Beber leite materno em adulto é prejudicial à saúde

5

Beber leite materno é bom para os bebés, mas fazê-lo na idade adulta é “um perigo” para a saúde, alertaram investigadores britânicos.

O consumo de leite materno — à venda na internet em sites de comércio electrónico e em grupos do Facebook — tem ganho adeptos, com a promessa de que aumenta as defesas do organismo.

Mas investigadores da Universidade Queen Mary, em Londres, dizem o contrário. Segundo os cientistas, o leite não pasteurizado contém germes perigosos para o corpo humano.

Uma das autoras do estudo, Sarah Steele,  investigadora da London School of Medicine and Dentistry, defende que as promessas de que o produto melhora o sistema imunológico são enganadoras.

Além disso, Steele afirma que há riscos de que o leite contenha bactérias nocivas à saúde.

“Quanto mais o leite demora a ser transportado, mais tempo as bactérias têm para proliferar”, explica Sarah à BBC.

“Testes realizados nos Estados Unidos e no Reino Unido mostraram níveis elevados de bactérias malignas, que na verdade provêm do intestino, ou seja, são basicamente fezes da mãe que acabam no leite“, acrescentou a investigadora.

Sarah explica que é a pasteurização do leite que “mata” as bactérias perigosa. “É um procedimento muito importante para garantir a qualidade do leite”.

cv BBC

Sarah Steele, investigadora da London School of Medicine and Dentistry,

Sarah Steele, investigadora da London School of Medicine and Dentistry,

A cientista ressalva que o leite materno é no entanto “uma opção nutricional óptima para os bebés“.

“Em nenhum momento queremos dizer que a ingestão de leite materno pelos recém-nascidos é prejudicial à sua saúde. Pelo contrário”, afirmou a cientista.

“Há algumas pessoas, no entanto, entre as quais os doentes de  câncer ou outras doenças, que acreditam que beber leite materno aumenta a resistência do organismo ou mesmo facilita a digestão de alimentos”, diz Sarah, “mas não há qualquer prova científica disso.”

Sarah recomenda também um grande cuidado com as informações obtidas na internet.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Muitas das informações que as pessoas encontram internet são normalmente incompletas ou muitas vez mesmo o contrário do que realmente significam”, diz a investigadora.

Segundo Sarah Steele, é preciso realçar a diferença entre “consumir produtos extraídos de componentes do leite materno que foram produzidos em laboratório para o tratamento de doenças” e “comprar uma garrafa em qualquer sítio e desatar simplesmente a beber leite materno”.

“É um leite não pasteurizado, proveniente de alguém cuja história clínica é desconhecida, e o consumidor está a expor-se a riscos com bactérias, vírus e até toxinas”, concluiu.

ZAP / BBC

5 Comments

  1. Como é que as bactérias malignas do intestino (muito possivelmente E.coli) chegam ao leite materno?! Muito provavelmente porque devem ter manipulado o leite com as mãos muito sujas!!! Essas bactérias não circulam pelo interior do corpo assim tão livremente!…
    Esta notícia está muito estranha e mal contada.

  2. POIS, realmente gostava de provar, por curiosidade, so e apenas,mas…….!!!!?????…
    UIUI aiaiai vaila vai até a barraca cubata abana,masss uiui aiaia , a cURIOSIDADE é TRAMADA ,rissssss…….

    a.g.p.

  3. Quanto aos riscos apresentados do leite humano, aplica-se na íntegra nos outros leites de outros animais, com a agravante de ser desequilibrado para o ser humano.

    Esperava argumentos melhores

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.