/

Aldeia de Mirandela nunca vendeu tantos morangos (e é graças à pandemia)

2

Na “Capital do Morango”, chegou a temer-se o pior, devido à pandemia de Covid-19, mas os produtores da pequena aldeia de São Pedro Velho, em Mirandela, no distrito de Bragança, conseguiram duplicar as vendas depois de um apelo feito nas redes sociais.

Devido às medidas de contenção da pandemia, foi anulada a Feira Anual do Morango que se realiza no mês de Maio, na pequena aldeia de cerca de 180 habitantes. Este evento permitia vender “oito a dez toneladas” de morangos. Surgiram, assim, receios de graves problemas no escoamento do produto.

Mas, depois de um apelo feito pela Junta de Freguesia nas redes sociais, começaram a chover encomendas. “A partir daí os telefones nunca mais pararam de tocar“, refere à TSF o presidente da Junta de Freguesia de São Pedro Velho, Carlos Pires.

“Está tudo a pedir, não temos mãos a medir“, refere à Lusa um dos produtores de morangos da região, Armindo Alves.

As encomendas chegam de todo o lado, não apenas de Portugal, mas também de países como Itália e França.

Grandes grupos de Itália e de França que nos contactaram e muitos armazenistas também mostraram interesse em comprar”, nota Carlos Pires, salientando que foi também notório “um espírito solidário por parte de milhares de portugueses” que fizeram contactos “por Messenger, por SMS, por telefone, por e-mail”. “Foi uma coisa impressionante o movimento que se criou para ajudar no escoamento do morango”, destaca o autarca.

A aldeia tem cinco produtores de morangos que têm, em média cada um, “sete a oito trabalhadores diários na apanha”, colhendo entre “500 a mil quilos todos os dias”, como refere o autarca em declarações à Lusa. Habitualmente, produzem cerca de 80 toneladas de morangos.

Neste mês, apesar de todas as dificuldades associadas à pandemia, conseguiram mais do que duplicar as encomendas. “Quando antes tinham 50 clientes, neste momento têm 100 ou 150 armazenistas com vontade de comprar morango”, frisa Carlos Pires.

Um dos armazenistas de morangos, com sede em Bragança, tinha antecipado o encerramento devido à Covid-19, mas continua, afinal, de portas abertas.

A Câmara de Mirandela tem estado a apoiar os produtores com a oferta de máscaras, álcool e luvas para os trabalhadores que participam nas colheitas. Além disso, também adquiriu cerca de 200 quilos de morangos a cada um dos cinco produtores.

Os produtores ainda não fazem entregas ao domicílio, nem vendem online. Estão a vender a intermediários e a armazenistas por toda a região de Trás-os-Montes.

“Modéstia à parte, as pessoas quando provam dizem que é o melhor morango e que nunca provaram um morango tão adocicado e tão frutado como é o morango de São Pedro Velho”, diz, com orgulho, o presidente da Junta de Freguesia.

  ZAP // Lusa

2 Comments

  1. Ainda bem, boas notícias!
    Agora, p/o ano, quem já ficou cliente e se provou uma qualidade tão boa, decerto voltará!
    Temos que acreditar!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.