/

Benfica 1-1 Vitória | Guimarães assustou, mas Benfica carimba final four da Taça da Liga nos penáltis

O Benfica conseguiu o apuramento para a ‘final-four’ da Taça da Liga, esta quarta-feira, no Estádio da Luz, ao vencer o Vitória de Guimarães nas grandes penalidades, num jogo que acabou empatado a uma bola.

O Vitória de Guimarães colocou-se em vantagem ao minuto 16, num golo de Oscar Estupiñán, e o empate para as águias chegou já perto do fim (83), com Pizzi a converter com sucesso uma grande penalidade a castigar falta sobre Pedrinho.

Com o empate no final dos 90 minutos, o vencedor teve de ser decidido com a marcação de grandes penalidades, e aí foi mais eficaz o Benfica, que converteu as quatro tentativas que teve, enquanto o Vitória falhou por duas vezes.

Com este resultado, o Benfica junta-se a Sporting e FC Porto na fase final da Taça da Liga, que venceram, respetivamente, Mafra e Paços de Ferreira, faltando agora apurar um semifinalista, que sairá do ‘duelo’ entre Sporting de Braga e Estoril Praia.

O Benfica entrou bem no jogo e criou a primeira oportunidade do encontro por Darwin, que após uma assistência de Taarabt de calcanhar acabou por rematar ao lado da baliza do Vitória.

A equipa vimaranense foi bem mais eficaz na resposta e aos 16 minutos adiantou-se no marcador, numa jogada que deixou à vista de todos as debilidades defensivas deste Benfica e, em particular, de Nuno Tavares.

O lateral esquerdo foi quem errou na abordagem inicial ao lance, foi surpreendido pela velocidade de Marcus Edwards e depois o inglês ‘desmanchou’ a defesa ‘encarnada’, entregou a Rochinha já dentro da área e este, num cruzamento-remate, permitiu a Oscar Estupiñán uma estreia de sonho com a camisola dos minhotos ao fazer o 1-0 no Estádio da Luz.

Sempre mais com o coração do que com a cabeça, o Benfica procurou o empate durante todo o primeiro tempo e Everton, em duas ocasiões, foi quem esteve mais perto do empate.

Aos 30, o brasileiro viu Trmal negar-lhe os festejos em dois remates consecutivos, e a fechar o primeiro tempo, o ex-Grémio marcou mesmo, mas o lance acabou anulado por fora de jogo, depois de um lance em que a bola passou por todo o ataque vermelho e branco mas em que todos se mostraram demasiado cerimoniosos na hora de alvejar a baliza do Vitória de Guimarães.

O Benfica reentrou dominador para a segunda parte e depressa encostou o Vitória atrás, com Seferovic e Pizzi, entrados após o intervalo, a darem outra dinâmica à equipa de Jorge Jesus.

O Benfica passou 25 minutos a carregar sobre os vimaranenses, até que João Henriques fez entrar Quaresma e o sul africano Lyle Foster: a entrada dos dois jogadores para o ataque dos conquistadores reanimou a equipa minhota e voltou a colocar a defesa do Benfica em sentido, numa altura em que a equipa queria encostar-se ao ataque para fazer o empate.

Numa das melhores jogadas do ataque do Benfica em todo o encontro, Pizzi quase o conseguiu: Darwin trocou os passos a Sacko, assistiu o internacional português no coração da grande área, mas o remate forte do benfiquista foi parado por mais uma boa intervenção de Trmal.

Contudo, aos 83 minutos, o checo nada pôde fazer perante novo remate do 21 do Benfica, que fez o empate a uma bola de grande penalidade, depois de Poha ter derrubado Pedrinho na área.

Até ao minutos 90, o Benfica foi quem esteve mais perto da vitória, mas Trmal, em duelo particular com Darwin, negou a reviravolta às águias em duas ocasiões em que o uruguaio fez tudo bem, mas viu o guardião vitoriano brilhar.

Na ‘lotaria’ das grandes penalidades, o Benfica foi mais forte e selou a passagem à fase final da Taça da Liga, que será disputada em Leiria, no mês de janeiro: Everton, Pizzi, Gabriel e Seferovic marcaram para as ‘águias’, enquanto André Almeida e Poha desperdiçaram para o Vitória.

  // Futebol365

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.