Comunidade cigana rende-se a Ana Gomes (e a candidata culpa Marcelo pela subida dos “adeptos de Trump”)

Tiago Petinga / Lusa

A candidata às eleições presidenciais, Ana Gomes

Este domingo, Ana Gomes andou na zona metropolitana de Lisboa a ouvir as queixas dos bombeiros e a receber o apoio em massa da comunidade cigana de um bairro social.

No quarto dia de campanha eleitoral, Ana Gomes visitou o bairro dos navegadores, em Porto Salvo, e recebeu o apoio da comunidade cigana. “Fique à vontade, os votos são todos para si”, disse um habitante do bairro, citado pelo Expresso.

A candidata a Belém falou em inclusão e de ser de todas as comunidades “africanas, ucranianas, ciganas, porque Portugal é de todos”, enquanto ouvia disparos direitos a André Ventura por parte da comunidade. “É racista, ele é o Hitler, é um nazi”, disse António Romeira.

O homem, de 50 anos, disse que vai votar em Ana Gomes para ficar em segundo lugar, porque sabe que o primeiro lugar a outro pertence, numa referência a Marcelo Rebelo de Sousa. Na resposta, a socialista encostou o Presidente a André Ventura, atribuindo-lhe a culpa pela “normalização” do Chega.

Marcelo tem responsabilidade por ‘ele’ estar onde está. Porque algumas coisas até melhoraram, com o governo de António Costa, mas outras não avançaram, e isto não pode continuar. E não sei se se lembra do que aconteceu nos Açores (…) mas foi ele que permitiu um Governo com o apoio de um partido racista”, disse, citada pelo Observador.

Depois de cumprimentar um grupo de crianças, Ana Gomes pediu para irem votar “quando forem grandes”. Um membro da comissão de moradores perguntou “em quem?” e um dos rapazes respondeu “Marcelo Rebelo de Sousa”. A candidata retorquiu: “Só se quiseres que fique tudo na mesma”.

Subida de “adeptos de Trump” e a culpa de Marcelo

Ana Gomes assegurou, este domingo, que, se for eleita, quer usar os seus poderes “até ao último centímetro”, numa cooperação “leal, mas vigilante” com o Governo, e responsabilizou Marcelo Rebelo de Sousa pela subida dos “adeptos de Trump”.

No final de uma visita a uma esquadra em Odivelas, a diplomata foi questionada sobre a posição do atual chefe de Estado e recandidato de que seria “uma aventura” mudar de Presidente da República a meio da pandemia, assumida numa entrevista à Rádio Renascença e ao Público.

“Os americanos foram às urnas numa mobilização excecional para se verem livres de um Presidente da República que não servia e todos respirámos de alívio, não foi nenhum obstáculo, até foi uma condição para agora serem tomadas medidas que se impunham há muito tempo”, contrapôs.

Questionada se estava a comparar Marcelo a Donald Trump, a candidata respondeu negativamente. “Não, não estou a comparar. Mas o professor Marcelo Rebelo de Sousa é responsável pela subida dos adeptos de Trump também no nosso país, desde logo normalizando as forças políticas que fazem de Trump um herói e que seguem a mesma metodologia”, considerou.

“Sim, nesse sentido, e com as devidas distâncias, o professor Marcelo Rebelo de Sousa tem tremendas responsabilidades, até pelo facto de prescindir de fazer campanha”, afirmou, criticando que o adversário apenas tenha iniciado esta atividade há poucos dias e ironizando que até anda a “seguir” os seus passos, visitando hoje associações de bombeiros, como fez Ana Gomes esta manhã, primeiro em Carnaxide e depois em Odivelas.

Desafiada a responder qual será o primeiro incêndio que terá de apagar se chegar a Belém, Ana Gomes considerou que são muitos – “uma das características das mulheres é que são polivalentes” – e acabou a balizar como seria a sua articulação com o Governo.

“É evidente que esses fogos têm de ser apagados em articulação leal e franca com o Governo, mas vigilante, é esse o papel que queremos do Presidente da República”, disse.

Ana Gomes assegurou que, se ganhar as Presidenciais, pretende “usar até ao último centímetro” os poderes conferidos pela Constituição.

“Quem elegemos para Presidente da República não é para ser decorativo, não é para fazer muitos sorrisos e dar palmadinhas e abraços. Os afetos são importantes, mas mais é ser vigilante e estar em permanente articulação com o Governo, o Presidente da República e os tribunais e garantir que servem os cidadãos”, disse.

As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a 10.ª vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976. A campanha eleitoral decorre até 22 de janeiro.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro

YouTube suspende conta de Bolsonaro por desinformação

Presidente do Brasil é já reincidente na divulgação de notícias falsas sobre a pandemia (tendo já sido alertado antes), pelo que a plataforma avançou de imediato para a suspensão dos seus canais oficiais. O Youtube suspendeu …

Conselho de Ministros acabou em silêncio. Governo só fala esta terça-feira, no Parlamento

Conselho de Ministros extraordinário convocado por António Costa após ser conhecido o sentido de voto do PCP relativamente ao Orçamento do Estado para 2022 durou mais de duas horas, mas terminou sem declarações oficiais. O primeiro-ministro …

Descobertos antigos vestígios de vida envoltos em rubi com 2,5 mil milhões de anos

Um equipa de investigadores da Universidade de Waterloo descobriu resíduo de carbono que já foi uma vida antiga. Estava envolto num rubi com 2,5 mil milhões de anos. Ao analisar algumas das pedras preciosas coloridas mais …

O Sistema Solar pode estar cercado por um túnel magnético

O Sistema Solar pode estar rodeado por um túnel magnético. Cientistas sugerem que as estruturas brilhantes, em lados opostos do céu, estejam interligadas à nossa volta, a 350 anos-luz de distância. Jennifer West, investigadora do Instituto …

O volátil, inóspito e sufocante Vénus pode afinal ter oceanos de água debaixo da crosta

Devido à elevada temperatura da atmosfera de Vénus, caso a crosta se abrisse, os oceanos de água transformar-se-iam imediatamente em vapor. Conhecido por ser um planeta com uma atmosfera quente e sufocante de dióxido de carbono …

Mais de mil ovelhas e cabras tomaram conta das ruas de Madrid (por um bom motivo)

Mais de mil ovelhas e cabras encheram as ruas de Madrid, este domingo, a propósito do tradicional Festival da Transumância, que foi cancelado no ano passado devido à pandemia da covid-19. De acordo com a agência …

Crise de abastecimento provoca escassez de camisolas de Natal

Na próxima época natalícia, os Estados Unidos podem enfrentar uma escassez de Ugly Sweaters, causada pela crise mundial dos transportes marítimos. As Ugly Sweaters são as típicas camisolas de Natal - por norma, coloridas e com …

Erupção de La Palma. Cães salvos por um grupo misterioso

Um grupo misterioso - que se auto-denomina A-Team - afirma ter resgatado vários animais "presos" devido à erupção do vulcão Cumbre Vieja em La Palma, nas Canárias. De acordo com o jornal britânico The Guardian, as …

Alec Baldwin

Assistente que entregou arma a Alec Baldwin já teria tido práticas inseguras

Uma fabricante de adereços disse que, no passado, já tinha mostrado preocupação com o facto de o assistente de realização ter protagonizado situações inseguras. No fim-de-semana, um documento judicial obtido pela CNN mostrou que a arma …

Metade dos chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se em bloco

Uma dezena de chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se esta segunda-feira, em protesto contra a falta de condições de trabalho e o "desinvestimento" no Serviço Nacional de Saúde. Contactada pela agência Lusa, …