As famílias suecas não alimentam os convidados? Uma publicação no Reddit deu início à polémica

3

Questão colocada no Reddit despoletou discussão sobre costume sueco de não convidar os visitantes a partilhar as suas refeições, pedindo muitas vezes às pessoas que fiquem noutras divisões da casa.

A cena é simples: uma criança sueca senta-se à mesa de jantar enquanto o seu amigo e respetivos pais jantam almôndegas, puré de batata e molho — ao mesmo tempo que os aromas viajam por baixo do nariz da criança. No entanto, não há prato colocado para ele.

Este cenário, embora normal na Suécia e noutros países nórdicos, tem chocado pessoas em todo o mundo, ao saberem que algumas famílias suecas não convidam os amigos visitantes dos seus filhos para comerem com eles à hora da refeição. Em vez disso, na hora de comer, é frequente uma criança ir para casa, ficar no quarto do amigo a brincar ou sentar-se à mesa com a família e não comer.

O tema tornou-se assunto mundial depois de uma publicação no Reddit que se tornou viral. Dela fazia parte a questão: “qual foi a coisa mais estranha que tiveram de fazer em casa de alguém devido à sua cultura ou religião?” Numa das respostas com mais gostos, um utilizador explicava que a propósito da ida a casa de um amigo sueco, foi lhe dito para esperar num quarto enquanto a família comia.

Como seria de esperar, as reações não se fizeram esperar e os utilizadores do país ficaram responsáveis por explicar o hábito e tentar salvar a honra dos seus conterrâneos.

O The New York Times ouviu Hakan Jonsson, professor da área da alimentação na Universidade de Lund, na Suécia, que explicou que a partilha de comida é uma das bases da cultura ocidental, daí compreender a perplexidade com que os restantes cidadãos do mundo reagiram ao hábito. Lembrou ainda a sua participação num programa que serviu para discutir os costumes da população sueca em relação aos imigrantes e onde a prática era frequentemente descrita como muito estranha.

Jonsson explicou não ter estudado o hábito com profundidade, mas diz que este podia ser visto em diversas partes da identidade sueca. Ainda segundo o investigador, antes de serem feitos no armazenamento de comida, os suecos tinha apenas três a quatro meses para colher alimentos para o resto do ano, tendo em consideração o clima frio do país. Como tal, os jantares espontâneos nunca fizeram parte da sua cultura.

Paralelamente, sugeriu, os suecos tendem a respeitar a independência da entidade família, pelo que oferecer comida ao filho de uma outra pessoa poderia ser visto como uma crítica à habilidade dessa mesma pessoa de gerir a educação da criança.

“Ao longo dos anos, tem existido um forte desejo de independência, de não confiar na boa vontade dos outros para ter uma vida boa e independente”, justificou o mesmo investigador. “Tratou-se de um impulso muito forte para o bem-estar, para criar esta assistência impessoal, em que não se tinha de confiar em nenhuma outra pessoa”.

O hábito, ainda assim, não é exclusivo da Suécia — apesar de este ser o país mais visado pela polémica nas redes utilizadores. Utilizadores de países como a Finlândia, os Países Baixos ou outros no norte da Europa referiram que a prática lhes era familiar.

Lotte Holm, professora de sociologia na Universidade de Copenhaga ouvida também pelo The New York Times, explicou que durante a sua infância e adolescência, nas décadas de 1950 e 1960, era normal as crianças não comerem em casa dos amigos, na Dinamarca. Já quando se tratava dos amigos dos filhos, Lotte esclarece que tinha a preocupação de contactar os pais para saber se podia convidar as crianças para as refeições.

“Pode parecer um pouco mesquinho e até desagradável excluir alguém se estiver a comer”, continuou, “mas penso que se trata de respeito pela unidade familiar”. Não é por isso de estranhar que a professora tenha ficado surpreendida quando os estudantes norte-americanos lhe descreveram como tinham por hábito abrir o frigorífico em casa dos seus amigos para comer o que quisessem.

  ZAP //

3 Comments

    • Eu penso que, mais tarde ou mais cedo, a palavra despoletar vai assumir no dicionário o significado oposto ao original. Tal é a massificação do erro, que já ninguém sabe bem o que significa despoletar no seu conceito correto.

  1. Se fossem só os Suecos.
    Eu conheci alguém da Holanda, que durante muitos anos jantou e almoçou em minha casa, inclusive a família, pais e nunca comi nada em casa dele.
    Por isso a Europa é isto mesmo, quando nos enviam dinheiro, não nos estão a dar nada. 1º porque grande parte desse dinheiro é nosso pago em impostos para a UE, 2º porque para a outra grande parte desse dinheiro e da grande parte que efetivamente seria nosso já foi previamente criado o mecanismo de regresso aos respetivos países nórdicos. Conclusão, ficamos sempre mais pobres..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.