Autoeuropa pode mudar-se para Marrocos, avisa Mira Amaral

Dave Pinter / Flickr

Fábrica Volkswagen

O impasse que continua na Autoeuropa, com os trabalhadores a manterem o braço-de-ferro com a administração da fábrica do grupo Volkswagen, por causa dos turnos impostos aos sábados, pode levar a empresa a mudar-se para o estrangeiro, nomeadamente para Marrocos, avisa Mira Amaral.

Mira Amaral era o ministro da Indústria de Cavaco Silva quando a Autoeuropa se instalou em Portugal. E agora, o ex-político encara o futuro da empresa em Portugal com preocupação e pessimismo, confessa ao Dinheiro Vivo.

“Se não houver juízo, a Autoeuropa está em situação de desvantagem em relação a outras fábricas que ficariam encantadas por receber novas produções”, aponta Mira Amaral, sublinhando em particular o caso de Marrocos que “está a ter uma expansão fabulosa e tem recebido investimentos da indústria automóvel europeia”.

Assim, Mira Amaral apela ao “bom senso” dos trabalhadores que têm marcada mais uma greve na fábrica de Palmela para 2 e 3 de Fevereiro próximos.

Trabalhadores e sindicatos ainda esperam alterar o novo horário transitório anunciado unilateralmente pela Autoeuropa, no passado mês de Dezembro, para vigorar de Fevereiro a Julho de 2018. Mas a administração da empresa tem sido intransigente e só pretende negociar os novos horários de laboração contínua, que deverão ser implementados a partir do mês de Agosto.

Numa semana com várias reuniões marcadas entre trabalhadores, sindicatos e administração, Mira Amaral diz que não entende a postura dos trabalhadores.

“Os trabalhadores da Autoeuropa têm, no contexto português, salários superiores a muitos colegas de outras fábricas”, atesta o ex-ministro. “Não querem trabalhar ao sábado? Pelo amor de Deus. Temos de ser realistas”, acrescenta, notando que a Volkswagen “faz um investimento fabuloso num produto que já se sabe que vai ter grande aceitação” e que “criou mais postos de trabalho”.

Mira Amaral refere que teme pelo futuro da empresa em Portugal e lembra aos trabalhadores que devem “perceber que a Autoeuropa compete com outras fábricas do grupo alemão”. “Quando a produção deste modelo acabar ou quando for preciso produzir outro modelo, vão aparecer responsáveis de outras fábricas com argumentos que a Autoeuropa não tem depois deste período de greves e de irrealismo laboral“, constata.

Além das questões relacionadas com a remuneração aos sábados, a Comissão de Trabalhadores defende também que o trabalho naqueles dias deveria ser voluntário e não obrigatório, como prevê o novo horário transitório apresentado pela empresa.

No final do ano passado, a administração da Autoeuropa anunciou a intenção de avançar unilateralmente com o novo horário transitório, após a rejeição de dois pré-acordos negociados previamente com duas Comissões de Trabalhadores.

Apesar do protagonismo assumido pelos sindicatos nos últimos meses, a administração da fábrica deverá manter-se fiel à política da empresa de só negociar com a Comissão de Trabalhadores, sendo certo que alguns dos representantes dos sindicatos também integram aquele órgão.

A Autoeuropa estima produzir mais de 240 mil veículos Volkswagen T-Roc em 2018, quase triplicando a produção de 2016, o que levou a empresa a contratar cerca de dois mil novos trabalhadores e a implementar um sexto dia de produção, aos sábados, até Julho deste ano.

Após o tradicional período de férias no mês de Agosto, a Autoeuropa deverá então iniciar a laboração contínua na fábrica de automóveis de Palmela, de forma a satisfazer as muitas encomendas no novo veículo T-Roc, que, segundo fontes da empresa, está a ter uma boa aceitação no mercado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

56 COMENTÁRIOS

  1. Mas provavelmente é o que os trabalhadores vão ganhar…. deslocação para outro país e os trabalhadores todos para a rua…. Depois vão pedir para o Partido comunista vos pagar…PODEM-SE DAR AO LUXO DE TER TRABALHO E DAS MELHORES CONDIÇÕES QUE EXISTEM NO PAÍS E O QUE QUEREM?. Vão atrás do partido comunista e dos trabalhadores comunistas que ainda se vão lixar todos!!!! E, claro, todas as empresas que para lá produzem….. Lembram-se do conto do VELHO, o SACO, e o OURO!!!!!!?!!!!

    • Isto é ironia ou apenas ignorância?!
      Se bem que de alguém que se chama “otário”…
      O PCP é para aqui chamado porquê?
      É que nem os sindicatos tem a mesma posição da comissão de trabalhadores (e onde só uma minoria é sindicalizada)!…
      A comissão de trabalhadores são, como o nome indica “trabalhadores” e eles é que sabem as condições de trabalho que tem e o que se passa na fabrica!!
      “PODEM-SE DAR AO LUXO DE TER TRABALHO E DAS MELHORES CONDIÇÕES QUE EXISTEM NO PAÍS E O QUE QUEREM?”
      Melhores condições que existem no país?!
      Hahahaa!…
      Ouvi dizer que o Mexia até vai deixar a EDP (onde ganha 7 mil euros por dia!) para ir trabalhar para a Autoeuropa, tal é o “luxo” de trabalhar lá!…
      Enfim…

      • Deves viver noutro país… não estou a falar em ordenados despravados de individualidade políticas e administrativas que venderam a menos de saldo ou deram o país ao desbarato, melhor falando de traidores e seus cúmplices….. Tens dúvidas de que o pc anda metido nisso? Nunca e em nenhum País o partido comunista ajudou a não ser a destruir… Se és um deles, certamente que tens uma visão diferente. Isso é lá contigo.. há quem prefira a Coreia do Norte ou o Japão… Quase 70% dos salários deste país é salário mínimo, e pelo que julgo isso não existe na Auto Europa. Tens dúvidas de que a Auto Europa pode mudar para outro país? Eu não! Olha que mais vale um na mão que 100 a voar! O problema não é meu… é de tantos funcionários que lá trabalham e suas famílias e de outros funcionários de outras companhias fornecedoras da Auto Europa…que podem ficar sem sustento por causa de meia dúzia deles… Amigo, otário sim… mas não burro! Se vives neste país que mais és senão um otarinho?!!

        • Não, claramente não vivo nesse teu país de otários!…
          Vivo em Portugal e aqui, embora tenha vindo a subir nos utlimos anos, a percentagem de trabalhadores a receber o salário mínimo é de 20,6% (dados de 2016 – os últimos disponíveis).
          Esses “quase” 70% deve ser mais uma alucinação, tal como essa tua teoria de que o PCP tem algo a ver com esta situação da AutoEuropa!..
          Nem o PCP, nem os sindicatos – as decisões tem sido tomadas apenas e só pelos trabalhadores, repito: trabalhadores!!
          Portanto, se alguém tem alguma coisa a dizer (e a perder ou a ganhar), primeiramente são eles – não és tu que, claramente, nem fazes sequer ideia do que se passa!
          .
          O que eu prefiro é que os direitos do trabalhadores sejam respeitados e que lhes seja pago um valor justo pelo trabalho extra que lhes é exigido!!
          Se te contentas com o salário mínimo (ou não tens capacidade para mais!), isso é problema teu – não penses que são todos assim tão básicos ou cobardes para aceitar todo de mão beijada!…
          Essa teoria da AutoEuropa mudar de país é apenas uma chantagem vergonhosa e inaceitável – se todos fossem como tu, aposto que a esta hora estava tudo a trabalhar pelo salário mínimo!!
          E, daqui a pouco, a fábrica fazia mais uma chantagem e exigia que se trabalhasse 7 dias por semana porque senão iria para outro país, e, lá ias tu todo contente trabalhar “de borla” para enriquecer os mafiosos da VW!…
          Afinal, mais vale 1 na mão do que 100 a voar; não é?!
          Pois!…
          .
          Eu não tenho dúvidas que a AutoEuropa não só pode, como, mais tarde ou mais cedo, vai mudar para outro país!!
          É apenas uma questão de tempo e oportunidade – “mamam” aqui em Portugal (mão de obra barata e subsídios milionárias do Estado), enquanto não arranjam outra “teta” melhor num outro qualquer país do mundo!…
          Ou achas que empresas dessas andam cá a fazer favores a alguém?!
          E logo quem!!…

          • O melhor mesmo é não ter cá empresa nenhuma, nem destas nem das outras, só estão bem é quando há miséria, sempre foi assim, mas desta vez vão todos de c…., até ao fim do ano vai acabar se o guito, depois quero vê-los acusar a Alemanha de não nos deixarem emprestar mais, só na quarta feira foram 4MM, assim vão todos ao fundo, juntinhos, depois vão fazer greves nacionais, uma por semana.

            • Ah?!
              Foi essa a conclusão a que chegaste depois de ler o meu comentário?!
              Brilhante!…
              Mas, como não queres empresa nenhuma, não queres vir trabalhar para mim pelo salário mínimo?!
              Mas, espero que valhas pelo menos isso!…

  2. Daqui a nada temos todos de trabalhar Sábados, Domingos e Feriados, sem férias, sem feriados e ainda agradecer!

    PORQUE SENÃO VÃO EMBORA !!!!!!!!!!!

  3. Ja esta em Marrcos, dai so ter malandros que nao querem trabalhar.

    Mudem a Autoeuropa para Portugal (O Norte) e vejam como se acabam as merdas e aumenta a produtividade.

  4. DEVE HAVER BOM SENSO, ou então……não fico nada chateado que vão para Marrocos………..SÓ FICO CHATEADO se não levarem com eles os sindicalistas e os que contribuiram para que fossem embora…..

    • Boa JOE. Estou de acordo contigo….
      Essa “tropa” da AUTOEUROPA que têm dos melhores salarios que se pagam no nosso pais ainda não viram que a exemplo de outras nontadores (es: GM na Azambuja…que até mamou a bruta dos subsidios do governo…) estão-se nas tintas para os TUGAS…é só estrelar os dedos e lá vão eles…depois vao se queixar ao TOTTA, que é como quem diz aos sindicatos…

  5. É um facto que não querer trabalhar ao sábado pode ser um desejo, mas então paramos o País. Porque assim para tudo. Transportes-Hospitais- etc..etc…. Ou será só que são os trabalhadores da Auto Europa que tem familia?
    Há anos que trabalho aos sábados, e tb aos feriados e tb tenho familia.

    Depois quando não tiverem trabalho e ficarem no desemprego, façam manifestações………a dizer….”Queremos Emprego” ( mas não trabalho)

  6. Estes sindicatos e comissões enfim,porque não os vejo desde a muitos anos por exemplo a lutar pelas mulheres da limpeza que se levantam as 4 e 5 manhã a ganhar uma miséria, tenho é muita pena que estes sindicatos hoje em dia só defendam exemplo enfermeiros,médicos, e grandes grupos que lhes dá visibilidade pois normalmente até são trabalhadores que ganham mais que o comum Português, enfim.

  7. Jorge Silva
    Quanto mais taem mais querem como são dos mais bem pagos do pais já não querem trabalhar, então dêem lugar a quem quer, costuma-se dizer quem não está bem muda-se. quando a fabrica for embora vivem melhor do subsidio de desemprego.

  8. Brincar com o fogo dá asneira.
    É que eu já estou CHEIO de pagar impostos, e NÃO HÁ MESMO ESPAÇO para mais impostos.
    Esta gentalha vem para a rua e juntam-se aos do “TRABALHO” mínimo garantido, e os BURROS que fazem alguma coisa pagam a fatura.
    É preciso ter “solidariedade” com quem a merece….

  9. Não sou afecto a partido nenhum. Mas quem me conhece sabe de que lado estou e sempre estive, que é do lado de quem TRABALHA. E estou desse/deste lado porque TRABALHAR foi o que fiz e é o que faço, há quase 70 anos, o que significa que comecei, por força das circunstâncias, pouco depois da primeira infância. Isto deixa-me à-vontade para encarar questões laborais com alguma consciência decorrente da análise e da crítica possíveis inerentes a cada situação.
    Não é, porém, o que acontece neste caso. Sei que a Auto-Europa existe e que há um contencioso entre a entidade patronal e os seus trabalhadores. Mas eu nunca lá trabalhei, tão pouco conheço o local exacto onde a empresa se situa. Por isso não se me oferece dizer muito sobre o assunto, e especular sobre o mesmo também não faz sentido.
    Como se lê no comentário do “Eu!”, os “trabalhadores” … é que sabem as condições de trabalho que têm e o que se passa na fábrica!!»
    Eu acrescento que seria profícuo que esses mesmos trabalhadores também conhecessem as condições de trabalho e o que se passa nas outras empresas, sejam elas de que ramo for. Talvez pensassem um pouco mais…

  10. Aparece por aqui um ou outro na defesa íntegra dos trabalhadores sem olharem sequer ao interesse da empresa e muito menos do próprio país, isto acontece frequentemente sobretudo quando está em causa sindicatos e sobretudo a CGTP o que denuncia uma profunda opção ideológica indisfarçável, no entanto esses comentadores apenas demonstram desconhecer o modo de funcionamento dos países mais evoluídos da Europa e da forma de trabalhar das suas empresas, perguntem aos emigrantes como é e logo irão ver se estes recebem por lá o salário deitados à sombra da bananeira e se são as empresas que trabalham segundo o gosto de cada um ou se são eles que terão que se adaptar aos interesses das mesmas, esses comentários mais parecem de gente terceiro-mundista alérgicos ao trabalho mas não ao dinheiro!.

    • Concordo plenamente, o problema são as subserviências ideológicas que condicionam o relacionamento trabalhador/patrão.
      Enquanto certos partidos, sabem do que falo, continuarem a meter-se onde não devem, não vamos a lado nenhum e entretanto as situações extremam-se, no final as empresas cansam-se destes impasses estúpidos e vão para outro lado, claro que quem se lixa é o mexilhão, mas sinceramente quem se deixa manipular desta forma não merece outra coisa, pode ser que quando já estiverem no desemprego abram a pestana embora eu tenha as minhas dúvidas.

      • Desolado: também eu estou de acordo consigo mas neste caso da manipulação dos trabalhadores (sindicatos) pelos partidos o que eu mais lamento é precisamente os trabalhadores não entenderem de uma vez por todas que entre eles não pode haver divisões ideológicas (partidos) e para que isso não exista há que haver gente à frente dos sindicatos impermeável a manipulações para desta forma conseguirem um maior número de aderentes e passarem a negociar com o patronato mais seriamente, em França já eu assisti ao auge sobretudo da CGT e UGT e à decadência das mesmas sobretudo porque milhões de trabalhadores começaram a perceber que de facto ideologia política e trabalho não casam muito bem.

    • Excelente comentário.
      Eu sempre tive de trabalhar segundo as necessidades do patrão. Afinal, é para isso que contratam as pessoas, porque precisam delas.
      Há aquele ditado, se estás mal muda-te.
      Por isso, se os senhores trabalhadores da Autoeuropa acham que estão a ser explorados, apresentem a carta de despedimento e vão trabalhar onde possam folgar ao fim de semana!
      Já agora, se calhar gostam de ir ao Shopping, ou a uma grande superfície ao fim-de-semana, não?
      Se houverem despedimentos, vão pedir os subsídios aos sindicatos!

  11. Concordo a 200% , a minha familia ja vem de gerações de emigrantes e eu sou também a muitos anos.
    Ja venho a dizer isto a muitos anos mesmo , o pogo português para dos mais pobres da europa , estão demasiado esquisitos . Em portugal são todos não quero isto naor quero aquilo , depois se não ficam em portugal a ganhar a vida dos impostos de quem trabalha , esses mesmos que em portugal não querem trabalhar a um sabado e a serem bem pagos ,acabam em paises como Inglaterra ou Alemanha a trabalhar sabados , domings , dias de festas e nem se podem queixar .
    Muitos portugueses deveriam conhecer a realidade pelo norte da europa e perceberiam o porquê de esses paises terem a economia que se sabe…
    Mas como sempre por portugal , nao tarda nada vão acabar por culpar mais uma vez o governo .

    • A autoeuropa está a recrutar. És sempre bem vindo. Se quiseres meto aqui o link. Com as calças do meu pai eu tambem sou um homem. Podem sempre ir para lá trabalhar! Eu também ja estive a trabalhar fora de Portugal, na Alemanha. Na Vw, na casa mãe. O que pagam lá também é bem diferente. Quando lá estive e com as condicoes que eles têm, aquilo é uma colonia de férias. E os indices de qualidade daqui e a exigência é 10 vezes superior. Por alguma razão eles estão cá. Por pagarem um pouco melhor que no resto do pais, nao significa que nós estamos mal. Significa é que existe um patrao que paga mal e anda a passear-se de Porsche, Bmw, Mercedes ou mesmo Ferrari, e que nao investe um tusto, para melhorar a produtividade da sua empresa e muito menos, em dar formação aos seus empregados.
      Quando perceber alguma coisa de produtividade e que uma boa estrutura familiar e pessoal, fazem com que as empresas e as pessoas, neste caso os trabalhadores, sejam mais produtivos, vai perceber que está a dizer uma barbaridade de uma pessoa ignorante.
      As pessoas emigram por 2 razoes. A primeira é por ambições profissionais, e a segunda é porque os seus paises de origem nao tem estruturas. Espero que no seu caso seja o primeiro. Logo, enquanto houver patrões a pagar mal, e enquanto nao houver estabilidade pessoal, o comum trabalhador vai sempre emigrar e terá de certeza a vontade de voltar. É o seu caso?!?! Espero que a vida no pais onde está, lhe dê todas as oportunidades que deseja. E espero também que olhe à sua ascendência e lhes agradeca o sacrifício que fizeram, para lhe proporcionar todas as boas condicoes que ai tem. Pois eu vejo os colaboradores da Autoeuropa a ganhar 660€ a terem que pagar amas para os seus filhos a 150€ por mes por 3 fins de semana. E sao os que as conseguem arranjar. A esses 660 tira 150 e ficam 490, depois tira 11% para a seguranca social 72.6 euros e sobram 437.4 euros. E a esses 660 euros tira 8.5% para a segurança social que sao mais 56.1 euros. E ainda Atl (dos baratinhos) de 120 euros para durante a semana. Pelos meus cálculos sobram no final disso tudo 261.3€. Divida isto por 30 dias e sao 8.71€ por dia para comida e despesas. Acho que são uns mal agradecidos e uns burgueses!?!? Nao acha!?!? Dai o meu convite sincero para vir para ca trabalhar.
      Ainda assim vejo mulheres na linha a chorar que não aguentam o ritmo de trabalho e têm filhos e despesas para pagar. Se for um casal sempre levam juntos para casa 16.42€ dia para despesas e comida. É so um total de 522.6€ por casal. Dai mais uma vez o meu convite. Sao sempre bem vindos. Tanto para a Vw como para Portugal.
      Bem hajam seres iluminados donos da razão e do bom senso.

      • Eu não tenho nada que agradecer a ninguém ,pois na verdade sai de portugal contra a vontade da família , e sai por mim sem ajuda sem ajuda e de ninguém e sem conhecer ninguém onde ja me encontro a mais de 16 anos , trabalhei como soldador , trabalhei ajardineiro a chuva a neve para chegar onde estou hoje , estava com uma empresa em portugal mas não rendia aquilo que eu achava certo .
        Não me sentei a queixar . Peguei na mala e vim a procura de melhor e aqui estou até joje e sem pensar voltar sequer a portugal , ferias e mais nada.

        • Ah!…
          Então, para ti “não rendia aquilo que eu achava certo”, mas agora achas que tens a autoridade e a moral para dizer aos outros trabalhadores (neste caso aos da AutoEuropa) o que eles tem que achar certo ou errado!!
          Muito bem… nota-se logo que és um ser superior…
          Por acaso gostava de saber que trabalho “de luxo” é esse que tens no estrangeiro…
          Aposto que os naturais desse país tem todos inveja de não ter um emprego como o teu!…
          Ou não!…

        • Exposto dessa forma, em parte vai de encontro ao que eu disse. Mas será que temos que emigrar todos do nosso país? E deixar apenas os patroes os políticos, Ou temos que tentar melhorar as “nossas” condições de trabalho e sociais? Boa sorte e um grande abraco.

      • Eu também posso dizer que é o sol que anda à volta da terra, não acreditas? vai à rua e vê.
        Devem pensar que os outros acreditam em patranhas dessas, podia ter sido um pouco melhor estruturada,mas não foi.

      • Caríssimo burguês, os números que se deu ao trabalho de apresentar, não deixarão ninguém indiferente, tenho a certeza. Mas para já uma pergunta: Não se enganou nas contas? Volta a elas…
        Estranho o salário de 660 euros, quando já ouvi falar em duas ou três vezes mais. Mas não trabalho aí, não posso confirmar nem desmentir o que expõe.
        Agora não se esqueça de que por este país fora há milhares e milhares de homens e de mulheres a ganharem o salário mínimo e até menos, o que significa que os trabalhadores da A. E. não são os mais mal pagos.
        Sou defensor acérrimo de salários justos (e aqui a palavra justos tem um sentido preciso). Mas não nos esqueçamos da debilidade da nossa economia. Por que será que as empresas estrangeiras se instalam em Portugal? Pelo clima?
        O problema dos baixos salários só terá solução quando Portugal souber o que quer e for capaz de se impor cientifica, tecnológica e estruturalmente aos restantes países. Será muito difícil porque temos medo de acreditar em nós próprios, preferindo o entretenimento com joguinhos políticos, futebol, praias, religiões, melodramatismos e pimbalhices; contentamo-nos com o grau de iliteracia em que nos encontramos, com a pseudo-educação que abraçamos e até nos iludirmos com a facilidade que agora temos de sermos doutores em apenas três anos…, não esquecendo o jeitinho para as estratégias corruptas que desenvolvemos.
        Será que isto é SER PORTUGUÊS? Penso que não. Há que acordar do letargo em que nos encontramos, para deixar de fazer sentido comentários como os nossos.
        Bom fim de semana, mesmo que seja a trabalhar.

    • Então porque saíste de Portugal?!
      Já que não és esquisito, volta para cá e anda trabalhar para mim pelo salário mínimo, e como bónus, também trabalhas ao Sábado, ao Domingo e dias de festa!
      Se calhar, esses países do norte da Europa tem essa “economia que se sabe”, porque tem uns palermas que vão para lá fazer os trabalhos que eles não querem fazer e que ainda ficam contentes por trabalhar “Sábados, Domingos e dias de festa”…
      Queria ver a VW a aplicar uma medida destas na Alemanha e ver a reacção dos trabalhadores alemães…
      Pois…
      E tu, se conhecesses a realidade da AutoEuropa, saberias que eles, sempre que foi necessário, trabalharam aos Sábados (e ainda agora trabalham!), e nunca houve qualquer problema!
      O que não querem é ser OBRIGADOS a trabalhar aos Sábados – como a empresa agora exige!!

      • Palhaço ,esses a quem tu chamas de palermas ,sao aqueles que fazem vida e chegam onde querem a trabalhar e nao apenas a chorar que nunca nada esta bem , e continuam a espera que lhe caía tido do céu , sai de portugal pois as pessoas ai querem tudo mas não querem pagar o preço justo .
        Pois quando pedia ai por um trabalho 500 euros e era sempre caro para as pessoas , aqui peço 2500 euros e as pessoas dizem que e barato .
        Sou pai de dois filhos e nem por isso deixo de trabalhar 16 horas por dia sabados domingos e até dias como natal se for preciso sem problema algum .
        A vida e assim mesmo , trabalhar para se chegar onde queremos e nao esperar que venham outros nos oferecer seja o que for..
        Pela forma que falas deves ser mais um desses estilo brasileiro , trabalhar dois dias por semana e ficar a gozar o resto da semana.
        E para acabar e muito simples , se as pessoas tanto se queixam , e simples e sair e procurar condições melhores seja la onde for… como tantos outros fazem , não é a gazerem queixas que chegam a algum lado…

        • Palhaço?!
          Não sou, nem trabalho nas artes…
          Mas estou a ver que te serviu a carapuça!…
          “Fazem vida”?
          Claro; fazem vidas de palermas!!…
          .
          “sai de portugal pois as pessoas ai querem tudo mas não querem pagar o preço justo.”
          Mau… então para ti não servia e agora queres obrigar os outros a trabalhar sem receber o “preço justo”?!
          Que confusão vai nessa cabeça!…
          Pedias 500 e era sempre caro?!
          Pois, se calhar cá havia melhor do que tu e mais barato!…
          Mas, não é isso que tu defendas para a AutoEuropa (trabalhar muito e barato)?!
          Ou é só para os outros?!
          Pois!…
          Vai lá à AutoEuropa pedir 2500€ a ver o que ele te dizem!…
          .
          Eu desde sempre que trabalho quase todos os Sábados (e alguns Domingos e Feriados), mas porque quero – ninguém me obriga.
          Se as empresas precisam e me pagam por isso eu vou – mas porque quero; porque no dia em que me disserem que a partir de amanhã vais trabalhar obrigatoriamente aos Sábados a coisa muda de figura!…
          Percebido?

          • Pois eu acho que não lhe posso chamar outra coisa a não ser palhaço mesmo , deves ser a mais uns que gosta de boa vida sem fazer nada.
            Eu o cromo eu não tenho que ir pedir nada a ninguém pois eu sou alguém que quando não estou nem procuro melhor ,nao me ponho a queixar . Quanto aos 2500 euros que falas foi uma comparação entre portugal e onde me encontro . Não e que tenha sido obrigado a sair dai , mas são escolhas.
            Da mesma forma que quem esta mal na autoeuropa que procure melhor pois ninguém lhes apontou uma arma a cabeça para os obrigar , sigam e deixem ficar quem não se queixa e trabalha.
            No outro ponto se as pessoas de ca gicam com inveja do que faço ou tenho ,não estou nem ai pois consegui rudo a trabalhar quase dia e noite ,sabados domingos natal e por ai sem nunca me queixar . Quem tiver inveja que faça o mesmo que eu e chega la.
            O grande problema da mentalidade de muitos portugueses e quererem fazer vida de ricos num pais de pobres e querem ter o poder economico do resto da europa quando nada fazem por isso.
            Mas eu nem sequer deveria estar a perder o meu tempo com alguém que certamente nunca pos os pés fora de portugal para trabalhar , e vem para aqui com tretas de chico esperto , deve ser mais um mantido pela mama e papa ou outro a mamar dos subsídios do estado.
            Quanto a autoeuropa tenho a solução perfeita para eles , mudem a empresa para o norte do pais e deixem os importantes lisboetas , pois no norte não faltara boa gente a querer trabalhar sem se queixarem…. e ficamos por aqui

            • Pois, bem me parecia!…
              Quando não se tem capacidade para mais, sobra o insulto, o “deves ser”, o papa e a mama, etc!…
              .
              Mas “chega lá” a onde?!
              À quase escravidão, à falta de “vida”, à ignorância, à falta de cultura/educação?!
              Que qualidade de vida!…
              Aposto que esse é um “luxo” que todos os povos do norte da Europa querem alcançar!…
              .
              “consegui tudo…”
              Tudo o quê?!
              E os trabalhadores da AutoEuropa estão a “procurar melhor” – tu é que não queres que eles procurem melhores condições de trabalho e se sujeitem às imposições de uma multinacional manhosa, que resolveu alterar as “regras” a meio do jogo e de forma unilateral!!
              .
              Eu trabalho várias vezes fora de Portugal para uma empresa portuguesa que produz em Portugal e exporta e contribui para o desenvolvimento de Portugal; ao contrário de ti que queres que os empregados portugueses trabalhem muito por pouco (os outros, claro – que tu não quiseste o mesmo para ti e “fugiste”)!!
              De vez em quando apanho alguns “ricos” como tu que ganham algum dinheiro no estrangeiro mas que na verdade são muito “pobres”, principalmente de espírito!…
              Eu sou (e trabalho) no Norte, e, caso não saibas, a AutoEuropa não é em Lisboa (nem sequer no distrito!), nem devem trabalhar lá “importantes lisboetas”!
              .
              Se não sabes o que se passa nem sequer onde é a AutoEuropa (mas tens necessidade de vir aqui comentar armado em superior só porque ganhas 2500€/mês – ou lá quanto é!), também acho que é melhor ficarmos por aqui!!

          • Eu não parti para insultos , apenas respondi na mesma moeda , pois foi você o primeiro a insultar de parolos tanto a mim como todos os meus compatriotas que trabalham no estrangeiro caso nao se tenha apercebido disso .
            Quanto a tudo o resto e muito
            simples ,na minha empresa como em qualquer outra o patrão faz as regras no que melhor se adapta a empresa e a produção e não os empregados , não galtava mais nada . Pois os meus bem podem tentar no mesmo dia estao na rua .
            Regras do jogo , quem quer quer quem não quer siga pois não obrigo ninguém a ficar contra a vontade .
            Quero ver quando estiverem todos sem trabalho onde e que irão chorar depois e quem vão culpar… o estado certamente…

            • Ah?!
              Eu nunca fiz nada disso!!
              Apenas apelidei (e confirmo) de “palermas” (mas também podem ser parolos!) quem vai para os estrangeiro fazer trabalhos que os locais não querem fazer, trabalhando quase como escravos aos Sábados, Domingos, e feriados e depois ainda falam para Portugal e para os portugueses que cá estão com a mania de superioridade – quando não passaram de uns pobres coitados…
              Se é o teu caso, tenho pena, mas é mesmo assim!!
              Como é natural, eu tenho muitos amigos a trabalhar no estrangeiro que obviamente não se encaixam nesse perfil; portanto, só “enfia o barrete” quem quer!…
              .
              De resto, não vale a pena continuar a “chover no molhado”, já que, para o bem de todos, as regras podem (e devem) ser ajustadas por acordo entre as partes e não por imposição!

          • Primeiro não tenho que provar nada para ninguém , e não sou superior a ninguém nem me considerei como tal , apenas sou da opinião que em minha casa ou empresa faço eu as regras ,não serao os de fora a fazer essas regras por mim .
            Quem esta bem que fique , auem não esta que de lugar a quem quer ,coisa que não deve faltar e quem queira trabalhar sem reclamar…

  12. Alguns comentários aqui são de quem não percebeu o que realmente se passa na Autoeropa. De facto a CGTP representa 11 % dos trabalhadores da empreza, contudo têm sido habil em manipular os trabalhadores.
    Quando a VW se fartar de negociar, depois quero ver o PCP e a CGTP a pedirem ao governo para nacionalizarem a empreza, contudo não me parece haver vontade para negociar. Todos estão a partr do principio que a VW não vai sair de Palmela. Parece que todos têm memória curta e esquecem o que aconteceu com a Opel em Portugal.
    Tudo começou com a CGTP e os liricos do PCP. Infelizmente em Portugal os sindicados são o que os partidos Querem.
    Tenham o bom senso. Não pensem sómente no que querem ser no partido, pensem em todos os trabalhadores que dependem directa ou indirectamente da AutoEuropa.
    Isto não é uma questão de dinheiro ou de trabalho ao Sabado, é teimosia da CGPT e do PCP.

    • Sem mais, é isso mesmo sem tirar nem pôr, o problema não são os trabalhadores mas sim uma corja que afina o seu diapasão pelos interesses partidários, Blocos, PCs e afins, ganhem tino e deixem-se de m…. porque depois os sindicatos e os partidos não vos vão pagar os vencimentos.

  13. Parabéns PCP!
    Mais uma empresa para o galheiro. A juntar a todas as outras que já enterraram por esse país fora. Bom trabalho!

    • O grande problema aqui e que o sindicato conseguiu influenciar meia duzia de operarios e principalmente aqueles que não serão de todo os melhores operarios , e apenas para aparecerem ao pais como os que se preocupam com o povo.
      Agora por causa dessa meia dúzia entre centenas de operarios que estão dispostos a aceitar o acordo sem reclamações estão a dar um ponto a empresa para se mudar e deixar centenas sem trabalho …. sera isto justos com os trabalhadores que so querem fazer a vida deles e terem trabalho ?????
      Fica a pergunta a alguns dos comentadores aqui…

      • Continuo a não conseguir engolir a forma como os trabalhadores se deixam manipular, por mim essas “comixões” desapareciam do mapa e essa meia dúzia ideológica era despedida sem contemplações, porque assim não há empresa que resista.

  14. Concordo plenamente e pergunto aqui a muitos aqui feitos chicos espertos, porque que so falam da meia duzia de malandros que andam nesta parodia junto com sindicatos pois so querem ganhar mais e fazer menos e não falam das centenas de trabalhadores que aceitam as novas condições e até ficam contentes pois vao receber um pouco mais ao fim do mês para manter a familia que outros falam aqui ser a razão de não estarem de acordo para trabalhar ao sábado , ainda mais quando são esses que falam dessa familia esquecem de dizer qual delas , se e a familia de casa ou do tasco.
    As pessoas por norma esquecem de algo muito importante , o trabalhador ajuda a empresa é verdade , mas esquecem que essas empresas lhes pagam ao fim do mês,esta a pagar essa ajuda.
    Quando a ajuda do trabalhador não existe essa mesma empresa deixa de poder pagar…
    Se eles ganham fortunas como empresa e outra história , mas como tudo é um negocio e negocio e para se tirar ganho ou não se chamaria negócio…

  15. Conversa encomendada!!! Os Marroquinos são mesmo de trabalhar … não há no mundo ninguém como os Portugueses em engenho e qualidade, por isso como diz o outro “Porque não te calas?”

    • Ja assim foi e verdade ,eramos bem vistos em qualquer parte do mundo .
      Hoje em dia ja não somos vistos dessa forma, e so ver o que se passa pelo norte da europa ,Bélgica,holanda,allemanha Suíça e so portugueses por todo lado a mamar do estado desses mesmos países ,que ja estão a encontrar formas de correr com rudo isso daqui e com o qual concordo plenamente,quem quiser mamar que volte para o pais de onde veio seja ele qual for…

      • eu é que devia ser teu patrão ó atrasado mental, trabalhador do facebook este mês comias raspa de suardos. pelo que aqui escreves: 11 Janeiro, 2018 at 23:20, 12 Janeiro, 2018 at 9:48, 9:58, 11:46, 13:14, 17:06, 17:12, 18:47, 22:00 o que é que fizeste hoje? hoje é 6ª feira o que aqui se discute é o trabalho ao sábado. é com chulagem como tú que as sociedades avançam.

  16. Pois mas nem es meu nem de ninguém ,pois pela resposta es um triste sem ponta de inteligência e com um Cérbero do tamanho de uma ervilha , nem perco tempo com pessoas assim .
    Aqui esta o porque de portugal nunca passar do circo para o resto da europa .
    Com mentalidades destas não se pode esperar melhor…

RESPONDER

Vem aí chuva de poeiras vindas do Norte de África

Este fim de semana, o sul de Portugal pode enfrentar uma chuva carregada de poeiras vindas do Norte de África. O IPMA explica que se trata apenas de uma deposição. Uma chuva de poeiras pode atingir …

Marcelo deverá vetar mudança de género aos 16 anos

O Presidente da República deverá vetar a lei que permite a mudança de género no registo civil aos 16 anos, por questionar não ser necessário um relatório médico. Marcelo Rebelo de Sousa deverá vetar a lei …

Nacionalidade automática para filhos de imigrantes há 2 anos em Portugal

Os filhos de imigrantes que vivam em Portugal há dois anos vão ser considerados portugueses originários, a não ser que declarem que não querem ser portugueses. Esta alteração vai "inverter a atual regra" e irá encurtar …

Eleições de 2019 com plano europeu para travar perturbações nas redes sociais

Em 2019, o objetivo central dos técnicos da "sala de situação" é proteger as infraestruturas de apoio ao processo eleitoral, nas europeias e as legislativas, ainda sem data marcada. O cenário internacional tem sido marcado pela …

PSD dá a Costa espaço para reformar o SNS sem o Bloco

O ministro-sombra da saúde de Rui Rio, Luís Filipe Pereira, está a preparar um documento estratégico sobre o SNS. O PSD pretende, assim, ir a jogo na discussão sobre o futuro do Serviço Nacional de Saúde. A …

O Benfica criou um plano para mandar no futebol português

Emails revelados pelo blogue do "Mercado de Benfica" mostram que os quadros do clube debateram entre si uma estratégia a cinco anos para influenciar e dominar as "diferentes áreas do poder da indústria" do futebol português, …

Governo admite baixar portagens para SUVS e crossovers

O ministro Pedro Marques admite passar carros SUV e crossover de classe 2 para 1 nas portagens, afirmando que a atual classe 2 "pode ser um bloqueio a viaturas mais eficientes". O ministro do Planeamento, Pedro …

Portugal continua no caixote do lixo da Moody’s

A Moody's não se pronunciou sobre a notação de crédito de Portugal. Nos próximos seis meses, continuará a ser a única agência a manter o país abaixo do "grau de investimento". A agência de notação financeira …

Consultor Constantino Sakellarides demite-se em divergência com ministro da Saúde

O consultor do ministro da Saúde, Constantino Sakellraideser, entregou, na quinta-feira, uma carta de demissão a Adalberto Campos Fernandes devido a divergências de pensamento. Constantino Sakellarides, o consultor do ministro da Saúde que, há dois anos, …

Kim Jong-un anuncia suspensão de testes nucleares e balísticos

O regime norte-coreano anunciou a suspensão dos testes nucleares a partir de sábado e o desmantelamento da base de Punggye-ri. Este gesto foi bem recebido pelos EUA e aliados, embora não dê indicação de que …