Sem promessas para 2022, Governo admite criar “escalões intermédios” na Função Pública

Rodrigo Antunes / Lusa

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, admitiu, em entrevista ao ECO, rever a tabela salarial da Função Pública e criar “escalões intermédios para as progressões intermédias”.

Em entrevista ao jornal ECO, Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, explicou que, este ano, o Governo preferiu dar aumentos salariais a mais funcionários públicos em vez de concentrar a verba estritamente no nível mais baixo da tabela remuneratória porque isso agravaria a compressão face aos níveis seguintes.

Devido à incerteza da pandemia, o Governo não faz promessas no que diz respeito a salários para 2022. Porém, firmou um outro compromisso para este ano: iniciará este trimestre a revisão do sistema de avaliação dos funcionários públicos.

Segundo Alexandra Leitão, o objetivo é simplificar e agilizar esse sistema, acelerando as progressões, “na medida do possível”. Se os atuais dez anos parecem excessivos para a ministra, uma redução para metade desse período também não lhe parece provável.

Outra opção é rever a tabela remuneratória, criando “escalões intermédios para as progressões intermédias”. No entanto, “é prematuro antecipar soluções”.

Já sobre a descentralização de competências, Alexandra Leitão admite que, ainda que “não avance a galope”, o processo está dar “passos certeiros”, mas a “ritmo mais lento” do que o que o Governo gostaria.

A ministra assegurou que “não está nos planos” fazer qualquer adiamento das transferências. Além disso, suspender a obrigatoriedade de descentralizar este ano “nunca estaria em cima da mesa”.

Quanto às áreas que tutela, Alexandra Leitão garantiu que nenhum funcionário público está proibido de avançar com um pedido de pré-reforma, embora os critérios de acesso não estejam densificados nem haja uma verba autonomizada para esse fim.

Além disso, segundo a governante, a ADSE continua a ser atrativa para os trabalhadores do Estado em comparação com outros seguros e sistemas privados.

Quanto ao anunciado programa de estágios na Administração Pública, a governante assegurou que não se trata de um regresso da precariedade, mas de um instrumento para captar jovens para o Estado, que não vêm cumprir necessidades permanentes, mas trabalhar em projetos concretos e temporários.

A ministra falou também sobre o boom do teletrabalho causado pela pandemia, dizendo ser prioritário avançar com regulamentação, como o direito a desligar e a igualdade de géneros.

Questionada sobre se está confiante de o Governo conseguirá chegar ao fim da legislatura, a governante respondeu que “o Governo tem condições para fazer um mandato completo. Tem um programa de Governo pensado, obviamente, para o mandato completo e é importante que o cumpra. Portanto, sim, penso que há condições.”

Já em relação às eleições presidenciais, Alexandra Leitão fez “um juízo muito positivo” do atual Chefe de Estado, mas defende que é importante que o PS trabalhe para encontrar “um candidato” próprio que possa vir a apoiar formalmente na próxima corrida a Belém daqui a cinco anos. A governante explicou que seria uma figura para “congregar toda a esquerda”.

Por fim, questionada sobre a vacinação dos três dos titulares de órgãos de soberania – Marcelo Rebelo de Sousa, Ferro Rodrigues e António Costa -, a ministra considerou ser importante “proteger as altas figuras do Estado” para evitar que a condução dos destinos do país fique prejudicada.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais e menos 151 mil cirurgias em 2020

No ano em que a pandemia chegou a Portugal, houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. A covid-19, que chegou a Portugal a 2 de março de 2020, obrigou …

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …

Mais 41 mortes e 718 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais 41 mortes e 718 novos novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 718 …

Navalny chega a colónia penal a leste de Moscovo

O principal opositor do Kremlin chegou, este domingo, a uma zona a cerca de 200 quilómetros a leste de Moscovo para ser transferido para uma colónia penal onde vai cumprir a sua pena, informou um …

Já chegou o voo de repatriamento com 300 passageiros vindos do Brasil

O voo de repatriamento vindo do Brasil chegou, este domingo de manhã, ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com cerca de 300 passageiros. De acordo com a RTP, o voo de repatriamento vindo de São Paulo, …

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …

Siza Vieira anuncia que Programa Apoiar vai ser reforçado e alargado

O programa Apoiar, destinado a empresas afetadas pela pandemia da covid-19, vai ser reforçado e alargado a novas situações, anunciou o ministro da Economia, indicando que as medidas vão ser anunciadas na próxima semana. "Queremos reforçar …