/

Água potável de cidade canadiana pode estar contaminada com hidrocarbonetos petrolíferos

A cidade de Iqaluit, no território canadiano de Nunavut, declarou estado de emergência após ter encontrado vestígios de petróleo no abastecimento de água.

O departamento de saúde pública da cidade canadiana aconselhou os habitantes de Iqaluit a não beber água da torneira devido à suspeita de contaminação de hidrocarbonetos petrolíferos no abastecimento de água.

Segundo o The Independent, o aviso alerta os cidadãos para não consumirem água da torneira, mesmo que filtrada ou fervida, até nova ordem. Os recém-nascidos não devem tomar banho com esta água, ao contrário dos residentes mais velhos.

Iqaluit declarou estado de emergência na segunda-feira e anunciou que as autoridades municipais estão a investigar a “infiltração em câmaras subterrâneas” numa estação de tratamento de água da cidade como fonte potencial de contaminação.

No início do mês, vários habitantes queixaram-se que a água das suas torneiras cheirava a combustível, apesar de, a 4 de outubro, os testes realizados terem indicado que a qualidade da água potável da cidade era satisfatória.

As autoridades estão à espera dos resultados de laboratório para confirmar o tipo e a concentração de hidrocarbonetos no abastecimento de água.

Kenny Bell, Presidente da Câmara de Nunavut, disse que o governo do território está a trabalhar para ajudar Iqaluit na sua crise de emergência hídrica, através do transporte de cerca de 80 mil litros de água ao longo de três dias.

A preocupação dos quase 8.000 habitantes da área afetada está a crescer. Os residentes começaram a comprar água engarrafada, que pode custar 9 dólares (quase 8 euros) por litro, e a recolher água limpa do rio Sylvia Grinnell.

O Canadá é um dos países mais ricos em água do mundo: cerca de 20% dos recursos de água doce estão localizados no seu território. No entanto, o acesso a água potável é desigual: a água das reservas indígenas está contaminada há décadas com vários produtos químicos ou bactérias.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.