Bolsonaro convoca manifestação a seu favor e contra o Congresso (e gera crise no Brasil)

Justin Lane / EPA

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, está a ser duramente criticado por figuras políticas e judiciais do país, após ter partilhado vídeos, na plataforma de mensagens Whatsapp, com a convocação para uma manifestação contra o Congresso.

Segundo a imprensa local, que teve acesso aos vídeos enviados pelo chefe de Estado na terça-feira a alguns dos seus contactos pessoais no Whatsapp, a manifestação decorrerá em 15 de março e foi convocada por movimentos de direita em defesa do Governo e contra o Congresso brasileiro.

“Ele [Bolsonaro] foi chamado a lutar por nós. Ele comprou a briga por nós. Ele desafiou os poderosos por nós. Ele quase morreu por nós. Ele está enfrentando a esquerda corrupta e sanguinária por nós. Ele sofre calúnias e mentiras por fazer o melhor para nós. Ele é a nossa única esperança de dias cada vez melhores. Ele precisa de nosso apoio nas ruas”, lê-se a legenda do vídeo com quase dois minutos, onde se ouve o Hino brasileiro como música de fundo e que mostra imagens de Bolsonaro a ser esfaqueado num ato de campanha, em 2018.

“Dia 15 de março vamos mostrar a força da família brasileira. Vamos mostrar que apoiamos Bolsonaro e rejeitamos os inimigos do Brasil. Somos sim capazes, e temos um Presidente trabalhador, incansável, cristão, patriota, capaz, justo, incorruptível. Dia 15 de março, todos nas ruas apoiando Bolsonaro”, conclui um dos vídeos a que o jornal Estadão teve acesso.

Juntamente com o vídeo, Jair Bolsonaro escreveu a legenda: “15 de março. General Heleno [ministro do Gabinete de Segurança Institucional] / Bolsonaro. O Brasil é nosso, não dos políticos de sempre”.

Os vídeos, cujos conteúdos são semelhantes entre si, foi enviado a membros do Governo e contactos pessoais de Bolsonaro, como é o caso do ex-deputado Alberto Fraga, que confirmou que recebeu o vídeo.

Na semana passada, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, acusou o Congresso de “chantagear” o Governo, declarações que geraram polémica. Em causa está a dificuldade no alcance de um acordo entre o Governo e o Congresso sobre a divisão de verbas dentro do chamado Orçamento impositivo.

Contudo, Jair Bolsonaro está a ser duramente criticado pela partilha do vídeo com a convocatória para a manifestação, que, segundo o juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil Celso de Mello, pode incidir no crime de responsabilidade.

“Essa gravíssima conclamação, se realmente confirmada, revela a face sombria de um Presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato, de inequívoca hostilidade aos demais Poderes da República, traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático”, sublinhou o magistrado, em comunicado.

“O Presidente da República, qualquer que ele seja, embora possa muito, não pode tudo, pois lhe é vedado, sob pena de incidir em crime de responsabilidade, transgredir a supremacia político-jurídica da Constituição e das leis da República”, concluiu o juiz. Segundo a revista Conjur, especializada em temas jurídicos, o crime de responsabilidade está previsto pela lei do impeachment, que pode levar à destituição do chefe de Estado.

Também o ex-concorrente de Bolsoanro nas presidenciais de 2018 pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, se juntou às críticas, afirmando que “certamente” o chefe de Estado “nunca leu” a Constituição do país.

“Bolsonaro, ao que tudo indica, cometeu crime de responsabilidade previsto na Constituição que jurou respeitar, mas, certamente, nunca leu”, escreveu Haddad no Twitter.

Os ex-Presidentes da República do Brasil Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso posicionaram-se contra os atos de Bolsonaro, classificando o momento de “crise institucional de consequências gravíssimas” e de “agressão à liberdade”.

“A ser verdade, como parece, que o próprio Presidente escreveu no Twitter convocando uma manifestação contra o Congresso (a democracia) estamos com uma crise institucional de consequências gravíssimas. Calar seria concordar. Melhor gritar enquanto de tem voz, mesmo no Carnaval, com poucos ouvindo”, indicou Fernando Henrique Cardoso.

“Bolsonaro e o general Heleno estão a provocar manifestações contra a democracia, a constituição e as instituições, em mais um gesto autoritário de quem agride a liberdade e os direitos todos os dias. É urgente que o Congresso Nacional, as instituições e a sociedade se posicionem diante de mais esse ataque para defender a democracia”, frisou Lula no Twitter.

Esta manhã, sem citar diretamente o vídeo contra o Congresso, Jair Bolsonaro defendeu, nas suas redes sociais, que usa o Whatsapp para troca de mensagens de “cunho pessoal” e “qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República”.

“Tenho 35 milhões de seguidores nos meus media sociais, (Facebook, Instagram, YouTube e Twitter) onde mantenho uma intensa agenda de notícias não divulgadas por parte da imprensa tradicional. Já no Whatsapp tenho algumas poucas dezenas de amigos onde, de forma reservada, trocamos mensagens de cunho pessoal. Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República”, escreveu Bolsonaro.

— Tenho 35 milhões de seguidores em minhas mídias sociais (Facebook, Instagram, YouTube e Twitter) onde mantenho uma…

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Dois candidatos a estivadores para o Porto de Lisboa intimidados por encapuzados

 Dois candidatos a emprego numa empresa do setor da estiva foram abordados por cerca de 8 pessoas encapuzadas que se identificavam como antigos estivadores da AETPL. Na terça-feira passada, dois candidatos a emprego numa empresa do …

Russo mata a tiro cinco vizinhos por causa de barulho durante quarentena

A polícia deteve no sábado à noite um russo de 32 anos, por alegadamente atirar e matar cinco vizinhos que estavam a fazer barulho durante a quarentena. Segundo reportou no domingo o Moscow Times, o incidente …

Costa é o líder europeu que melhor nota recebe pela gestão da pandemia

O primeiro-ministro português surge no topo da confiança dos cidadãos no que se refere à resposta dada pelos Governos de Portugal, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Alemanha à crise de Covid-19. António Costa recebe …

Bill Gates alerta: "Podem surgir epidemias piores do que esta"

Bill Gates lança um novo alerta ao dizer que, no futuro, pode surgir uma epidemia pior do que a do novo coronavírus. No entanto, acredita que, nessa altura, o mundo estará mais preparado. Numa conferência do …

Banca foi além do que definiu o Governo. Marcelo diz-se motivado e tranquilo

Depois de ter estado reunido por teleconferência com representantes da banca, Marcelo Rebelo de Sousa falou aos portugueses, a partir do Palácio de Belém, para dizer que saiu com um "estado de espírito motivado por …

França prepara-se para enfrentar a pior recessão desde o pós-guerra

A pandemia da covid-19 vai provocar, este ano, em França, a maior recessão económica desde o final da Segunda Guerra Mundial em 1945, declarou o ministro da Economia francês, Bruno Le Maire. O ministro francês Bruno …

Costa designa cinco secretários de Estado para a coordenação regional do combate à pandemia

O primeiro-ministro designou cinco dos seus secretários de Estado para a coordenação da execução aos níveis local e regional das medidas de combate à pandemia da covid-19 no âmbito da declaração de estado de emergência. António …

Salvini quer igrejas abertas na Páscoa. Bispos recusam

Matteo Salvini quer que as igrejas estejam abertas ao público esta Páscoa, mas os bispos recusam e apelam à responsabilidade. O líder da extrema-direita em Itália, Matteo Salvini, defendeu este domingo que as igrejas devem estar …

Quarentena leva cada vez mais portugueses aos casinos online

Numa altura em que a maior parte da população está em quarentena, é cada vez maior o número de pessoas que aproveita a reclusão para explorar o mundo das  apostas online - e um bom …

PSD propõe alargamento do lay-off, reforço das linhas de crédito e redução do IMI

O PSD anunciou, esta segunda-feira, as propostas económicas para fazer face ao impacto do novo coronavírus. O plano "tem um custo adicional de 300 milhões de euros ao que o Governo se propõe investir". Rui Rio …