Para já só 180 trabalhadores aceitaram acordo com a TAP. Discórdia pode levar a despedimento coletivo

Patrick Ludolph / Wikimedia

Airbus A319 da TAP

A TAP já chegou a acordo com 180 pessoas na última fase do programa de medidas voluntárias. A expectativa da companhia é que saiam cerca de 500 trabalhadores, que se irão juntar às adesões contabilizadas em fases anteriores do processo. Cenário de despedimento coletivo não está ainda afastado.

A companhia aérea e os sindicatos acordaram várias medidas voluntárias para reduzir a necessidade de despedimentos no âmbito do plano de reestruturação. Estas têm sido apresentadas aos trabalhadores por fases, sendo que a última arrancou há quase um mês.

Quem foi chamado a aderir, está a ter reuniões individuais com os recursos humanos, o que prolonga o processo. Para já, ainda só foi alcançado menos de metade do objetivo.



Segundo o ECO, 180 pessoas já aceitaram, mas há também quem esteja a contestar e ameace processar a empresa pela forma como está a conduzir o programa, situação que poderá levar a um despedimento coletivo.

Com esta hipótese em cima da mesa, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) escreveu ao presidente do Conselho de Administração da TAP e ao presidente da Comissão Executiva a pedir que o ajuste de quadros seja feito sem qualquer despedimento coletivo.

“Tudo indica que nos aproximamos da derradeira fase do processo de ajustamento de quadros, o despedimento coletivo. Para a TAP trata-se de uma inevitabilidade, mas para o SPAC trata-se de um processo perfeitamente evitável”, lê-se na carta dirigida ao presidente do Conselho de Administração, Miguel Frasquilho, e ao presidente da Comissão Executiva, Ramiro Sequeira, a que a Lusa teve acesso.

No documento, o sindicato volta a contestar os números apresentados pela consultora BCG que são a base do plano de reestruturação da TAP, sublinhando que as métricas usadas para o cálculo do número de pilotos necessários à operação “estão completamente desfasados da realidade, bem como as métricas financeiras subsequentes”.

Após ter identificado um excesso de 2.000 trabalhadores que era necessário cortar na empresa, a TAP reduziu essas necessidades em cerca de 750 postos graças aos acordos de emergência, recorda o ECO.

Depois disso, a primeira vaga de medidas voluntárias, que terminou a 24 de março, poupou outros 700 pontos de trabalho, a que se juntaram outros 160 postos de trabalho da segunda fase de medidas voluntárias.

Posteriormente, houve ainda 1.160 contratos a prazo que não foram renovados e estão sob análise cerca de 45 pedidos de transferência para a Portugália.

No final das contas, o excesso de efetivos ficou assim em cerca de 550, que é o número previsto para esta terceira fase.

Agora, enquanto estão a negociar uma eventual saída, quem foi chamado a aderir fica com o contrato de trabalho suspenso, passando a uma situação de lay-off a 100%, enquanto a generalidade dos trabalhadores da TAP está atualmente num regime de lay-off clássico de redução do horário de trabalho.

Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Os dentes das formigas-cortadeiras são tão resistentes como facas

Um novo estudo indica que as formigas-cortadeiras têm uma teia de átomos de zinco entrelaçados na estrutura biológica das mandíbulas, o que lhes dá a durabilidade de um conjunto de facas de aço inoxidável. De acordo …

Francisco George defende vacinação de crianças com menos de 5 anos contra a covid-19

As crianças maiores de cinco anos devem ser vacinadas contra a covid-19, desde que a segurança e a eficácia da vacina estejam comprovadas cientificamente nestas idades, defende o médico especialista em saúde pública Francisco George. A …

Cientistas imprimiram, pela primeira vez, células cerebrais vivas em 3D

Uma equipa de cientistas usou uma nova técnica laser e conseguiu imprimir em 3D células cerebrais vivas. A maioria dos neurónios sobreviveram durante mais de dois dias após terem sido impressos em 3D, o que significa …

Descoberto antídoto contra agentes nervosos tipo Sarin e Novichok

Uma equipa do Laboratório Nacional Lawrence Livermore (LLNL), nos Estados Unidos, desenvolveu um antídoto que neutraliza a exposição ao envenenamento por agente nervoso. O estudo, que foi publicado na revista Scientific Reports, foi o resultado de …

Marte sobreviveu a super-erupções (que libertaram "oceanos" de poeira e gases tóxicos)

A região de Arabia Terra, situada no norte de Marte, já foi palco de erupções suficientemente potentes para libertar "oceanos" de poeira e gases tóxicos no ar.  A NASA confirmou, recentemente, que uma região do norte …

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …