Afinal festival de Vilar de Mouros não se repete em 2015

flun1tr4z3p4m / Flickr

-

O festival de Vilar de Mouros não se vai realizar este ano, tal como anunciado, por “incapacidade da organização”, a cargo da Associação dos Amigos dos Autistas (AMA), disse à Lusa o autarca daquela freguesia de Caminha.

“A AMA manifestou dificuldades em cumprir o protocolo assumido com o anterior e o atual executivo municipal, mostrou incapacidade e impreparação para levar a cabo um festival com esta dimensão”, afirmou Carlos Alves esta sexta-feira.

A organização do festival, segundo protocolo assinado pouco antes das eleições autárquicas de 2013 pelo executivo social-democrata anterior, está a cargo da AMA, que, em conjunto com a Câmara de Caminha e com a Junta de Freguesia de Vilar de Mouros – proprietária dos terrenos -, deveria assumir essa função até 2017.

O socialista entretanto eleito para a presidência da autarquia, Miguel Alves, convocou para sexta-feira uma conferência de imprensa para falar sobre o assunto. Contactado pela Lusa, escusou-se a confirmar o cancelamento do festival e o fim do protocolo estabelecido com aquela associação.

A Lusa tentou ainda contactar o presidente da AMA, Marco Reis, mas sem sucesso.

No final da edição de 2014, que marcou o relançamento do evento após um interregno de oito anos, a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) tinha anunciado que, em 2015, o festival iria realizar-se entre 30 de julho e 1 agosto com um cartaz para “arrastar massas” até à mítica aldeia daquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

O presidente da Junta, Carlos Alves, explicou que uma das razões que conduziu ao fim da relação com a AMA prende-se com “o incumprimento de obrigações assumidas” no protocolo que “o anterior executivo se apressou a realizar face à proximidade das eleições autárquicas de 2013”.

“Na altura, em fazia parte da oposição na Junta de Freguesia, e contestei a forma precipitada como foi assumido aquele compromisso com uma instituição sem experiência para organizar um evento desta dimensão e grandeza”, sustentou Carlos Alves.

O protocolo, entretanto reformulado pelo atual executivo camarário prevê, entre outros aspetos, “a duplicação” da compensação financeira a pagar pela AMA à Junta, que passou para 20 mil euros e que poderia crescer em função das receitas de bilheteira.

“A AMA não conseguiu cumprir essa cláusula e outras a que estava obrigada”, afirmou Carlos Alves justificando o incumprimento com o “fracasso” da edição de 2014.

Na altura, o presidente da AMA admitiu à Lusa a falta de público que justificou com as “contrariedades” com que a organização se viu confrontada e que adiou o anúncio até três semanas antes do arranque do festival.

Apesar de lamentar o cancelamento da edição deste ano, “pela sua importância para a economia do concelho e da região”, Carlos Alves manifestou-se confiante que em 2016 “o festival aparecerá com outras força e dinâmica”.

“A Câmara e a Junta estão em perfeita sintonia e empenhadas em trazer para Vilar de Mouros uma organização com experiência e credibilidade, capaz de realizar um evento desta dimensão e de conseguir puxá-lo para o seio dos melhores festivais do país”, frisou.

A primeira edição do festival realizou-se em 1971 e contou com a presença do cantor Elton John e da banda Manfred Mann.

Em 2007, a um mês da sua realização, o festival foi cancelado por dificuldades de entendimento entre os vários parceiros envolvidos na organização e não voltou a ser retomado.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …