Especial ZAP | O Aliança não é um “partido de cartazes bonitos”, é uma mescla de experiência e caras novas

O Aliança de Santana Lopes não é um partido de “cartazes bonitos”, assumido-se antes como uma “mescla” de experiência e caras novas. Em entrevista ao ZAP, Bruno Ferreira Costa, cabeça de lista no Porto, garante que o partido trabalha para conseguir lugar no Parlamento, fazendo ainda uma avaliação negativa aos quatro anos de legislatura do Governo liderado por António Costa.

Criado em outubro de 2018, o “recém-nascido” Aliança parte para as eleições de domingo com três grandes bandeiras hasteadas: combate à pobreza e à exclusão social, crescimento económico e coesão territorial. Ao ZAP, Bruno Ferreira Costa explicou que estas bandeiras se traduzem em várias propostas no programa eleitoral do Aliança.

No que respeita à exclusão social e ao combate à pobreza, o Aliança propõe medicamentos gratuitos para maiores de 65 anos que vivem com um valor abaixo do salário mínimo, bem como um seguro de saúde para todos os portugueses; no campo do crescimento económico, o partido pretende um “sistema fiscal mais estável e atrativo“, que liberte empresas e famílias da atual “asfixia fiscal”; por último, e no âmbito da coesão territorial, Bruno Ferreira Costa destaca a a abolição e isenção de portagens nas ex-SCUTs para residentes e empresas fixadas nesses territórios.

Fazendo um balanço negativo do Governo nos últimos quatro anos de legislatura, Bruno Ferreira Costa aponta o dedo ao Executivo liderado por António Costa no serviços públicos, no crescimento económico e nas “guerras abertas” com algumas classes.

“Uma avaliação negativa que incide em primeiro lugar pelo estado em que os serviços públicos são deixados, nomeadamente o Serviço Nacional de Saúde e a demora no acesso a consultas de especialidade em diversas unidades hospitalares (…) Destacamos também os quatro anos perdidos ao nível do crescimento económico, quando comparamos principalmente com os países que entraram em 2004 na UE, os países do leste europeu, e que crescem a 4/5% e que de facto já nos ultrapassaram. Aquilo que nos temos é que de facto o pais está a ser ano após ano ultrapassado ao nível do crescimento, ao nível da competitividade, ou seja essa é uma marca também negativa deste Executivo”.

Por último, apontou, “a guerra aberta que o Governo fez a um conjunto de classes profissionais: professores, médicos, enfermeiros, forças de segurança, foram considerados quase como inimigos do estado”, acrescentou, afirmando que estes conflitos “tem obviamente reflexos nos valores da emigração nestes setores”.

Falta de oposição ao Governo e os “cartazes bonitos”

O candidato não duvida que faltou oposição ao Governo, recordando ainda que o Executivo contou com os partidos de esquerda para fazer aprovar Orçamentos de Estado.

“O facto de este deste Governo beneficiar de uma conjuntura nacional única, que foi de facto os partidos de extrema-esquerda apoiarem o Governo e aprovarem os quatro orçamentos (…) Mas faltou também uma oposição mais consistente, mais séria, demonstrando que há uma alternativa, uma alternativa focada naquilo que é a valorização do mérito, do trabalho, do crescimento económico, uma valorização daquilo que é a iniciativa privada, uma valorização daquilo que é o Portugal como um todo e não Portugal centralizado, muito focado nas grandes metrópoles e portanto não houve essa voz ativa”.

E é aqui que o Aliança, que se afirma como uma “mescla” de caras novas e experiência, considera que pode ser parte da solução: “Consideramos que poderemos ser essa voz e que seremos essa voz na próxima legislatura”.

Bruno Ferreira Costa diz também que o que distingue o Aliança das demais forças partidárias é a “seriedade em fazer política”, um elemento fundamental, segundo o candidato. “Não somos especializados em cartazes bonitos, em jogos de humor, nós, de facto, focamo-nos em propostas, propostas que possam resolver e dar resposta aos problemas dos portugueses”, assegurou.

Para domingo, o Aliança espera eleger um grupo parlamentar para, a partir daí, conseguir cumprir os seus objetivos. “Acreditamos que de facto vamos eleger esse grupo parlamentar. Os círculos eleitorais onde é mais provável a eleição fruto da estrutura do próximo sistema político eleitoral: Lisboa, porto, Setúbal, Braga”, enumerou.

“Independentemente dos resultados, a Aliança nasceu, e nasceu para afirmar uma alternativa e essa alternativa será assinalada, independentemente dos resultados”.

O candidato deixou ainda um apelo à participação eleitoral, para que os “portugueses não permitam que outros decidam por si”. “De facto, o voto em branco, o voto nulo ou a abstenção significa tão só anular a nossa voz. Aquilo que dizemos aos portugueses é que se querem ter voz na Assembleia da República o voto útil é o voto no Aliança”.

Nas europeias de maio, o Aliança, que trouxe Pedro Santana Lopes, líder e fundador do partido, de volta à vida política, conseguiu 1,86% dos votos, atrás do PAN (5,83%), não conseguindo eleger nenhum deputado para o Parlamento Europeu.

FM, MC, SA / ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcha pelo Clima juntou milhares em Madrid. Greta saiu por recomendação da polícia

Milhares de pessoas participaram, esta sexta-feira, em Madrid, na Marcha pelo Clima, encabeçada pela jovem ativista ambiental sueca, que teve de abandonar a manifestação por recomendação da polícia. A Marcha pelo Clima começou às 18h00 locais, …

City vs United. Em Manchester, há uma guerra anónima a ser travada entre oriente e ocidente

Este sábado, Manchester City e Manchester United defrontam-se dentro de campo. Mas fora das quatro linhas decorre uma batalha oculta pelo domínio ideológico de gestão. O dérbi de Manchester é sempre um confronto importante no calendário …

Múmias milenares tinham tatuagens escondidas (e já podemos vê-las)

As tatuagens escondidas em antigas múmias egípcias estão agora a ser reveladas pelos cientistas, usando uma nova tecnologia de infravermelho, permitindo vislumbrar como os membros da sociedade há três mil anos viviam e trabalhavam. Tatuagens semelhantes …

Miguel Albuquerque avisa: deputados madeirenses do PSD podem viabilizar OE

O presidente da estrutura regional do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, disse esta sexta-feira que os três deputados na Assembleia da República poderão votar o Orçamento do Estado caso as reivindicações da região estejam asseguradas. “O Orçamento do …

"Não há falta de médicos" nos hospitais de Coimbra e Algarve, diz Marta Temido

A ministra da Saúde afirmou esta sexta-feira que não há falta de médicos nos centros hospitalares universitários do Algarve e de Coimbra, admitindo que poderá haver necessidade de rever escalas e formas de organização. “Não me …

Já pode beber uma cerveja que nunca "morre"

https://vimeo.com/377813387 Cientistas chineses criaram uma levedura geneticamente modificada que faz com que a cerveja nunca "morra". Esta inovação pode aumentar o prazo de validade da cerveja, com uma alteração mínima ao seu sabor. Não há nada melhor …

Cotrim Figueiredo: "Siza Vieira não tem peso político para levar a sua avante”

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, "não tem peso político para levar a sua avante" neste Governo, disse o deputado da Iniciativa Liberal João Cotrim Figueiredo, que é também candidato único à liderança do …

Arranca hoje a "contra-cimeira" contra "hipocrisia dos governos"

Enquanto na chamada "zona verde" se prepara a semana das negociações de alto nível da COP25, começa este sábado em Madrid uma contra-cimeira em que os movimentos ativistas procuram um contraponto ao que chamam a …

A maior parte dos produtos de maquilhagem está contaminada com superbactérias perigosas

Nove em cada 10 produtos cosméticos atualmente em uso estão contaminados com superbactérias potencialmente prejudiciais, incluindo E. coli e Staphylococci. Beauty blender, rímel e brilho labial são os produtos que contêm os mais altos níveis …

NASA gravou acidentalmente a explosão de um cometa a aproximar-se do Sol

Astrónomos usaram dados do telescópio espacial TESS para estudar a explosão de um cometa durante a sua aproximação ao Sol. A investigação resultou num artigo publicado em novembro na revista científica Astrophysical Journal Letters. Foi a …