Biden aprova medidas para reunificação de menores migrantes com as famílias

patquinnforillinois / Flickr

Joe Biden, Presidente dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai ordenar hoje a constituição de um grupo de trabalho sobre reunificação de menores que foram separados dos pais após cruzarem a fronteira do México.

A separação de famílias tinha sido imposta pela anterior administração de Donald Trump.

Esta primeira iniciativa faz parte de um pacote de ordens executivas sobre imigração que Biden vai assinar hoje na Casa Branca e pretendem inverter o legado de Trump sobre a matéria.

Joe Biden “deixou claro que é uma prioridade inverter as políticas migratórias do governo de Trump que separaram milhares de famílias na fronteira”, disse uma alta funcionária da Casa Branca numa conferência de imprensa telefónica.

O grupo vai trabalhar com os países aliados do continente americano para encontrar os países dos menores que ainda se encontram sob custódia do governo.

Apesar de não existir um número exato sobre o número de menores separados pelo governo de Trump sob a estratégia “tolerância zero”, estima-se que podem ser cerca de mil.

De acordo com um documento judicial de dezembro, 628 menores continuavam separados, dos quais 333 tinham os progenitores nos Estados Unidos e 295 nos países de origem.

Biden vai assinar uma segunda ordem executiva sobre a gestão da migração na fronteira, tendo definido a política de Trump como “caótica, cruel e confusa”.

Entre outras medidas, a ordem executiva tem como objetivo “restabelecer o sistema de asilo”, criando vias para que os requerentes da América central possam entrar nos Estados Unidos.

Além do mais, o presidente ordenou ao Departamento de Segurança Nacional (DHS) para rever o programa “Permaneçam no México”, que Biden pretende suspender.

Finalmente, a terceira ordem executiva procura modificar totalmente todas as medidas recentes aprovadas pelo governo de Trump que estabeleceram “barreiras” ao sistema legal de imigração, como as penalizações pelo uso de “benefícios públicos”.

“O governo anterior promulgou centenas de políticas que contrariam a nossa hist​​​​​​ória e atingem o caráter dos Estados Unidos como terra aberta e de acolhimento”, disse a funcionária.

As ordens executivas sobre imigração juntam-se a outras aprovadas por Biden no primeiro dia após ter tomado posse como chefe de Estado, entre as quais ordenou suspender a construção do muro fronteiriço com o México, levantar o veto aos migrantes de países de maioria muçulmana e blindou o programa DACA que outorga autorizações de trabalho e residência a 650 mil jovens indocumentados.

Entretanto, altos responsáveis da administração disseram à France-Presse que o​​​​​​ presidente dos Estados Unidos, Joe Biden vai ordenar à administração para facilitar a naturalização de nove milhões de migrantes com a cidadania norte-americana.

Esta medida pode também vir a ser incluída nas medidas que Joe Biden vai assinar hoje na Casa Branca.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Agente que matou Daunte Wright e chefe da polícia demitiram-se. Mas os protestos continuam

A polícia que matou a tiro um jovem afro-americano em Brooklyn Center, nos Estados Unidos, no domingo, e o chefe da polícia local demitiram-se. Mas os protestos continuam na cidade. Mike Elliott, mayor de Brooklyn Center, …

Família de Ihor pondera recorrer se inspetores não forem condenados por homicídio

A família de Ihor Homenyuk está a ponderar recorrer se os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) forem condenados por ofensas à integridade física agravada e não por homicídio qualificado. A notícia é …

"Sofagate". Michel pede desculpa a Von der Leyen por falta de reação a incidente em Ancara

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, pediu esta terça-feira solenemente desculpa à líder da Comissão Europeia (UE) pela falta de reação ao "desplante diplomático" protagonizado por Ancara na semana passada. Von der Leyen destacou …

Altice Portugal acredita que "SIRESP vai acabar a 30 de junho"

O presidente da Altice Portugal disse que a empresa não teve "qualquer tipo de contacto por parte do SIRESP" sobre a continuidade do contrato, pelo lhe parece que a rede de emergência "vai acabar no …

Polícia do Capitólio foi avisada do ataque mas ordenada a não agir agressivamente

A Polícia do Capitólio dos Estados Unidos foi avisada antecipadamente sobre a violência dos atacantes do dia 6 de janeiro, mas os seus comandantes ordenaram aos oficiais que não usassem as suas táticas "mais agressivas" …

União Europeia não vai renovar contrato com AstraZeneca e Johnson & Johnson

A União Europeia não vai renovar os contratos da vacina contra a covid-19 com empresas como Astrazeneca e Johnson & Johnson no próximo ano. A notícia da decisão de não renovação dos contratos da vacina contra …

Neuralink divulga vídeo de macaco a jogar videojogo com a mente

A Neuralink, empresa de implantes cerebrais de Elon Musk, divulgou na quinta-feira um vídeo que mostra a tecnologia a funcionar em macacos. No vídeo, um cientista da Neuralink explica a forma como a empresa implantou um …

Coligação negativa trava "big brother fiscal" nas empresas

Foi aprovada no Parlamento uma proposta do PCP para mudar, de novo, a lei que regulamenta o envio de dados das empresas para o Fisco, com o voto contra do PS. É um travão ao …

Especialistas aconselham Governo a não avançar no desconfinamento

Manuel Carmo Gomes, o epidemiologista que deixou de participar nas reuniões no Infarmed, aconselhou o Governo a não avançar para a terceira fase de desconfinamento. E não é o único a defender a suspensão. De acordo …

Os buracos negros gostam de comer, mas têm várias regras de etiqueta à mesa

Uma equipa de astrónomos britânicos e holandeses concluiu que todos os buracos negros supermassivos no centro das galáxias parecem ter períodos em que engolem matéria dos seus arredores.  Astrónomos têm estudado galáxias ativas desde 1950. Estas …