Argentina torturou os seus próprios soldados na guerra das Malvinas

Kenneth Ian Griffiths / Wikimedia

Prisioneiros de guerra argentinos nas ilhas Malvinas, 16 Junho 1982

Prisioneiros de guerra argentinos nas ilhas Malvinas, 16 Junho 1982

Soldados argentinos foram submetidos a abusos e torturas pelos seus próprios superiores, durante a guerra das Malvinas contra a Grã-Bretanha em 1982, revelam documentos agora libertados pelas Forças Armadas da Argentina.

Depoimentos de soldados argentinos relatam ter sido espancados por oficiais durante a guerra das Malvinas por terem deixado as trincheiras em busca de comida.

Em abril, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, determinou a libertação de todos os documentos militares secretos produzidos durante o conflito.

Durante anos, veteranos de guerra argentinos denunciaram ter vivido condições terríveis durante o conflito, incluindo a ausência de calçado e fardamento apropriado em situações de frio intenso, afirma o correspondente da BBC em Buenos Aires, Ignacio de los Reyes.

É a  primeira vez que documentos oficiais com estas revelações são trazidos a público.

Os documentos, até agora secretos, descrevem ameaças de execução e soldados a ser amarrados dentro de covas vazias.

Um tenente relata que um outro oficial lhe amarrou as mãos e pernas às costas e o deixou durante mais de oito horas com o rosto na areia molhada de uma praia gelada das Malvinas.

Um sargento relata que teve de ser operado depois de ter sido pontapeado nos testículos.

“Estes documentos levantam a cortina sobre factos que foram escondidos durante muitos anos pelas Forças Armadas argentinas”, diz Ernesto Alonso, membro de um grupo de veteranos de La Plata.

Exercício de colonialismo

A guerra das ilhas Malvinas, ou Falklands, na nomeação oficial britânica, começou em abril de 1982, quando tropas da Argentina invadiram o território ultramarino britânico.

Uma força expedicionária britânica foi enviada às ilhas e retomou o seu controlo em junho.

O conflito durou 74 dias e deixou mais de 900 mortos. Três cidadãos das ilhas e 255 militares britânicos morreram no conflito.

O número de argentinos mortos é estimado em cerca de 650.

A derrota da Argentina precipitou o fim da brutal ditadura militar no país, que já enfrentava problemas económicos graves e falta de apoio popular.

Apesar de a invasão ter sido alvo de críticas generalizadas na Argentina, muitos cidadãos continuam a reivindicar a posse das ilhas.

A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, já descreveu a presença britânica como um “flagrante exercício de colonialismo do século XIX“.

O governo britânico diz que defenderá a autodeterminação dos habitantes das ilhas.

A maioria esmagadora dos moradores das Malvinas votou em março de 2013 pela manutenção do status de território britânico.

Actualmente, cerca de 2,9 mil pessoas vivem nas ilhas.

ZAP / BBC

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Os covardes dos militares argentinos só são valentes contra os fracos. Contra verdadeiros homens (os soldados ingleses) até se b0rraram.

  2. Como leitor assíduo, sugiro que melhorarem o português das vossas notícias. Usem a palavra “controlo” e não “controle”! Não precisamos de galicismos. E escrevam “2900” e não “2,9 mil” pessoas. “2,9 mil pessoas” lê-se: duas unidades e nove décimas de mil pessoas.

  3. A guerra das Falkland (Malvinas) foi uma das últimas guerras entre países modernos e ditos civilizados. É evidente que o RU tem uma lei para si e outra para os outros países – caso por exemplo de Gibraltar….

    Para todos os efeitos, nada justifica uma invasão à má-fé e que levou ao exercício do poder bruto e força desmesurada na respectiva retaliação.

    Acredito piamente que o RU também o fez porque teve o apoio encapotado dos USA…..

    • Apoio encapotado? Totalmente assumido! Nunca o esconderam, visto à luz da Lei internacional as Malvinas são território britânico, após os argentinos terem hesitado e abandonado as ilhas no século XIX! É que os ingleses não como os portugueses que abandonam tudo ou desistem por esta ou aquela palha!

RESPONDER

Revolta nas Forças Armadas. Ramalho Eanes entre os 28 ex-chefes militares contra reforma Cravinho

Vinte e oito ex-chefes de Estado-Maior dos três ramos, incluindo o general Ramalho Eanes, assinaram uma carta a contestar o processo da reforma das Forças Armadas em curso e apelaram a um debate alargado à …

Israel reforça presença militar na fronteira com Gaza. "Última palavra ainda não foi dita"

O Exército israelita tinha anunciado, esta quinta-feira à noite, que os seus soldados tinham entrado na Faixa de Gaza. Depois veio negar essa informação, atribuindo a confusão a um problema de "comunicação interna". Na noite desta …

Carta de 1949 revela que Einstein já suspeitava do "super sentido" dos pássaros

Muitas décadas antes de sabermos que alguns animais têm "super sentidos", como é o caso dos pássaros, já o Nobel da Física discutia esse assunto com outros investigadores. Embora não se conheça o conteúdo da primeira …

Ferro empossa comissão de revisão constitucional por três meses. Iniciativa Liberal retira projeto

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, deu esta quinta-feira posse à comissão de revisão constitucional por três meses (90 dias), desejando “votos de muito bom trabalho”, na sala do Senado do Palácio de …

Serena Williams: "A prioridade é a minha filha, não os Jogos Olímpicos"

Recordista do ténis feminino deixa a entender de que não vai a Tóquio. Naomi Osaka coloca dúvidas à volta do próprio evento. "Sou atleta e, por isso, é claro que o meu pensamento imediato é: quero …

A Cidade do México está a afundar a um ritmo incontrolável

Um novo estudo mostra que a Cidade do México, a metrópole mais populosa da América do Norte, afundou tanto que será impossível salvá-la. Depois de séculos de drenagem dos aquíferos subterrâneos, o leito do lago no …

Micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas

Os micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas, algo semelhante ao que tentamos fazer através do projeto SETI desde 1959. Estaremos sozinhos no Universo? O famoso programa SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) tem tentado …

Tweet de Elon Musk afunda Bitcoins (e dá força à criptomoeda que nasceu como meme)

A Tesla vai deixar de aceitar Bitcoins como forma de pagamento. A revelação foi feita por Elon Musk numa publicação no Twitter e levou à queda do valor da criptomoeda no mercado. A par disso, …

Investigadores criam nova solução para óculos de realidade virtual e aumentada

Uma equipa de investigadores criou uma nova tecnologia para fornecer óculos de realidade virtual que não parecem "olhos de inseto". Num novo artigo publicado na Science Advances, os especialistas descrevem a impressão de ótica de forma …

Genética da população portuguesa pode explicar deficiência de vitamina D

Investigadores portugueses concluíram que a população portuguesa tem uma prevalência superior à média europeia de algumas alterações genéticas que levam a uma predisposição para o défice de vitamina D. Este estudo, coordenado pelo Centro Cardiovascular da …