O alfabeto da vida duplicou. Cientistas criaram ADN sintético com oito letras

Millie Georgiadis / Universidade de Indiana

Estrutura da dupla hélice construída com quatro bases naturais G (verde), A (vermelho), C (azul), T (amarelo), e quatro bases sintéticas, B (ciano), S (cor-de rosa), P (roxo), e Z (laranja)

O ADN Hachimoji é a nova forma de ADN sintético, feito em laboratório, com o dobro dos blocos que existem no ADN natural e pode ter várias aplicações.

Cientistas criaram em laboratório o ADN HachimojiHachi significa “oito” e moji quer dizer “letra” em japonês. Trata-se de uma nova forma de ADN sintético, que contém o dobro dos blocos que existem no ADN natural. Não, não se trata de vida alienígena: este “produto” não sobrevive fora de um ambiente controlado.

“O ADN Hachimoji não consegue ir a lado nenhum sem escapar do laboratório”, garantem os investigadores. Aliás, não configura sequer uma ameaça. Pelo contrário, este novo sistema genético pode vir a ser muito útil em aplicações biológicas sintéticas, como o diagnóstico de doenças, monitorização de vírus, armazenamento de informação e terapias inovadoras.

A Biologia diz-nos desde sempre que o nosso ADN é feito com quatro letras – A, T, G e C, as iniciais das bases químicas adenina, timina, guanina e citosina. Além de codificar as informações necessárias para criar vida, o ADN tem a capacidade de armazenar, copiar e expandir a informação genética.

As combinações destas quatro letras, que escrevem o nosso código genético, não acontecem por acaso. Desta forma, e porque não se devem cometer erros de ortografia, há duas combinações possíveis: o par de bases A-T e o par de bases C-G.

Mas se com quatro letras já se faz tanto, o que seria capaz de se fazer com o dobro? Os cientistas, ambiciosos, quiseram responder a esta questão.

Assim, em 2012, um grupo de cientistas norte-americanos publicou um artigo científico no qual mostra que o ADN sintético de seis letras que havia sido criado podia ser copiado e transcrito com sucesso em ARN, uma molécula com várias funções biológicas importantes como a codificação genética, explica o Público.

Dois anos depois, uma equipa de investigadores do Instituto Scripps, nos Estados Unidos, anunciou que tinha criado células com seis letras, adiantando que o aperfeiçoamento desta técnica poderia abrir a porta a um novo mundo de novidades, como a criação de células sintéticas usadas para produzir proteínas.

Agora, foi dado mais um passo neste sentido: mas em vez de seis, oito. Num laboratório, também norte-americano, os cientistas conseguiram criar um novo ADN sintético com o dobro das letras do ADN natural – o ADN Hachimoji.

O ADN hachimoji pode fazer tudo que o ADN natural faz para sustentar a vida. Faz pares de maneira previsível e há regras que tornam possível prever a sua estabilidade. O ADN de Hachimoji pode ser copiado para produzir ARN Hachimoji, é capaz de orientar a síntese de proteínas”, adianta o comunicado de imprensa sobre o estudo.

Por esse motivo, e apesar de se tratar de um ADN sintético, os cientistas recusam o rótulo de “vida alienígena”, uma vez que para merecer essa designação precisaria de ser auto-sustentável. O ADN Hachimoji precisa de um fornecimento estável de “matéria-prima” criada em laboratório e que não existe fora desse ambiente.

Quanto a aplicações práticas, o estudo, publicado recentemente na Science, esclarece que pode ser útil no campo da biologia sintética aplicada: diagnósticos melhorados, alternativas ao silício para armazenamento de informações, proteínas com aminoácidos extras e novos tipos de fármacos, por exemplo.

LM, ZAP // Live Science

PARTILHAR

RESPONDER

Governador das Filipinas diz que cantores de karaoke prejudicam combate à pandemia

Um governador de uma província das Filipinas voltou a sua atenção para um grupo de pessoas que, segundo ele, estão a prejudicar a luta contra a pandemia: cantores de karaoke. Numa publicação no Facebook na madrugada …

Histórico: Filipe Albuquerque vence 24 Horas de Le Mans e sagra-se campeão mundial de LMP2

O português Filipe Albuquerque, da United Autosports, venceu este domingo as 24 Horas de Le Mans em automobilismo, na categoria LMP2, a segunda mais importante, e sagrou-se campeão mundial de resistência a uma corrida do …

Convenção do Chega chumba lista de André Ventura para a direção nacional

A proposta do presidente do Chega, André Ventura, para a direção nacional do partido foi hoje chumbada na convenção que decorre em Évora, ao não conseguir reunir os dois terços dos votos dos cerca de …

Portugal com mais 13 mortos e 552 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza hoje mais 13 mortos relacionados com a covid-19 e 552 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo os dados a DGS, a região …

TikTok anuncia acordo com Oracle e Walmart e adia proibição nos EUA

A aplicação TikTok, detida pela sociedade chinesa ByteDance e ameaçada de ser proibida nos Estados Unidos, anunciou este domingo um acordo de princípio com a Oracle, como parceiro tecnológico, e com a Walmart, em termos …

As gaivotas são inoportunas? Saiba que as suas fezes podem valer mil milhões de dólares

Afinal, as gaivotas podem ser animais bem mais interessantes do que aquilo que a maioria das pessoas pensa. É que as suas fezes são muito valiosas e os seus nutrientes fertilizam campos agrícolas e recifes …

Super-vulcão Yellowstone registou 91 terramotos em apenas 24 horas

Os vulcanólogos têm andado atentos ao super-vulcão localizado no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) relatou recentemente a ocorrência de 91 terremotos em apenas 24 horas. Estes …

Cartoonista alemão Frank Hoppmann é o vencedor do 15.º World Press Cartoon

O 'cartoonista' alemão Frank Hoppmann, com a caricatura do primeiro-ministro britânico Boris Johnson, é o vencedor da 15.ª edição do World Press Cartoon, foi hoje anunciado nas Caldas da Rainha, na cerimónia de entrega de …

Pequena e funcional. Assim se carateriza a Tiny House (que ainda evita dores de joelhos)

Esta pequena casa móvel pode ser a solução que procura. Devido à sua arquitetura dinâmica é ótima para pessoas com problemas de articulações e que sofrem com dores joelhos, pernas cansadas ​​ou dores nas costas. Hoje …

Chama-se Elios, é um drone e vai explorar as profundezas das cavernas de gelo da Gronelândia

Elios é o drone que está a ajudar os investigadores a descobrirem mais sobre os mistérios da Gronelândia. Inserido numa estrutura própria, tem explorado as cavernas de gelo, facilitando assim o acesso a locais mais …