Avião militar dos EUA veio buscar 39 toneladas de leite em pó à Europa. Nova Iorque fixa margens nos preços

4

Etienne Laurent / EPA

Os Estados Unidos estão a enfrentar uma grave falta de leite em pó infantil após o encerramento da maior fábrica do país ter agravado os problemas na cadeia de abastecimento.

Nas últimas semanas, os Estados Unidos entraram numa crise devido à falta de leite em pó para bebés, tanto que foi preciso usar meios do exército para se colmatar a escassez e ir buscar produtos a outros países.

A Operação Fly Formula arrancou ontem com a chegada da primeira carga aos EUA. O avião militar trouxe 39 toneladas de leite em pó desde a base aérea americana em Ramstein, na Alemanha, até Indianapolis, no Indiana. A Nestlé tem um centro de distribuição na cidade, onde vai verificar a segurança dos produtos antes de os enviar para os hospitais, farmácias e lojas.

Joe Biden anunciou no Twitter que o voou foi bem-sucedido. “A nossa equipa está a trabalhar sem parar para trazer leite em pó seguro para quem precisa”, escreveu a conta do Presidente dos EUA.

“Tipicamente, o processo de transporte deste produto da Europa para os EUA demoraria duas semanas. Graças à Operação Fly Formula, cortamos esse período para aproximadamente três dias“, revelou a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, à CBS News.

Espera-se que mais 114 paletes de leite em pó cheguem nos próximos dias a solo americano. No total, cerca de 1,5 milhões de doses de três tipos diferentes de leite devem chegar esta semana.

De acordo com o assessor económico da Casa Branca, Brian Deese, a remessa que chegou ontem a Indianopolis cobre 15% das necessidades mais urgentes. A longo prazo, Deese espera que surjam mais produtores nos Estados Unidos para que “nenhuma empresa individual tenha tanto controlo sobre a cadeira de fornecimento”.

Actualmente, a produção de leite em pó para bebés está concentrada em três grandes empresas nos EUA. A crise vivida agora teve origem em problemas na cadeia de abastecimento trazidos pela pandemia e na falta de fornecedores diversificados, mas foi agravada em Fevereiro quando a Abott, uma das principais produtoras americanas, fechou uma das suas fábricas após surgirem dúvidas sobre a segurança do leite.

A fábrica em questão, no Michigan, era a maior do país e produzia cerca de 20% do leite em pó consumido nos EUA, mas foi encerrada após quatro bebés terem contraído uma infecção bacteriana depois de consumirem produtos lá criados. Duas das crianças acabaram mesmo por morrer.

O CEO da Abbott, Robert Ford, já pediu desculpa pelo sucedido num artigo publicado no The Washington Post. “Pedimos desculpa a todas as famílias que desiludimos desde que o nosso fecho voluntário exacerbou a escassez de leite em pó. Acreditamos que o encerramento foi a coisa certa a fazer. Não arriscamos quando a saúde das crianças está em causa”, revela.

A falta de leite em pó também já levou à hospitalização de algumas crianças, visto que alguns dos produtos em falta são essenciais para bebés que tenham alergias ao leite de vaca ou que tenham problemas digestivos. Ford adianta que a Abbott criou um fundo de cinco milhões de dólares para ajudar as famílias mais afectadas.

O presidente da câmara de Nova Iorque, Eric Adams, também já declarou o estado de emergência para impedir o aumento do preço do leite em pó.

“Esta ordem executiva de emergência ajudar-nos-á a reprimir qualquer comerciante que queira capitalizar com esta crise aumentando os preços desta mercadoria essencial. A nossa mensagem para mães e famílias em dificuldades é simples: a nossa cidade fará tudo ao seu alcance para as ajudar durante este período desafiador”, disse Eric Adams, do partido Democrata, em comunicado.

A regra define como uma “margem de preço excessiva” 10% ou mais acima do preço normal do produto. O ex-presidente da câmara de Nova Iorque Bill de Blasio já tinha promulgado esta mesma medida no início da pandemia de covid-19, quando as lojas começaram a aumentar os preços de desinfetantes e máscaras.

  Adriana Peixoto, ZAP //

4 Comments

  1. Por cá abatem-se produções de leite com os seus prejuízos familiares e comunitários com o desemprego e terrenos ao abandono, compra-se leite em pó no estrangeiro e depois fabricam-se queijos frescos que o consumidor imagina estar a consumir vindo de leite puro das nossas vacarias!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.