Angela Merkel defende uma Europa mais justa

Armin Kübelbeck / Wikimedia

-

Angela Merkel, defendeu hoje uma Europa mais justa, sem os altos níveis de desemprego juvenil registados em Espanha ou na Grécia, e disse que o caminho a seguir é resolver os problemas estruturais e manter o rumo da estabilidade.

“Não podemos permitir que metade dos jovens de Espanha ou da Grécia não tenham emprego”, disse a chanceler num congresso da União Cristão Democrática (CDU) centrado na aprovação do programa eleitoral para as eleições europeias de 25 de maio.

Para Merkel, combater o desemprego “não é impulsionar um programa estatal a seguir a outro”, mas resolver os problemas estruturais.

A Europa deve procurar maior consenso nas suas políticas, indicou a chanceler, que se mostrou confiante numa vitória das forças conservadoras nas eleições e reiterou o seu apoio ao candidato do Partido Popular Europeu (PPE) para presidir à Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que se deslocou a Berlim.

No seu discurso, Juncker referiu que não deverá haver emissão de ‘eurobonds’ nos próximos cinco anos e considerou que deve ser assim enquanto não houver uma maior harmonização da política económica e financeira em toda a zona euro.

Em declarações aos jornalistas na capital alemã, Juncker defendeu que devem prosseguir as negociações com Ancara sobre uma eventual adesão da Turquia à União Europeia, mas criticou “a regressão considerável” registada nos últimos meses no “processo democrático”.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Eu defendo uma Europa forte socialmente e também em termos de defesa, uma Europa capaz de resolver os seus problemas internos e com capacidade no seio da nato uma maior afirmação, e isto só com um exercito Europeu como aliás eu já tinha mencionado, é claro que para isso temos que perder os tabus existentes na sociedade europeia, não queremos dominio uns sobre os outros mas sim uma comunidade onde todos se possam afirmar, é assim a Europa que vejo etc…

RESPONDER

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …