No Benim, o jacinto-de-água está a ajudar a limpar derrames de petróleo

(dr) Green Keeper Africa

Mulheres a colher o jacinto-de-água no Benim

No Benim, há uma start-up que colhe o jacinto-de-água, espécie invasora que destrói a fauna aquática e põe em risco a subsistência dos habitantes, e o transforma numa substância fibrosa que pode ajudar a limpar derrames de petróleo.

Com as suas folhas suculentas e flores violetas, o jacinto-de-água é uma planta aquática que, à primeira vista, parece apenas bonita e inofensiva, mas que, na verdade, é mortal. Esta espécie invasora, introduzida em África no final dos anos 1800, forma largos tapetes em lagos e cursos de água, impedindo que a luz passe e destruindo, assim, ecossistemas.

Com o desaparecimento da fauna aquática, esta planta também coloca em risco a subsistência de muitas pessoas. É por isso que a Green Keeper Africa, uma start-up do Benim fundada em 2014, está a tentar reduzir a propagação desta planta, arrancando-a dos cursos de água e usando-a antes para criar uma substância fibrosa que pode ajudar a limpar derrames de petróleo.

Em declarações à CNN, a diretora comercial Geneviève Yehounme explica que a start-up retira o jacinto-de-água do Lago Nokoué, no sudeste do Benim, onde “é um verdadeiro incómodo para as comunidades locais”, que “dependem sobretudo da pesca”.

A planta também pode agravar as inundações durante a estação das chuvas, ao evitar que o excesso de água flua para os rios e canais de irrigação, e invade as florestas de mangue da região.

Depois de colher a planta, a start-up seca-a e transforma-a numa fibra solta (GKSORB) que pode ser embalada em sacos, almofadas e “meias”. Os produtos são vendidos em kits de emergência que podem ser mantidos num determinado local ou num veículo, sendo capazes de absorver derrames de até 220 litros.

Yehounme conta que várias empresas de petróleo e gás, como a Puma Energy Benin, já compram estes produtos, destacando o facto de serem uma alternativa ecológica aos métodos tradicionais e de funcionarem tanto na terra como na água.

Além disso, a Green Keeper Africa trabalha com um parceiro para recolher o produto usado. As pilhas encharcadas de petróleo são incineradas, com a energia produzida a ser usada para abastecer um forno de cimento local.

Atualmente, a empresa emprega mais de mil pessoas de várias aldeias que ajudam na colheita da planta, 80% das quais são mulheres, destaca Yehoumne. A responsável espera que, à medida que a procura pelo produto aumente, cresça também o impacto ambiental e social da Green Keeper Africa.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Não quero ser arrogante: o melhor médio da Premier League sou eu"

Yves Bissouma joga no Brighton e tem despertado o interesse de clubes ingleses de outro nível. Cresceu no Mali ao serviço do Majestic SC, passou pelo AS Real Bamako antes de rumar à Europa. Começou por …

Tratamento inovador para cancro pesa nos orçamentos do IPO de Porto e Lisboa

Os custos associados ao tratamento de cancros do sangue com células CAR-T estão a ser suportados apenas pelos hospitais autorizados a aplicá-la, no caso, os IPO do Porto e de Lisboa. De acordo com o Jornal …

Gravuras descobertas no Tibete são as mais antigas da arte pré-histórica. Foram feitas por crianças

Uma equipa encontrou antigas pegadas e marcas de mãos feitas por crianças no planalto tibetano. Esta descoberta traz novos detalhes sobre a presença humana no local. O estudo, publicado na revista Science Direct, revela que estes …

Comissão nos EUA desaconselha terceira dose da Pfizer a maiores de 16 anos

Uma comissão consultiva da agência reguladora dos EUA para os medicamentos e a alimentação (FDA, na sigla em inglês) pronunciou-se esta sexta-feira contra a aplicação de uma terceira dose da vacina Pfizer contra a covid-19 …

Santos Silva quer preços da eletricidade na agenda da UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, defendeu esta sexta-feira que a União Europeia (UE) tem de colocar em agenda o problema do aumento dos preços da eletricidade no continente, alertando que a reação …

Já há uma calculadora que prevê o risco de se ser infetado com covid-19 (em diversos cenários)

Já existe uma ferramenta online que calcula o risco de se ser infetado com covid-19. Chama-se microCOVID, baseia-se em dados recentes, analisa diferentes cenários e foi desenvolvida por um grupo de amigos. Numa altura em que …

Alargamento de teletrabalho não deve abranger empresas de menor dimensão

O Governo defendeu esta sexta-feira, na Concertação Social, que "as empresas de menor dimensão" devem ficar excluídas da medida que prevê o alargamento do teletrabalho a pais com filhos menores de oito anos, sempre que …

Costa acusa oposição de “absoluta impreparação” por não saber o que é o PRR

O secretário-geral do PS, António Costa, acusou esta sexta-feira a oposição de “absoluta impreparação” por não saber o que é o PRR, nem a “missão patriótica” que consiste em pô-lo “em marcha para o bem …

Asteroide que dizimou dinossauros permitiu que as cobras evoluíssem (e se espalhassem pelo mundo)

As cobras devem, em parte, o seu sucesso na Terra ao asteroide que atingiu o planeta há 66 milhões de anos e levou à extinção dos dinossauros, aponta um novo estudo. Além da extinção dos dinossauros …

Novo modelo geofísico ajuda a prever furacões com origem no Golfo do México

Ao analisar a temperatura da atmosfera, que se encontra a vários quilómetros acima da Terra, os investigadores descobriram uma forma de prever quantos furacões podem afetar o Golfo do México no verão e no outono. Os …