Afinal o sexo fraco é o mais forte (e desde o berço)

Uma equipa de investigadores descobriu que as meninas recém-nascidas apresentam características bioquímicas que as tornam mais fortes do que os meninos na resposta ao stress. E ter filhas também acarreta menos riscos para as mães durante o parto.

As conclusões são de um estudo feito por investigadores da Universidade de Granada, em Espanha, que, em colaboração com o hospital local San Cecilio, estudaram 56 mulheres grávidas saudáveis – 27 deram à luz meninos e 29 tiveram filhas.

Segundo o comunicado dos investigadores, este é o primeiro estudo que “avalia o stress sofrido pela mãe e pela criança recém-nascida durante o período perinatal”, a fase imediatamente anterior e a seguir ao parto.

Os cientistas analisaram amostras de sangue das mães e dos filhos, retiradas das veias e dos cordões umbilicais, depois do parto.

“Os resultados mostram que as meninas lidam com o stress oxidativo e com a inflamação melhor do que os meninos”, salienta-se no citado comunicado que frisa que elas apresentaram “maiores defesas antioxidantes e menos stress oxidativo nas membranas das células do que os bebés rapazes”.

Esta circunstância deve-se ao facto de possuírem “sistemas enzimáticos mais desenvolvidos quando nascem, reduzindo assim os danos causados às células e melhorando o metabolismo celular”, apontam os autores do estudo.

É o mesmo que dizer que as meninas recém-nascidas respondem melhor ao stress do que os meninos.

Além disso, ser mãe de uma menina é também menos agressivo para a mulher do que ter um rapaz.

As grávidas que têm raparigas apresentam “mais defesas anti-oxidantes e menos danos nas bio-moléculas principais” em comparação com as que têm rapazes e “menos processos inflamatórios durante o parto”, constatam os investigadores.

O estudo, publicado no jornal científico Pediatric Research, faz uma associação clara entre o género do recém-nascido e os processos de oxidação e os sinais de inflamação.

Segundo os autores do estudo, Julio José Herrera e Javier Díaz Castro, investigadores do Departamento de Psicologia da Universidade de Granada, “estas descobertas abrem um novo e excitante campo de pesquisa centrado no sexo dos neonatos como um factor de risco para várias alterações funcionais”.

“Estas alterações funcionais têm um grande impacto na sua esperança de vida e no desenvolvimento de futuras patologias”, salientam os investigadores.

“O género dos recém-nascidos determina não apenas como a mãe lida com o processo de parto, mas também a forma como os neonatos confrontam o ambiente hipertóxico que o mundo extra-uterino é”, salienta o estudo.

SV, ZAP

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. E não é apenas a questão enzimática!…
    Basta ver o que acontece ao longo da vida e quem é o sexo forte! Algum filho ou filha que pede ao pai para sair à noite o faz sem ouvir “já falaste com a tua mãe”?
    Quantos homens sabem o que vestir? Quantos homens decidem os programas de saídas ou fins de semana?
    Isto é uma sociedade absolutamente matriarcal em que uns machõezitos acham quer ser homem é dar umas bofetadas às namoradas ou mulheres!

    • Muito bom o seu comentário!
      Aliás, quando uma mulher dá à luz, não existem dúvidas de quem é a sua mãe (redundância à parte), agora pai já não se pode ter muitas certezas, ahhahahahhahah
      Por isso é que uma sociedade matriarcal faz todo o sentido.

      • Uma sociedade matriarcal faz tanto sentido como uma sociedade patriarcal. Em ambos os casos há um sexo dominante e outro que eventualmente luta pelos seus direitos e igualdade. Nenhum deles persiste sem conflitos. O ideal é uma sociedade humanista e igualitária. O feminismo deve ser apoiado enquanto apelar à igualdade entre mulheres e homens, mas não se deve tornar um radicalismo sexista que defina a mulher como superior ao homem e em relação ao qual deve ter mais direitos e privilégios. Aí teremos a balança desiquilibrada e o caldo entornado. Que as descobertas científicas recentes não contribuam para esse extremo!

  2. E quem é que determinou que as mulheres são o sexo fraco?!
    Os homens desta sociedade machista, claro! Sempre suprimiram o valor das mulheres ao longo de milhares de anos!

    • Oxalá não a actual sociedade “machista”, ap@neleirada à custa de incontáveis sermões culpabilizadores via os Media, não se desmorone assim, de repente. Quem sabe de repente descobrem que os homens tinham utilidade e … já não funcionam porque são doutrinados dia e noite e desde o berço que ser mulher (ou equivalente) é a única via para se ser “aceitável”. Merecem essa resposta à ladainha constante. Só é pena é o preço a pagar por tal demonstração.

RESPONDER

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …

Cientistas observaram pela primeira vez porcos a usar ferramentas

Uma equipa de cientistas registou pela primeira vez uma família de javalis das Visayas, num jardim zoológico em Paris, a usar paus para cavar e construir ninhos. Os porcos não gostam só de chafurdar na lama …

Transição verde: o mundo tem muito a aprender com uma pequena cidade na Islândia

Uma pequena cidade no norte da Islândia tornou-se quase neutra em dióxido de carbono (CO2). Uma equipa de cientistas viajou até ao país insular nórdico para descobrir como podemos aprender com esta cidade. Atualmente, as cidades …