Angelina Jolie apresenta protocolo contra violência sexual

Foreign and Commonwealth Office / Flickr

A atriz Angelina Jolie, enviada especial da ONU para os refugiados, e o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague

A atriz Angelina Jolie, enviada especial da ONU para os refugiados, e o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague

O chefe da diplomacia britânica, William Hague, e a atriz norte-americana Angelina Jolie apresentaram em Londres um protocolo internacional que permitirá a investigação de atos de violência sexual em zonas de conflito.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico William Hague e a atriz Angelina Jolie, enviada especial da ONU para os refugiados, são os “anfitriões” de uma cimeira internacional sobre violência sexual em zonas de guerra, que arrancou na terça-feira na capital britânica.

A cimeira, que decorre até esta sexta-feira, pretende alcançar medidas concretas para o combate à violência sexual, através da investigação e da documentação dos casos, de forma a processar os responsáveis, mas também ao nível da promoção da ajuda às vítimas.

O protocolo hoje apresentado é um documento que apresenta um conjunto de diretrizes que irão permitir o reconhecimento da violência sexual como um crime internacional e definir os métodos de investigação e de documentação dos casos.

Foreign and Commonwealth Office / Flickr

Angelina Jolie e William Hague na cimeira internacional sobre violência sexual em zonas de guerra que decorre em Londres.

Angelina Jolie e William Hague na cimeira internacional sobre violência sexual em zonas de guerra que decorre em Londres.

Na terça-feira, a atriz norte-americana considerou “um mito” que as violações sejam uma consequência inevitável dos conflitos, denunciando que estes atos são “uma arma de guerra dirigida à população civil”.

“Não tem nada que ver com o sexo, mas sim, com o poder“, afirmou então Angelina Jolie.

Justiça

Esta quinta-feira, durante os trabalhos da cimeira, a atriz recordou os encontros que manteve com sobreviventes de violações cometidas em zonas de guerra.

Segundo a enviada especial da ONU, todas as vítimas tinham uma mensagem comum: “justiça”.

A atriz reiterou que as violações cometidas em zonas de conflito constituem um “crime de guerra contra a humanidade“, lamentando que “o número de condenações por violência sexual em zonas de guerra é dolorosamente pequeno”.

Jolie salientou que a campanha, promovida em conjunto com o chefe da diplomacia britânica William Hague, pretende ser “um apelo para acabar com a impunidade”.

“Os agressores têm de saber que, mesmo durante o conflito, os indícios serão recolhidos e que serão usados contra eles”, disse a atriz norte-americana, acrescentando que os autores destes crimes “devem saber que mesmo alcançados acordos de paz não existirá amnistia para a violação”.

“Todos sabemos como é difícil alcançar condenações por violação, mesmo em países com democracias estáveis, por isso temos trabalhar ainda mais para que a justiça seja possível em países frágeis”, observou a enviada especial da ONU.

Nesse sentido, o protocolo apresentado é um “documento essencial”, concluiu a atriz norte-americana.

Esta sexta-feira está prevista uma reunião de alto nível, durante a qual ministros de mais de 100 países deverão assinar o protocolo.

Na sessão de encerramento da cimeira marcarão presença o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, este último por videoconferência.

Foreign and Commonwealth Office / Flickr

A atriz Angelina Jolie, enviada especial da ONU para os refugiados

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting 3-1 Gil Vicente | “Pote” de ouro na recta final

Sofrimento e alívio. O Sporting esteve a perder em casa por 1-0 com o Gil Vicente até aos 82 minutos, mas deu a volta ao marcador num curto espaço de tempo, acabando por fixar o …

Descoberto na Austrália recife de coral mais alto do que o Empire State Building

Um novo recife "maciço" de 500 metros foi descoberto na Grande Barreira de Corais da Austrália, tornando-o mais alto do que alguns dos arranha-céus mais altos do mundo. Os cientistas encontraram o recife separado - o …

Encontrados restos de ossos e madeira em pregos que terão sido usados na crucificação de Jesus

Um geólogo israelita analisou pregos supostamente associados à crucificação de Jesus Cristo e descobriu que os objetos contêm traços de osso e madeira. Em 1990, durante a escavação em Jerusalém do túmulo de Caifás, o sumo …

Oreo construiu um "Cofre do Apocalipse" para proteger as suas famosas bolachas

Depois do Svalbard Global Seed Vault, que guarda mais de um milhão de amostras de sementes num bunker, e o Arctic World Archive, que preserva os dados do mundo de hoje, a Oreo criou um "Cofre do …

"O Palmeiras sabe quem é o Abel?" - as dúvidas no Brasil, parte II

Abel Ferreira deverá ser confirmado como novo treinador do Palmeiras nesta sexta-feira. No Brasil voltam a surgir questões sobre as contratações de técnicos estrangeiros. Lembra-se de Marco de Vargas, o jornalista da FOX Brasil que não …

Guru de seita de escravas sexuais condenado a 120 anos de prisão

O guru de uma seita de escravas sexuais, conhecida como NXIVM, foi condenado a 120 anos de prisão. Foi considerado culpado de obrigar mulheres a fazer sexo com ele. Keith Raniere, guru da seita de escravas …

Jogadores do Atlético de Madrid "apanhados" a falar sobre João Félix

Saúl e Oblak elogiaram o jovem português, durante o intervalo da receção ao Salzburgo. Tom diferente teve uma conversa entre jogadores do Real Madrid. João Félix voltou às grandes noites nas competições europeias. Depois de já …

Creches "verdes" na Finlândia mudaram o sistema imunitário das crianças

Um pequeno experimento mostra que brincar numa "pequena floresta" durante apenas um mês pode ser o suficiente para mudar o sistema imunitário de uma criança. De acordo com o site Science Alert, várias creches na Finlândia …

Museus holandeses apertam a segurança após assaltos a objetos nazis

Uniformes da SS, armas de fogo e paraquedas estão entre os objetos nazis que estão a ser roubados de museus de guerra holandeses. De acordo com o jornal The Guardian, museus de guerra por todos os …

Beber chá e falar sobre o fim da vida. Nem a pandemia acabou com os Cafés da Morte

Os Cafés da Morte são locais especialmente criados para beber chá, comer bolos e falar sobre o fim da vida. Porém, com a pandemia e a morte a ocupar os pensamentos de todos, será que …