Bloco de Esquerda quer baixar as propinas 214 euros por ano até acabar com elas

Não é a primeira vez que o BE e o PCP defendem o fim das propinas, mas os dois projetos de lei que na próxima sexta-feira serão votados têm um calendário marcado: o ensino superior deve passar a ser gratuito até 2023.

O Bloco – que agendou este debate sobre o ensino superior, no qual será votado um conjunto de diplomas do setor – defende que o valor das propinas deve sofrer uma diminuição faseada entre os anos letivos 2019/2020 e 2022/2023.

Em cada ano, o teto máximo do custo de uma licenciatura ou mestrado integrado deverá reduzir-se em 214 euros, explica o Público. Na negociação do último Orçamento do Estado, os bloquistas acordaram com o PS uma redução de 212 euros no valor máximo das propinas, fixando-o em 856 euros a partir do próximo ano letivo.

 

A proposta comunista não é tão fechada na calendarização. “Deixamos isso ao critério do Governo”, explica a deputada Ana Mesquita, estabelecendo apenas que as propinas devem acabar “no prazo de quatro anos”.

O PCP defende, porém, que todo o ensino superior deve ser gratuito. A sua proposta para a eliminação das propinas refere-se não só às licenciaturas e mestrados integrados, mas também aos mestrados de 2.º ciclo e aos doutoramentos.

Até que acabem definitivamente as propinas, o PCP propõe ainda um regime transitório de isenção, que permitiria aos estudantes que recebem bolsa de ação social deixar de pagar a frequência do ensino superior – atualmente o pagamento das propinas pelos estudantes mais pobres é feito descontando uma parte da bolsa de ação social.

No debate de sexta-feira, BE e PCP já sabem que PSD e CDS que, historicamente, têm defendido a manutenção das propinas, vão votar contra os projetos dos dois partidos de esquerda. A expectativa recai, portanto, sobre a posição do PS.

O ministro do Ensino Superior Manuel Heitor defendeu o fim das propinas em outubro, e, no mês passado, na Convenção Nacional do Ensino Superior, dois secretários de Estado apoiaram a solução. Semanas depois, Heitor matizou a posição.

Porfírio Silva, que representa o PS na comissão de Educação, defende que as declarações dos governantes foram feitas “num contexto específico” e que não há intenção de “mexer nas propinas agora”.

Sem antecipar qual será o sentido de voto, o deputado antecipa que os socialistas não deverão viabilizar as propostas de BE e PCP. “O instrumento que consegue mais eficazmente diminuir as desigualdades no acesso ao ensino superior é a ação social”, diz.

Ao todo, estarão em discussão no Parlamento 13 diplomas de ensino superior, incluindo um projeto de resolução do BE que propõe um plano de emergência para o alojamento estudantil que, entre outras soluções, propõe como solução para a estadia dos estudantes do ensino superior a rede de Pousadas de Juventude.

O BE propõe que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior “reequacione o fundo financeiro que disponibiliza” para os empréstimos bancários para estudantes do ensino superior usando esses fundos “na construção de mais residências universitárias”.

O PCP também apresenta um plano de alojamento temporário, que deve ser elaborado pelo Governo para responder às necessidades imediatas dos alunos, enquanto não são disponibilizadas as camas previstas no Plano Nacional de Alojamento Estudantil aprovado em dezembro.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …