/

Casa de Papel à mexicana. Assaltantes fugiram com mais de 2 milhões em ouro

Mario Guzman / EPA

Em apenas três minutos, três assaltantes desarmaram os seguranças da Casa da Moeda do México e roubaram mais de 2,2 milhões de euros em ouro.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Esta terça-feira, em plena luz do dia e numa das ruas mais movimentadas da Cidade do México, um grupo de três homens armados invadiu a Casa da Moeda e conseguiu roubar mais de 1.500 moedas de ouro avaliadas em mais de 2,2 milhões de euros.

De acordo com várias testemunhas, os assaltantes entraram diretamente no cofre blindado, o que leva as autoridades mexicanas a suspeitar que o grupo terá tido ajuda de, pelo menos, oito funcionários da instituição.

Segundo o jornal espanhol El País, o grupo entrou no banco pela entrada no Paseo de la Reforma às 10h30 desta terça-feira, desarmaram os seguranças, acederam ao cofre e retiraram o ouro. Tudo em menos de três minutos, sem deixarem vítimas nem serem apanhados pela polícia.

O secretário de segurança da Cidade do México, Jesús Orta, mostrou-se muito impressionado com a rapidez e a facilidade com que os assaltantes corromperam a segurança da Casa da Moeda. O responsável culpa os seguranças de serviço naquela manhã de “não terem seguidos os protocolos, o que pode ter facilitado a ocorrência destes factos”.

Ainda assim, as falhas podem ter raízes ainda mais profundas, uma vez que, em julho do ano passado, a Casa da Moeda mexicana foi assaltada enquanto decorriam obras de remodelação no edifício. Na altura, o valor dos bens roubados foi muito inferior: pouco mais de 91 mil euros.

Desta vez, do interior do cofre, os assaltantes retiraram 1.500 peças de ouro chamadas “centenários” – moedas de celebração – cujo valor supera os 2,2 milhões de euros.

Ao contrário do que acontece noutros países, a Casa da Moeda mexicana é um órgão descentralizado do Ministério das Finanças e é responsável apenas pela distribuição e venda de moedas e medalhas comemorativas.

O El Mundo adianta que vários elementos da procuradoria-geral da Cidade do México já estiveram no local a inquirir testemunhas e a reunir as imagens captadas pelas câmaras de vigilância com o objetivo de tentar identificar os assaltantes, que conseguiram escapar.

Outro assalto a 350 metros

Uma hora antes do assalto na Casa da Moeda, foi registado outro roubo nas vizinhanças do edifício na capital mexicana. Um homem foi atingido a tiro por um assaltante que tentava entrar numa loja. A vítima foi acudida e encontra-se fora de perigo.

PUBLICIDADE

Como a distância temporal entre os dois eventos eram curtos, os meios de comunicação social mexicanos julgaram que os dois acontecimentos se tratavam do mesmo assalto, mas soube-se mais tarde que um era independente do outro.

De acordo com o Observador, os dois assaltos testemunham uma onda de criminalidade que está a assolar a capital do México.

Em 2018, foi registada uma taxa de 22 homicídios por cada 100 mil habitantes, tendência que continuou a registar-se na primeira metade deste ano, quando dois estudantes foram encontrados sem vida na Cidade do México com golpes na cabeça e sinais de asfixia.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.