Aumento do salário mínimo em Portugal foi dos menores da União Europeia

Portugal foi dos países da União Europeia com menor aumento do salário mínimo, com uma subida de 3,5% desta remuneração, enquanto Espanha foi o que teve o aumento mais significativo, com uma subida de 20%.

De acordo com um comunicado do Eurofound e do Centro de Estudos para a Intervenção Social (CESI) esta quarta-feira divulgado, Portugal está “no limiar inferior da categoria média que inclui os países da zona euro com uma performance média quanto à evolução do salário mínimo em termos reais (a preços de 2015) entre 2010 e 2019”.

Em 2019, estes países – Portugal, Malta, Espanha, Grécia e Eslovénia – aumentaram o montante do salário mínimo posicionando-se no intervalo de 700 a 1.050 euros (quando convertidos em 12 pagamentos por ano).

Segundo um estudo do Eurofound, que contou com a colaboração do CESI, a Espanha e a Grécia “tiveram aumentos muito significativos em 2019”, respetivamente 22% e 11%, enquanto “Portugal teve apenas um aumento de 3,5%, fazendo parte do subgrupo com menores aumentos”.

O salário mínimo nacional em Portugal passou para os 600 euros mensais em janeiro deste ano, mas a União Europeia considera que esta remuneração é de 700 euros porque divide os 14 pagamentos (com subsídio de férias e de Natal) pelos 12 meses do ano.

De acordo com o mesmo estudo europeu, em 2019 o valor do salário mínimo/hora em Portugal (3,94 euros) fica atrás da Grécia (4,27) e da Espanha (6,09 Euros).

Em termos de deduções obrigatórias, Espanha e Portugal figuram no grupo de países com o nível mais baixo de deduções em relação ao salário mínimo (respetivamente 8,15% e 11%), enquanto a Grécia, com uma dedução de 28%, figura no grupo de países com níveis mais elevados de contribuições obrigatórias.

O estudo da Eurofound conclui, com base nos dados da EU-SILC 2017, que Portugal e a Polónia são os países que se destacam face à média europeia com as mais elevadas percentagens de trabalhadores (acima dos 20%), auferindo o salário mínimo ou salários muito próximos do salário mínimo.

O CESIS, através da socióloga e investigadora Maria da Paz Campos Lima, participou neste estudo, na sua qualidade de membro nacional da Network of Eurofound Correspondents, assegurando a contribuição sobre a situação portuguesa.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Somos os que temos salários mais baixos da UE mas somos o q pagamos mais por eletricidade, gaz e comparando n/ salários c/ outros países da UE pagamentos imensos impostos que não são canalizados p/ o bem do povo mas tão somente p/ as vigarices e ladroagens dos politicos e seus comparsas. Para eles há sempre dinheiro, para a saúde, educação NUNCA há dinheiro.

RESPONDER

Benfica vai apresentar queixa por ameaças de morte a Vieira e vandalismo

O Benfica vai avançar com queixas devido às ameaças de morte ao presidente do clube em tarjas colocadas nas imediações do Estádio da Luz, mas também pela vandalização de várias casas benfiquistas. Segundo o jornal online …

Submarino civil transparente pode levá-lo ao local do naufrágio do Titanic

A Triton, uma empresa com sede na Florida, fabrica submarinos civis de última geração há mais de uma década. Agora, vai fazer nascer o Triton 13000/2 Titanic Explorer, que para além de oferecer aos passageiros …

Catorze detidos nos novos protestos em Barcelona a favor de Pablo Hasél

Pelo menos 14 pessoas foram detidas pela polícia catalã, este sábado, durante os distúrbios que se seguiram a mais uma manifestação em Barcelona a reclamar a libertação do rapper Pablo Hasél. Segundo o jornal Público, pelo …

Procuradores avançam para tribunal contra nomeações de chefias

O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) está envolvido numa nova polémica, depois do concurso que culminou na indigitação de José Guerra para a Procuradoria Europeia. Segundo avança o Jornal de Notícias, este domingo, um concurso para …

A partir de segunda-feira, eletrodomésticos vão ter novas etiquetas energéticas

As organizações não-governamentais ambientalistas saúdam as novas etiquetas energéticas, que entram em vigor esta segunda-feira, mas pedem “mais atenção” ao consumidor e “maior rapidez” na reclassificação de “mais produtos”. Em comunicado, a cooligação Coolproducts, um grupo …

Depois do balde de água fria da pandemia, Israel vai ficar melhor do que nunca. Tudo pelos turistas

Israel está fechado em casa e viajar para este país não faz parte dos planos de muitas pessoas. No entanto, este período de acalmia pode mesmo ser o melhor momento para planear uma viagem - …

Menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais e menos 151 mil cirurgias em 2020

No ano em que a pandemia chegou a Portugal, houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. A covid-19, que chegou a Portugal a 2 de março de 2020, obrigou …

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …