Baleias inspiradas em “Hannibal Lecter” estão a massacrar tubarões brancos e a comer os seus fígados

2

Duas orcas estão a causar sarilhos na costa da África do Sul devido aos massacres de tubarões brancos que têm levado a cabo, afugentando os animais da região e ameaçando o equilíbrio do ecossistema.

Quando pensamos em grandes predadores dos oceanos, o tubarão branco é muitas vezes o primeiro animal que nos vem à cabeça, muito em parte devido ao famoso filme de Tubarão de Steven Spielberg, que continua a inspirar muitos pesadelos e fobias 45 anos depois do seu lançamento.

Mas parece que estes animais têm só a fama e pouco proveito — especialmente nas águas da África do Sul, onde os tubarões brancos têm sido o jantar das baleias assassinas, que têm feito jus ao seu nome.

De acordo com um novo estudo publicado na African Journal of Marine Science, desde 2017 que um par de orcas macho já chacinou pelo menos oito tubarões brancos perto da costa de Gansbaai.

E estas baleias não se limitam a matar os tubarões. Em sete dos casos, estas baleias “Hannibal Lecter” comeram os fígados dos tubarões — mas sem favas ou um vinho chianti a acompanhar, presume-se — e em alguns dos corpos encontrados, até o coração tinha desaparecido.

A brutalidade das orcas não é novidade e, afinal, não é por nada que são conhecidas como baleias assassinas. Mas é raro haver casos onde estes animais têm um impacto tão notório no seu habitat, já que os avistamentos de tubarões brancos caíram a pique nesta zona desde que as orcas começaram a sua matança há cerca de cinco anos, relata o Live Science.

Com uma combinação de dados de rastreamento e de avistamentos a longo prazo, os investigadores notaram que dezenas de tubarões começaram activamente a evitar as regiões da costa de Gansbaai quando as orcas andam por lá, apesar de esta região historicamente ser sua e de os tubarões até serem uma atracção turística.

A reviravolta começou no início de 2015, quando o par de orcas chegou à costa. Os animais em questão são fáceis de identificar devido às suas cicatrizes de batalha: uma das baleias têm uma barbatana dorsal colapsada para a direita enquanto que a outra tem a barbatana inclinada para a esquerda.

Os observadores de baleias até já deram alcunhas às orcas — Port e Starboard. Cada vez que o par era visto, pouco depois um tubarão branco morto dava à costa. A conta oficial das vítimas é oito, mas é provável que o número seja maior e que as suas carcaças dos tubarões tenham ficado perdidas à deriva no mar. Nos seis meses depois da morte, os avistamentos diários de tubarões caíram de seis para apenas um.

A migração em massa dos tubarões brancos afugentados não é inofensiva e ameaça trazer mudanças profundas no ecossistema local, como o aparecimento do tubarão cobre, um predador de nível mediado que se mudou para esta zona para ocupar o nicho que anteriormente pertencia aos tubarões brancos. Esta mudança pode acabar por abalar toda a cadeia alimentar e colocar pressão sobre o ecossistema.

  Adriana Peixoto, ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.