/

Apneia do sono duplica a probabilidade de morte súbita

A maior parte dos especialistas frisa que a apneia do sono é um distúrbio que deve ser levado muito a sério. Agora, um novo estudo revela que o problema pode duplicar o risco de morte súbita.

Esta é uma condição que pode trazer inúmeros problemas de saúde, pois carateriza-se pela interrupção da respiração durante o sono, sendo que pode aumentar o risco de hipertensão, doença arterial coronária e insuficiência cardíaca, revela um novo estudo.

“O estudo contribui para o crescente corpo de evidências que destaca a importância do rastreamento, diagnóstico e tratamento da apneia do sono”, refere Kannan Ramar, ex-presidente da Academia Americana de Medicina do Sono (AASM).

Ramar destaca que os resultados do novo estudo ressaltam a importância de reconhecer uma condição generalizada e frequentemente sub-diagnosticada que se tornou uma preocupação crescente de saúde pública.

Durante a pesquisa, escreve o WebMD, uma equipa da Penn State University analisou 22 estudos que incluíram mais de 42.000 pacientes em todo o mundo.

A investigação revelou que as pessoas com apneia obstrutiva do sono tinham um risco maior de morrer repentinamente e o risco aumentava com a idade dos pacientes.

“A nossa pesquisa mostra que essa condição pode ser fatal“, realça Anna Ssentongo, uma das autoras, em comunicado.

Os lapsos repetidos na respiração durante a apneia cortam o fornecimento de oxigénio para as células, o que pode resultar num desequilíbrio de antioxidantes no corpo. Este desequilíbrio prejudica as células e pode acelerar o processo de envelhecimento, levando a vários problemas de saúde, frisam os investigadores.

Assim, os autores do estudo, que foi publicado no BMJ Open Respiratory Research, reforçam que as descobertas ressaltam a urgência de tratar a apneia do sono.

A pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) é o tratamento padrão para a apneia moderada a grave, de acordo com a AASM. O CPAP fornece um fluxo constante de ar pressurizado através de uma máscara usada durante o sono. Este fluxo mantém as vias aéreas abertas, evitando pausas na respiração enquanto restaura os níveis normais de oxigénio.

Outras opções incluem aparelhos orais projetados para manter as vias aéreas abertas e, em alguns casos, cirurgia para remover tecido do palato mole.

A perda de peso também beneficia muitas pessoas com apneia do sono, assim como dormir de lado. Geralmente, tiras nasais, dilatadores internos e sprays lubrificantes reduzem o ronco, mas o AASM diz que não há evidências de que ajudem a tratar a condição.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE