Migração, saúde e ambiente. Biden já sabe que políticas vai reverter logo no primeiro dia de mandato

Gage Skidmore / Wikimedia

Joe Biden, presidente eleito dos EUA

Poucas horas depois de substituir Donald Trump como chefe de Estado, já na próxima quarta-feira, Joe Biden, vai assinar “dezenas” de ordens executivas de modo a reverter algumas das principais políticas do presidente cessante.

Segundo um memorando interno assinado pelo futuro chefe do gabinete da Administração Biden, Ron Klain, e revelado pelo New York Times, o democrata vai recolocar os EUA no Acordo de Paris (2015) sobre as alterações climáticas, acabar com as restrições de viagem para cidadãos de alguns países maioritariamente muçulmanos e implementar medidas de combate à pandemia de covid-19.

Os EUA são dos países do mundo que mais foi afetado pela pandemia de covid-19, e na linha da promessa de apresentação de um pacote de ajuda financeira logo nos primeiros dias de presidência, estão previstas várias medidas, que incluem a obrigatoriedade de uso de máscara em todos os edifícios de propriedade federal ou a suspensão dos prazos de pagamentos de empréstimos universitários ou para despejo de inquilinos em falta.

“Durante a campanha, o Presidente eleito Biden prometeu uma atuação imediata para responder a estas crises. Enquanto Presidente, irá cumprir essas promessas e assinar dezenas de ordens executivas, memorandos presidenciais e diretivas para agências governamentais”, escreveu Klain.

Relativamente à política de imigração, Biden pretende apresentar ao Congresso um novo plano nos primeiros 100 dias da sua presidência, noticia o Público.

É também provável que uma das ordens executivas que vai assinar na quarta-feira à tarde, ou nos dias seguintes, tenha como objetivo reunir pais e filhos separados aquando da sua entrada ilegal no país.

Mesmo com a natureza executiva das medidas que está a preparar, o democrata pretende incluir e envolver a Câmara dos Representantes e o Senado nas principais transformações e iniciativas legislativas, garante Klain.

“A realização completa dos objetivos políticos da Administração Biden-Harris exige não só as ações executivas que o Presidente eleito prometeu, mas também uma atuação robusta do Congresso”, sublinha o futuro chefe de gabinete de Biden.

A assinatura de ordens executivas que procuram reverter opções políticas e programáticas dos Presidentes antecessores logo nos primeiros dias de mandato não é incomum nos EUA, sendo até uma forma de o novo inquilino da Casa Branca marcar posição sobre as suas prioridades.

Em Janeiro de 2017, quando substituiu Barack Obama, Donald Trump também assinou várias destas ordens, que incluíram a aplicação de restrições de viagem a cidadãos de países como o Irão, a Líbia, a Somália, a Síria ou o Iraque, o compromisso de construir um muro entre os EUA e o México, a saída do país do Acordo Transpacífico de Cooperação Económica (TPP) ou a autorização de construção de dois polémicos oleodutos em territórios indígenas protegidos.

Joe Biden chega à presidência dos Estados Unidos depois de ter vencido a eleição de novembro do ano passado contra Donald Trump. Os últimos meses foram marcados pela recusa do Presidente cessante em reconhecer o resultado.

O republicano já informou que não irá marcar presença na cerimónia de tomada de posse de Biden e da vice-presidente eleita, Kamala Harris. Será o primeiro em mais de 150 anos a recusar ir ao evento.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Curioso que foi a administração Obama-Biden que construíu as famosas “jaulas” que separavam “pais e filhos”. Isso só foi caso quando Trump chegou ao poder. Portanto não vai reverter essa medida de Trump, pois é da sua autoria, mas o que conta é a história que querem contar agora. Nada de novo.

  2. “(…) dos países do mundo que mais FORAM AFETADOS (…)”,
    e não
    “(…) foi afetado (…)” !

    Os países foram

    Atenção à concordância, p.f.!

  3. Pelos vistos já são aos milhares de pessoas que caminham a pé em direção aos Estados Unidos para tentarem entrar, será que o novo presidente irá abrir a porta a todos e acumular meio mundo no seu país? Quanto a muçulmanos então nem vale a pena falar. Passar do 8 ao 80 possivelmente será um risco enorme e a popularidade depressa poderá ir água abaixo.

RESPONDER

A linguagem de Benoit está a morrer. O senegalês quer salvá-la através da música

O senegalês Benoit Fader Keita está a usar o poder da música para salvar a sua linguagem, ménik, que tem apenas 3 mil falantes e está em risco de extinção. Benoit Fader Keita nasceu no Senegal …

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

 A doença misteriosa foi identificada, pela primeira vez, em 2015, num doente considerado um "caso isolado e atípico". Há quase dois anos, Roger Ellis desmaiou depois de ter tido uma convulsão durante o 40.º aniversário de …

Estudo sugere que há quatro tipos de Alzheimer

Uma equipa de investigadores sugere que há quatro tipos da doença de Alzheimer, que atacam diferentes zonas do cérebro e têm sintomas distintos. Um novo estudo sugere que o Alzheimer é uma doença bem mais complexa …

Jovens tentam salvar vidas na Índia através do Youtube. Plataforma elimina vídeos por serem "perigosos"

A Índia continua a debater-se com a grave crise sanitária desencadeada pela covid-19. Jovens indianos publicaram no Youtube vídeos a produzir oxigénio em casa, usando processos químicos ensinados nas escolas. A plataforma eliminou-os. De acordo com …

Shuvuuia era um dinossauro do tamanho de uma galinha, que caçava às escuras

Os investigadores descobriram que Shuvuuia, um pequeno dinossauro do tamanho de uma galinha, tinha uma excelente audição e visão noturna, que lhe permitiam caçar de noite. São poucas as aves que têm aquilo que é preciso …

Na China, é ilegal pedir comida em excesso nos restaurantes

A China aprovou uma lei anti-desperdício de alimentos que proíbe clientes de restaurantes de pedirem mais do que precisam, uma legislação abrangente pode prejudicar a experiência de comer fora de casa. A lei, que entrou em …

Sindicato de pilotos denuncia pedidos da TAP para voos em folga

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) denunciou pedidos da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) para que alguns trabalhadores efetuem voos em dias de folga, ao mesmo tempo que afirma ter pilotos em excesso. Num email …

Bayern Munique 'festeja' nono título consecutivo com goleada

O Bayern Munique coroou este sábado o seu nono título consecutivo na Liga alemã de futebol com uma goleada no triunfo diante do Borussia Moenchengladbach (6-0), num jogo com um hat-trick de Lewandowski. Antes de pisar …

A piscina infinita mais alta do mundo fica no Dubai

Haverá poucas coisas tão libertadoras como dar um mergulho numa piscina infinita com vista para o oceano. Agora, quem visitar o Dubai poderá fazê-lo numa piscina a quase 300 metros acima do nível do mar. Segundo …

"Polskie Babcie", as avós que lutam pela democracia na Polónia

Um grupo de idosas polacas organiza protestos, todas as semanas, para lutar pela democracia no país, governado pelo partido de direita nacional-conservador e democrata-cristão Lei e Justiça (PiS). É hora de ponta em Varsóvia, capital da …