As bitcoins gastam mais energia que o Equador (mas há uma solução)

Bitcoin, temos um problema. A criptomoeda e a blockchain – a tecnologia em “cadeia de blocos” em que se baseia – foram anunciadas há muito tempo como um exemplo brilhante do futuro das transações. Mas o impacto energético causado pelo processamento necessário para minar uma moeda e manter a plataforma é incontornável.

Sabemos há algum tempo que a bitcoin devora energia. Muita energia. O problema energético da bitcoin já gerou soluções estranhas, e agora um verdadeiro Ovo de Colombo: aquecedores que aproveitam a energia libertada enquanto um processador está a minar uma moeda – uma espécie de “mining” sustentável de bitcoin.

Minar uma bitcoin requer energia. E cada transação de bitcoin implica que um utilizador tenha que transmitir os detalhes da operação para uma rede de computadores interligados, onde a transação é duplicada em milhares de ledgers, uma espécie de “livros de registo” infalsificáveis das operações todas desde o início da blockchain. E isso gasta energia. Muita.

“Uma blockchain, como é a bitcoin, tem que operar sob o pressuposto de que nenhum outro computador pode ser confiável”, diz Teunis Brosens, analista económico da ING. Então, em vez de confiar no que quer que seja, cada computador verifica de forma independente parte da transação, num processo chamado ‘mining‘.

O ‘mining‘ da moeda impede que os computadores criem falsos registos, exigindo-lhes uma “prova de trabalho”. O enigma criptográfico a resolver requer tanto poder de processamento que criar uma entrada falsa iria tornar-se proibitivo.

Todo este processo exige demasiada eletricidade. Uma das últimas estimativas calculou que o consumo anual de eletricidade no ‘mining‘ da bitcoin em 23.07 terawatt-hora, aproximadamente a mesma quantidade de eletricidade que o Equador gasta por ano.

É deste problema energético que surge a ideia de muitos empreendedores de ‘mining‘: fazer uso de todo o calor gerado no processamento da bitcoin para criar aquecedores.

A start-up russa Comino espera tornar esta ideia num negócio inovador. No entanto, para além de uns poucos programadores a viver em locais muito frios, poucas pessoas pensam em usar a energia da criptomoeda.

O produtor de bitcoins OgNasty diz que “encontrar usos para o calor produzido quando se produz uma bitcoin não é uma solução realista”. Para compensar o peso energético que a bitcoin coloca, a OgNasty, que começou a produzir bitcoins em 2012, criou o projecto Green Energy Bitcoin Mining, que usa energia solar e eólica para produzir bitcoins.

Mas embora o uso de energias renováveis seja bom “a oferta ainda é escassa, e isso afeta outros usos de energia que beneficiam a sociedade, muito mais do que a produção competitiva de bitcoins”, diz Brosens.

A última solução é a mais radical: mudar por completo o funcionamento da blockchain. Vitalik Buterin, criador da rede de criptocircuitos Ethereum, uma plataforma que permite a criação de aplicações de blockchain, anunciou no mês passado que adotaria uma forma completamente diferente de fazer transações, a “prova de participação“.

Em substituição da prova de trabalho, a prova de participação consiste em ‘investir’ uma pequena quantia de dinheiro num fundo que retornaria a quem ‘investiu’ se a validação fosse real. “Ao mostrar que há recursos investidos, provam que o seu trabalho pode ser confiável”, diz Brosens.

Ainda assim, esta abordagem poderia trazer várias desvantagens. A prova de participação poderia enviesar o sistema a favor de quem tem mais dinheiro. Segundo Brosens, “a solução passa por descobrir mecanismos de validação do processo de produção de bitcoins que consumam menos energia”.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Bilardo foi "distraído" para não saber da morte de Maradona

Carlos Bilardo continua sem saber que Diego Maradona morreu. Família tenta proteger saúde do antigo selecionador argentino. Diego Armando Maradona morreu em novembro e Carlos Bilardo continua sem saber desse falecimento. A família tenta proteger a …

Processo de envelhecimento é imparável, revela estudo

Um novo estudo, que envolveu cientistas de 14 países, confirmou que provavelmente não podemos diminuir a velocidade com que envelhecemos, devido a restrições biológicas. A pesquisa, publicada na quarta-feira na Nature Comunications, inclui especialistas da Universidade …

Inglaterra 0-0 Escócia | Nulo total no dérbi britânico

A Inglaterra empatou hoje 0-0 com a Escócia, em jogo da segunda jornada do Grupo D do Euro 2020 de futebol, e desperdiçou a oportunidade de garantir já um lugar nos oitavos de final do …

Infeção pelo coronavírus pode não garantir proteção prolongada, revela estudo

Um novo estudo britânico sugere que uma infeção pelo SARS-CoV-2 não garante que o hospedeiro desenvolva uma resposta imunitária prolongada contra o vírus, sendo a imunidade "altamente variável de pessoa para pessoa". Segundo a pesquisa do …

Ex-ministro da Bolívia planeou um segundo golpe usando mercenários dos EUA

O vazamento de gravações telefónicas e e-mails revelam que um ex-ministro da Defesa boliviano estava a preparar-se para usar tropas estrangeiras para impedir que o partido de esquerda MAS regressasse ao poder. Os documentos e registos …

Espécie rara de orquídea encontrada em telhado de banco de investimentos em Londres

Uma espécie rara de orquídea, que se acredita estar extinta no Reino Unido, foi descoberta no jardim do telhado de um banco de investimentos em Londres. Segundo o The Guardian, a Serapias parviflora, uma espécie rara …

Pintura de David Bowie comprada por três euros vai agora ser leiloada por milhares

A pintura do ícone do rock, David Bowie, deverá ser vendida por milhares de dólares num leilão de arte online. O retrato, intitulado "DHead XLVI", faz parte de um conjunto de aproximadamente 47 obras que David …

Vila Nova de Milfontes vai ter praia para cães

A praia pet friendly, que fica próxima de Furnas-Rio, vai funcionar já esta época balnear de forma experimental. Uma praia concessionada que também admite cães vai funcionar, nesta época balnear, de forma experimental, em Vila Nova …

Podia ser um quadro de Dalí, mas é só o degelo glacial na Islândia

Na Islândia, o degelo glacial criou uma paisagem deslumbrante que o fotógrafo espanhol Manuel Ismael Gómez de Almería não deixou passar em branco. Faz lembrar a arte surrealista de Salvador Dalí, mas é uma versão ampliada …

Digby, o cão dos bombeiros, ajudou a salvar uma mulher do suicídio

O cão Digby desempenhou um importante papel ao salvar uma mulher que estava a ponderar pôr fim à sua própria vida no Reino Unido. Digby é um cão terapeuta que ajuda as pessoas a lidar com …