“Ato que nenhum fim pode justificar”. Vaticano critica a aceitação mundial da eutanásia

catholicism / Flickr

O papa Francisco

Através de um novo documento, o Vaticano condenou a disseminação da aceitação internacional da eutanásia e do suicídio assistido, inclusive em alguns países tradicionalmente católicos da Europa.

O Vaticano referiu no documento publicado hoje – e aprovado pelo Papa Francisco – que “a eutanásia é um ato de homicídio que nenhum fim pode justificar, e que não tolera qualquer forma de cumplicidade ou colaboração ativa ou passiva”

O documento defende que “é gravemente injusto promulgar leis que legalizem a eutanásia ou justifiquem e apoiem ​​o suicídio, invocando um falso direito de escolher uma morte indevidamente caracterizada como respeitável apenas porque foi escolhida”.

A eutanásia e o suicídio assistido são atos diferentes. A primeira representa a morte sem dor de um paciente que sofre de uma doença física ou mental. No suicídio assistido, os pacientes administram drogas letais a si próprios sob supervisão médica.

Na Colômbia, no Canadá e em algumas regiões da Austrália, a Eutanásia é legal. O suicídio assistido é legal na Suíça, Alemanha e vários estados dos EUA, incluindo na Califórnia, Washington e Nova Jersey.

O Parlamento da Espanha está a discutir a aplicação de uma lei que tornaria o país no quarto da Europa a legalizar a eutanásia, depois da Holanda, Bélgica e Luxemburgo. Na Alemanha, o parlamento deixou cair a lei que proibia o suicídio assistido.

Em Portugal, a lei também está a ser discutida e o processo legislativo, no parlamento, sobre a realização de um referendo à eutanásia deverá estar concluído até à primeira semana outubro.

O cardeal Luis Ladaria Ferrer, chefe do escritório doutrinário do Vaticano, disse que o novo documento “é oportuno e necessário à luz da situação atual, caracterizada por um contexto legislativo civil internacional cada vez mais permissivo em relação à eutanásia, suicídio assistido e disposições sobre o fim da vida”.

O documento afirma que a cultura contemporânea incentiva a eutanásia através de um individualismo generalizado, uma falsa compreensão da compaixão, e um ênfase na qualidade de vida, em vez de ver a vida humana como um bem intrínseco, revela o WSJ.

Apesar de concordar com o documento, o Papa Francisco tende a adotar uma abordagem mais conciliatória sobre a eutanásia, minimizando as proibições dogmáticas em favor da promoção de cuidados paliativos para mitigar o sofrimento dos doentes. Ainda assim, o Papa mantém os princípios tradicionais da religião.

O novo documento afirma que as instituições católicas de saúde que se desviem da conduta da Igreja Católica sobre o assunto, colocarão em risco o seu direito de se identificarem como católicas.

Em 2017, o conselho da rede de hospitais Irmãos da Caridade na Bélgica, votou a favor da eutanásia de pacientes psiquiátricos não terminais. Essa medida desencadeou discussões com o Vaticano que terminaram no início deste ano com a decisão de que a rede não poderia continuar a identificar-se como católica.

A rede Irmãos da Caridade declarou que não vê necessidade de mudar suas políticas, “já que estamos convencidos de que estamos a fazer a coisa certa”. Contudo, o novo documento do Vaticano insiste no direito dos médicos, e de outro pessoal relacionado, à objeção de consciência contra a participação na eutanásia e no suicídio assistido.

O Vaticano enfatiza assim o “direito de morrer com a maior serenidade possível e com a dignidade humana e cristã adequada intacta”, sem a imposição de tratamentos médicos agressivos ou fúteis.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há cada vez mais cidades chinesas com cortes de energia — e isso poderá ter consequências globais

Embora o problema já se tenha começado a sentir em julho, na última semana deixou de atingir apenas as zonas industriais para se estender aos bairros residenciais. População foi desaconselhada a não usar dispositivos com …

Barack Obama: "Taxem os ricos, como eu," para financiar proposta de Biden

Apelo está relacionado com a aprovação de um grande plano legislativo proposto por Joe Biden e que deverá ser negociado nas duas câmaras do Congresso norte-americano ao longo das próximas semanas. Numa semana decisiva da governação …

As origens dos antigos Etruscos foram finalmente reveladas

Vestígios de ADN encerraram, finalmente, o debate sobre a origem dos Etruscos,  uma antiga civilização cujos restos mortais foram encontrados em Itália. De acordo com quase dois mil anos de dados genómicos, recolhidos de 12 locais …

Rússia acusa Navalny e aliados de extremismo em novo processo

A Rússia intensificou a campanha contra o opositor do governo Alexei Navalny, abrindo esta terça-feira um novo processo judicial, que poderá levá-lo a cumprir uma pena de prisão de mais uma década. Navalny cumpre dois anos …

Governo demite Chefe do Estado-Maior da Armada. Gouveia e Melo provável sucessor

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a demissão do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram hoje à Lusa fontes ligadas à Defesa. O Governo propôs ao Presidente da …

Borussia Dortmund 1-0 Sporting | Um Mal(en) que veio só… e foi suficiente

O “bicho papão Haaland não jogou, mas nem assim os “leões” conseguiram contrariar o maior poderio germânico. O Sporting saiu de Dortmund com uma derrota, apesar da excelente réplica no Signal Iduna Park, e muito por …

FC Porto 1-5 Liverpool | Dragão atropelado em casa

O Liverpool é uma espécie de “besta” em tons de “red” para o FC Porto. Em nove jogos oficiais, os “azuis-e-brancos” nunca venceram, somando 3 empates e 6 derrotas, a mais recente foi pesadíssima e …

China desenvolve arma invisível capaz de destruir redes de comunicação em dez segundos

Uma equipa de cientistas chineses está a desenvolver uma arma sónica, que gera um intenso pulso eletromagnético, capaz de destruir redes de comunicação e de fornecimento de energia elétrica. A arma poderá ter um alcance …

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …