Boeing 737 Max novamente seguro para voar, diz regulador europeu

O 737 Max da Boeing, avião suspenso desde março de 2019 devido a dois acidentes que resultaram na morte de 346 pessoas, é novamente seguro para voar, afirmou o diretor executivo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA), Patrick Ky.

Segundo o Business Insider, a Boeing tem vindo a trabalhar num alteração completa do software de voo do avião. Na sexta-feira, Patrick Ky disse à Bloomberg que está satisfeito com as mudanças realizadas pela companhia aérea, acrescentando que o 737 Max pode começar a voar na Europa antes do final de 2020.

No domingo, a American Airlines avançou que pretende utilizar aviões 737 Max para viagens entre Miami e Nova Iorque, nos Estados Unidos (EUA), de 29 de dezembro a 04 de janeiro. A companhia aérea disse que está a adotar uma “abordagem em fases” e não confirmou se continuará a usar o avião após esse período.

Os planos da American Airlines dependem de uma autorização da Administração Federal de Aviação (FAA), que ainda não se comprometeu com um cronograma para a aprovação do 737 Max.

Apresentado como uma versão mais económica do 737, o 737 Max tem um maior alcance, menor custo operacional e o suficiente em comum com os modelos anteriores para que os pilotos pudessem alternar entre ambos.

Os acidentes puseram em causa as práticas de treinamento da Boeing. Durante o lançamento deste modelo, os pilotos apenas tiveram que fazer um breve curso ‘online’, ao invés de treinarem num simulador, como fariam para um novo avião.

Um sensor sintético – atualização de software exigida pela EASA em 2019 – ainda não foi implementado pela Boeing e não deve estar pronto nos próximos dois anos. Contudo, de acordo com a agência, o avião já atende aos padrões de segurança e esse “terceiro sensor” atenderá a níveis de segurança ainda mais elevados.

A FAA é o principal regulador da Boeing e, segundo as leis internacionais, o 737 Max não poderá voar até que esta permita. Em junho, a Boeing concluiu o seu primeiro teste de voo de para obter novamente a certificação, uma das muitas etapas necessárias antes que o avião possa retornar ao serviço.

Atualmente existem várias investigações em andamento, nas quais tem sido analisado o design do avião, de forma a determinar como a certificação foi atribuída e se houve negligência por trás do projeto. As consequências dos acidentes acabaram por custar o cargo do então CEO da empresa, Dennis Muilenburg.

Enquanto isso, a Boeing tenta resolver os processos abertos pelos familiares das vítimas do segundo dos dois acidentes. Em outubro de 2018, caiu um 737 Max operado pela Lion Air, da Indonésia, matando 189 pessoas. Em março de 2019, sucedeu o mesmo a um avião da Ethiopian Airlines, vitimando as 157 pessoas a bordo.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rio Ave 0 - 2 Sporting | Leão invicto com uma garra no “caneco”

O Sporting registou o 31º jogo consecutivo sem perder na Liga NOS. Na visita ao Rio Ave, os “leões” venceram o Rio Ave por 2-0 e estão muito perto de conquistar o ceptro de campeões …

Taylor's lança vinho do Porto produzido na vindima de 1896 (e custa uma pequena fortuna)

A Taylor's vai lançar um "raro" vinho do Porto produzido na vindima de 1896, na Região Demarcada do Douro, e que tem uma edição limitada de 1.700 decantadores de cristal, embalados numa luxuosa caixa de …

"Este calendário pode ser muito mais perigoso do que finalizar o campeonato"

Dois treinadores de equipas femininas de andebol analisaram a sucessão de jornadas duplas em fins-de-semana consecutivos. Diogo Guerra avisa: "Este calendário é uma irresponsabilidade enorme. Só espero que ninguém se aleije". A primeira divisão nacional feminina …

Mulher dá à luz nove bebés, mais dois do que mostraram as ecografias

Uma mulher de 25 anos deu à luz nove bebés, mais dois do que mostraram as várias ecografias realizadas ao longo da gravidez. O caso aconteceu no Mali. Este está a ser considerado um recorde mundial …

Andrea Bocelli dá dois concertos em Coimbra em 25 e 26 de junho

O tenor italiano Andrea Bocelli vai atuar no Estádio Cidade de Coimbra em 25 e 26 de junho, em dois concertos que contam com a participação da fadista Mariza. "Em cumprimento das normas de segurança e …

Califórnia vai ter o maior sistema de armazenamento de energia não hidrelétrica do mundo

A empresa canadiana Hydrostor, que fornece soluções de armazenamento de energia de longa duração, revelou esta semana que irá desenvolver 1.000 MW de CAES na Califórnia, de acordo com um comunicado. O CAES é um tipo …

Seis anos e mil milhões de links depois, cientistas concluem que a Internet está a crescer (e a encolher)

Uma equipa de investigadores analisou mil milhões de links ao longo de seis anos e concluiu que a Internet está tanto a crescer como a encolher. O mundo online está em constante expansão — sempre agregando …

Há estranhas rádios-fantasma na Rússia (e exploradores entraram numa delas)

Aos 14 anos, um jovem comprou um rádio de ondas curtas e estava a testá-lo quando encontrou a transmissão errada - uma rádio fantasma. Imagine que é um entusiasta da rádio, sozinho à noite, a trabalhar …

Dinheiro e refeições grátis. A Sérvia vai recompensar os cidadãos que forem vacinados

O Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, anunciou esta quarta-feira que serão pagos 25 euros aos cidadãos já vacinados contra a covid-19 e aos que se vão vacinar até final de maio, uma iniciativa original no …

Ivã, o (não tão) Terrível. Aliado de Putin reescreve história para reabilitar reputação do primeiro czar da Rússia

Segundo um alto funcionário russo, Ivã, o Terrível, não era terrível e a sua reputação de tirano cruel é o resultado de uma campanha de difamação realizada pelo Ocidente no século XVI. Nikolai Patrushev, o poderoso …