Sem promessas para 2022, Governo admite criar “escalões intermédios” na Função Pública

Rodrigo Antunes / Lusa

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, admitiu, em entrevista ao ECO, rever a tabela salarial da Função Pública e criar “escalões intermédios para as progressões intermédias”.

Em entrevista ao jornal ECO, Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, explicou que, este ano, o Governo preferiu dar aumentos salariais a mais funcionários públicos em vez de concentrar a verba estritamente no nível mais baixo da tabela remuneratória porque isso agravaria a compressão face aos níveis seguintes.

Devido à incerteza da pandemia, o Governo não faz promessas no que diz respeito a salários para 2022. Porém, firmou um outro compromisso para este ano: iniciará este trimestre a revisão do sistema de avaliação dos funcionários públicos.

Segundo Alexandra Leitão, o objetivo é simplificar e agilizar esse sistema, acelerando as progressões, “na medida do possível”. Se os atuais dez anos parecem excessivos para a ministra, uma redução para metade desse período também não lhe parece provável.

Outra opção é rever a tabela remuneratória, criando “escalões intermédios para as progressões intermédias”. No entanto, “é prematuro antecipar soluções”.

Já sobre a descentralização de competências, Alexandra Leitão admite que, ainda que “não avance a galope”, o processo está dar “passos certeiros”, mas a “ritmo mais lento” do que o que o Governo gostaria.

A ministra assegurou que “não está nos planos” fazer qualquer adiamento das transferências. Além disso, suspender a obrigatoriedade de descentralizar este ano “nunca estaria em cima da mesa”.

Quanto às áreas que tutela, Alexandra Leitão garantiu que nenhum funcionário público está proibido de avançar com um pedido de pré-reforma, embora os critérios de acesso não estejam densificados nem haja uma verba autonomizada para esse fim.

Além disso, segundo a governante, a ADSE continua a ser atrativa para os trabalhadores do Estado em comparação com outros seguros e sistemas privados.

Quanto ao anunciado programa de estágios na Administração Pública, a governante assegurou que não se trata de um regresso da precariedade, mas de um instrumento para captar jovens para o Estado, que não vêm cumprir necessidades permanentes, mas trabalhar em projetos concretos e temporários.

A ministra falou também sobre o boom do teletrabalho causado pela pandemia, dizendo ser prioritário avançar com regulamentação, como o direito a desligar e a igualdade de géneros.

Questionada sobre se está confiante de o Governo conseguirá chegar ao fim da legislatura, a governante respondeu que “o Governo tem condições para fazer um mandato completo. Tem um programa de Governo pensado, obviamente, para o mandato completo e é importante que o cumpra. Portanto, sim, penso que há condições.”

Já em relação às eleições presidenciais, Alexandra Leitão fez “um juízo muito positivo” do atual Chefe de Estado, mas defende que é importante que o PS trabalhe para encontrar “um candidato” próprio que possa vir a apoiar formalmente na próxima corrida a Belém daqui a cinco anos. A governante explicou que seria uma figura para “congregar toda a esquerda”.

Por fim, questionada sobre a vacinação dos três dos titulares de órgãos de soberania – Marcelo Rebelo de Sousa, Ferro Rodrigues e António Costa -, a ministra considerou ser importante “proteger as altas figuras do Estado” para evitar que a condução dos destinos do país fique prejudicada.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Serena Williams: "A prioridade é a minha filha, não os Jogos Olímpicos"

Recordista do ténis feminino deixa a entender de que não vai a Tóquio. Naomi Osaka coloca dúvidas à volta do próprio evento. "Sou atleta e, por isso, é claro que o meu pensamento imediato é: quero …

A Cidade do México está a afundar a um ritmo incontrolável

Um novo estudo mostra que a Cidade do México, a metrópole mais populosa da América do Norte, afundou tanto que será impossível salvá-la. Depois de séculos de drenagem dos aquíferos subterrâneos, o leito do lago no …

Micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas

Os micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas, algo semelhante ao que tentamos fazer através do projeto SETI desde 1959. Estaremos sozinhos no Universo? O famoso programa SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) tem tentado …

Tweet de Elon Musk afunda Bitcoins (e dá força à criptomoeda que nasceu como meme)

A Tesla vai deixar de aceitar Bitcoins como forma de pagamento. A revelação foi feita por Elon Musk numa publicação no Twitter e levou à queda do valor da criptomoeda no mercado. A par disso, …

Investigadores criam nova solução para óculos de realidade virtual e aumentada

Uma equipa de investigadores criou uma nova tecnologia para fornecer óculos de realidade virtual que não parecem "olhos de inseto". Num novo artigo publicado na Science Advances, os especialistas descrevem a impressão de ótica de forma …

Genética da população portuguesa pode explicar deficiência de vitamina D

Investigadores portugueses concluíram que a população portuguesa tem uma prevalência superior à média europeia de algumas alterações genéticas que levam a uma predisposição para o défice de vitamina D. Este estudo, coordenado pelo Centro Cardiovascular da …

Polónia quer comprar casa de campo francesa (para recuperar o legado de Marie Curie)

A Polónia quer comprar e renovar a casa de campo francesa de Marie Curie e transformá-la num museu, naquele que é um esforço para reivindicá-la como génio científico e pioneira polaca. Embora tenha nascido na Polónia, …

Min Nyo é jornalista, cobriu os protestos em Myanmar e foi condenado a 3 anos de prisão

Min Nyo, um jornalista birmanês de 51 anos, foi condenado a três anos de prisão pela sua cobertura dos protestos na sequência do golpe de Estado em Myanmar. Min Nyo, que trabalhava para a DVB (Voz …

McDonald's e Casa Branca unem-se para sensibilizar população a ser vacinada

Numa parceria com a Casa Branca, a cadeia de fast food norte-americana também está a dar o seu contributo para sensibilizar a população para a vacinação contra a covid-19. A ideia é promover informações relevantes sobre …

Voo "para lado nenhum" esgota em tempo recorde. Bastaram 2,5 minutos

A companhia aérea australiana Qantas vendeu os bilhetes para o próximo "voo para lugar nenhum" em tempo recorde: 2,5 minutos. A Qantas está a promover um novo "voo para lugar nenhum" que dará aos famintos por …