“Não devemos o silêncio ao presidente”. Autor de artigo crítico sobre Trump revela identidade

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Um antigo dirigente do Governo dos Estados Unidos revelou que foi o autor, em 2018, de uma coluna de opinião anónima e depois de um livro, em que denunciava o comportamento de Donald Trump.

“Não devemos o silêncio ao presidente. Devemos-lhe, e ao povo, a verdade”, escreveu Miles Taylor, antigo chefe de gabinete da secretária do Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em Inglês), Kirstjen Nielsen, em artigo publicado no sítio da Internet do Medium, intitulado “Porque já não sou anónimo”.

Aí sublinha que é “um republicano” e que quis “que o presidente tivesse sucesso”.

Este antigo alto funcionário, que trabalhou no DHS entre janeiro de 2017 e o verão de 2018, porém contrapôs: “Muito frequentemente em tempos de crise, vi Donald Trump provar que não tem caráter e as suas fraquezas pessoais provocaram falhas de liderança, que se podem medir em perdas de vidas [norte-]americanas”.

Garantiu que numerosos membros do Governo são da mesma opinião, mas que “a maioria hesita em exprimir-se por medo de represálias”.

Uma porta-voz da Casa Branca, Sarah Matthews, criticou o The New York Times por ter garantido o anonimato “a um responsável de nível inferior”.

Em setembro de 2018, o diário nova-iorquino publicou um texto explosivo intitulado “Faço parte da resistência no seio do governo Trump”, que tinha sido escrito, avançou então o título, por um “alto responsável” do Executivo.

No texto contava como ele e outros se esforçavam por lutar, do interior, contra as “piores tendências” de um presidente com uma liderança “mesquinha”, “impetuosa” e “ineficaz”.

Acusava Trump, em particular, de prejudicar “a boa saúde” da República.

Quando o texto apareceu, houve uma controvérsia forte. Donald Trump gritou”traição”.

Esta foi a primeira vez que o Times, que diz querer proteger a identidade da fonte para evitar a sua expulsão da Administração, publica um artigo de opinião de uma fonte que mantém o anonimato e que desvenda uma corrente contra o mandatário norte-americano dentro do próprio Governo.

Um ano depois, o “Anónimo”, como assinou o artigo no jornal, publicou um livro intitulado “A Warning” (“Um Aviso”), um “testemunho chocante, em primeira mão, sobre o presidente Trump e o seu trabalho”, segundo o seu editor.

Miles Taylor justificou esta quarta-feira a sua escolha pelo anonimato. “Quis que a atenção se focasse nos argumentos em si”, mais do que oferecer a Trump uma ocasião para “desviar a atenção com recurso a insultos mesquinhos e a nomes de pássaros”.

A menos de uma semana para a eleição presidencial, Taylor apelou aos eleitores para que “coloquem o país acima do partido” e votem no democrata Joe Biden.

“Penso que a decência de Joe Biden vai unir-nos onde a desonestidade de Donald Trump nos dividiu”, garantiu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Da "política do filho único" a incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …

Os assentos do meio da Delta Air Lines vão continuar vazios

A companhia norte-americana Delta Air Lines anunciou esta semana que continuará a manter os assentos do meio vazios, mantendo a política de distanciamento social decretada por causa da pandemia de covid-19. A bloqueio destes lugares intermediários …