hora de ponta em Varsóvia, capital da …

Cimeira Social. Jerónimo de Sousa diz que não se respondeu aos verdadeiros problemas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou este sábado, no Porto, que a Cimeira Social da União Europeia não respondeu às necessidades associadas ao emprego, à valorização dos salários e ao fim da precarização …

Babbage escreveu uma carta a Tennyson. Exigia a "correção matemática" de um poema

A perspicácia matemática de Charles Babbage levou-o a escrever uma carta ao poeta Alfred Tennyson, que exigia, de certa forma, rigor e precisão no poema The Vision Of Sin. Charles Babbage é conhecido como o pai …

Covid-19: Portugal com uma morte e 324 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje uma morte atribuída à covid-19, 324 novos casos de infeção pelo novo coronavírus e uma ligeira subida no número de internamentos em enfermaria, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o …

Roma já tem uma máquina de venda automática de pizza

A capital italiana tem agora uma máquina de venda automática que faz pizzas em apenas três minutos. Os preços variam de 4,50 aos seis euros (e as opiniões sobre esta ideia também). Raffaele Esposito, o napolitano …

Morreu Bo, o cão de água português de Barack Obama

Bo, o cão de água português que o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, adotou em 2009 morreu este domingo com 13 anos, em consequência de um cancro, anunciou o político nas redes sociais. O cão …

Futuro pós-vacinação entre reforço de dose, controlo de variantes e medicamentos

A incerteza sobre a duração da imunidade das vacinas contra a covid-19 deixa o futuro do combate à doença entre o reforço da vacinação, a monitorização de novas variantes e o desenvolvimento de terapêuticas alternativas, …

Presidente da República promulga Carta de Direitos Humanos na Era Digital

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou este sábado a Carta de Direitos Humanos na Era Digital, aprovada em abril na Assembleia da República, segundo uma nota divulgada no site da Presidência. A lei, …

Depois de 17 anos no subsolo, biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos

Biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos. O aviso é de um grupo de cientistas que alerta que, dentro de alguns dias ou semanas, as cigarras da Ninhada X vão surgir depois de 17 …

Foguetão chinês regressou à Terra (e a maior parte desintegrou-se)

Um importante segmento do foguetão chinês desintegrou-se este domingo ao reentrar na atmosfera terrestre e caiu no oceano Índico, perto das Maldivas, anunciou a agência espacial da China. "De acordo com o percurso e análise, pelas …