Autoridades temem que Trump revele segredos de segurança nacional dos EUA

Chris Kleponis / EPA POOL

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Enquanto Presidente, Donald Trump revelou informações altamente confidenciais para atacar OS seus adversários, obter vantagens políticas e impressionar ou intimidar governos estrangeiros, em alguns casos colocando em risco as capacidades de inteligência dos Estados Unidos (EUA).

Já no papel ex-Presidente, tanto funcionários, como analistas e ex-chefes de Estado acreditam que Trump pode fazer o mesmo, o que representa um dilema de segurança nacional único para o governo Joe Biden, segundo escreveu Shane Harris num artigo publicado na terça-feira no Independent.

Todos os Presidentes deixam o cargo sabendo de informações sobre procedimentos para o lançamento de armas nucleares, recolha de inteligência – incluindo dentro de governos estrangeiros – e desenvolvimento de novos sistemas de armas. Contudo, segundo essas autoridades, nenhum novo Presidente teve que temer que o seu antecessor pudesse expor os segredos do país, como pode acontecer agora com Biden.



Além de já ter divulgado informações secretas anteriormente, Trump está “endividado e zangado” com o Governo dos EUA, particularmente com o que descreve como uma conspiração que acredita ter tentado impedir que ganhasse a Casa Branca em 2016 e considera estar a privá-lo da reeleição.

“Qualquer pessoa descontente, insatisfeita ou prejudicada corre o risco de divulgar informações confidenciais, seja como atual ou como ex-ocupante do cargo. Trump certamente se encaixa nesse perfil”, indicou David Priess, ex-oficial da CIA e autor do livro “The President’s Book of Secrets”.

Como Presidente, Trump teve acesso a todas as informações confidenciais do governo e autoridade para desclassificar e compartilhar qualquer uma delas. Depois de deixar o cargo, ainda terá acesso aos registos confidenciais da sua administração. Mas a capacidade legal de divulgá-los desaparece quando Biden tomar posse, em janeiro.

Muitos especialistas notaram, porém, que Trump pretou pouca atenção durante os ‘briefings’ de inteligência, não tendo demonstrado grande entendimento sobre os temas relativos à segurança nacional.

“Um Presidente experiente e informado, com as características de Trump – incluindo falta de autodisciplina -, seria um desastre. Mas ele não estava a prestar atenção”, disse Jack Goldsmith, que dirigia o Escritório de Assessoria Jurídica no Departamento de Justiça da administração George W. Bush e é coautor de “After Trump: Reconstruting the Presidency”.

Embora as hipóteses de que Trump conheça detalhes sobre inteligência sejam poucas, está a par de fatos significativos sobre o processo de coleta de inteligência, valiosos para os adversários.

Jim Lo Scalzo / EPA

Joe Biden

“O Presidente encontra e possivelmente absorve grande parte da capacidade que há ao nível de inteligência”, indicou John Fitzpatrick, um ex-oficial de inteligência e especialista em sistemas de segurança usados ​​para proteger informações confidenciais, inclusive após a saída de um Presidente.

O tipo de informação que Trump provavelmente saberá, continuou Fitzpatrick, inclui capacidades militares especiais, detalhes sobre armas cibernéticas e espionagem, os tipos de satélites usados ​​pelos EUA e os parâmetros de quaisquer ações secretas que, como Presidente, apenas aquele tinha o poder de autorizar.

Trump também sabe de informações sobre espiões norte-americanos e plataformas de coleta, que poderiam expor as fontes mesmo que este não soubesse exatamente como as informações foram obtidas.

Os especialistas concordam que o maior risco que Trump representa fora do cargo é a divulgação de informações. Mas não descartaram que este possa negociar segredos, em troca de favores, para obter vantagem com clientes em países estrangeiros ou para se vingar dos seus inimigos. Quando deixar o cargo, enfrentará uma dívida esmagadora, incluindo centenas de milhões de dólares em empréstimos.

“Pessoas com dívidas significativas sempre são motivo de grande preocupação para os profissionais de segurança”, disse Larry Pfeiffer, um veterano de inteligência e ex-chefe de equipa do diretor da CIA Michael V Hayden. “A condição humana é frágil. E pessoas em situações terríveis tomam decisões terríveis. Muitos dos indivíduos que cometeram espionagem contra o nosso país são pessoas que estão financeiramente vulneráveis”.

Na prática, há pouco que o governo Biden possa fazer para impedir Trump de revelar segredos nacionais, visto que os ex-Presidentes não assinam acordos de sigilo quando deixam o cargo, mantendo o direito de acessar a informações da sua administração, incluindo registos confidenciais. “Fora dos limites da Lei de Registos Presidenciais, não há limites, exceto o comportamento do Presidente”, referiu Fitzpatrick.

Biden pode recusar dar a Trump quaisquer instruções de inteligência, algo que ex-Presidentes recebem antes de se reunirem com líderes estrangeiros ou embarcarem em missões diplomáticas a pedido do atual Presidente.

“Acho que essa tradição termina com Trump. É baseado na cortesia e na ideia de que os Presidentes podem convocar os seus predecessores para obter conselhos. Não vejo Biden a ligar para Trump para falar sobre questões de segurança nacional e inteligência. E não acho que Biden o enviará a lugar algum como emissário”, acrescentou.

A última linha de defesa poderia ser um processo criminal. A Lei de Espionagem foi usada com sucesso para condenar atuais e antigos funcionários do Governo que divulgam informações que prejudicam a segurança nacional do país, medida nunca usada contra um ex-Presidente.

  ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Devem controlar o dito cujo, fazer escutas aos seus telefones, quartos de hotel para onde vai, e tudo o mais, pois, pode colocar o seu país em risco, para seu benefício privado. Já tinha pedido ao Presidente Chinês para a China comprar soja e outros produtos agrícolas americanos, para lhe garantir a reeleição. E acho que teve atitudes idênticas com outros noutros contextos. De certo que fazendo-lhe esses favores ele daria alguma contrapartida não é assim?

  2. Desse anormal, é de esperar tudo. Depois de ter dado provas da sua incapacidade e inabilidade para ser chefe de estado de uma nação como os EUA, e para além da sua reconhecida patologia de mentiroso compulsivo, está agora a revelar-se como um autêntico ditador de país do terceiro mundo, agarrado ao poder como se não houvesse amanhã, e de onde parece que só pretende sair dentro de 4 tábuas. Alguém lhe faça a vontade.

  3. O Donald Trump deve se instalar em África porque para mim ele é um africano com pele de branco. Não serve para o cargo de Presidente dos EUA.

  4. Isto vai piorar ainda mais quando ele vai ser alvo de escrutínio sério nos seus negócios. Mas depois da primeira revelação ele pode ser fechado num manicómio particular num dos Torres Trump

RESPONDER

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …