Acordo para evacuar vilas sírias abre a porta ao recomeço da evacuação de Aleppo

FreedomHouse / Flickr

Bombardeamento em Aleppo, na Síria

Bombardeamento em Aleppo, na Síria

Um acordo para permitir a saída dos “casos humanitários” de duas vilas xiitas no noroeste da Síria foi alcançado este sábado, abrindo a porta ao recomeço da evacuação do leste de Aleppo, disse o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

A organização, sediada no Reino Unido, disse que a retirada de cerca de 4.000 pessoas, incluindo feridos, das vilas de Foua e Kfarya deverá começar hoje, embora não tenha ainda chegado às duas localidades qualquer autocarro ou ambulância.

Segundo o Observatório, está tudo preparado para a evacuação.

Segundo um jornalista da AFP, milhares de rebeldes e civis aguardam, com frio e com fome, a retomada da evacuação dos últimos bairros rebeldes de Aleppo, operação suspensa na sexta-feira pelo regime de Bashar al-Assad.

Segundo o emissário da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, restam cerca de 40.000 civis no reduto rebelde de Aleppo e entre 1.500 e 5.000 combatentes com as suas famílias.

Lançada na quinta-feira, a evacuação deveria durar vários dias e, uma vez terminada, permitir ao regime proclamar a retomada total da cidade, registando assim a sua mais importante vitória desde o início da guerra, em 2011.

Na sexta-feira, a saída de civis e combatentes dos bairros orientais da cidade foi suspensa, precisamente porque não tinha ainda começado a evacuação de Fua e Kefraya, uma das condições impostas pelo Irão, aliado do Governo de Damasco, para permitir a saída dos rebeldes de Aleppo.

A televisão síria acusou “terroristas” de terem violado o acordo de cessar-fogo em Aleppo e de cortar a estrada pela qual deveria ser feita a evacuação de doentes e feridos de Fua e Kefraya.

Entretanto, fontes opositoras disseram à Efe que milicianos iranianos abriram fogo contra as caravanas de pessoas retiradas e retiveram alguns deles, o que fez suspender a evacuação 24 horas depois de ter começado.

Entre as 4.000 pessoas que está previsto que saiam de Fua e de Kefraya há feridos graves que não podem receber tratamento dentro das localidades, além de órfãos e de familiares de pessoas que já foram retiradas anteriormente.

Cerca de 20.000 pessoas vivem nas duas localidades, de maioria chiita, entre as quais 7.000 menores e 4.500 combatentes leais ao Governo sírio, além de milicianos do grupo do grupo libanês Hezbollah, que se juntou à guerra na Síria, combatendo ao lado das forças governamentais.

A evacuação de Fua e Kefraya poderá permitir o recomeço da evacuação do leste da cidade de Aleppo, na sequência de um acordo entre as partes em conflito.

A perda de Aleppo, o principal bastião e símbolo da revolta na Síria, marcará o fim da rebelião nesta cidade, cuja a zona oriental os rebeldes conquistaram em 2012. Representa também a mais importante vitória do Governo de Assad desde o início da guerra civil.

Mas são sobretudo os civis as vítimas deste conflito: centenas já morreram e quase 130 mil fugiram da cidade desde o início da ofensiva pró-regime, lançada a 15 de novembro para retomar a cidade.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …

Vulcão, La Palma

Aeroporto de Las Palmas inoperacional devido à acumulação de cinzas

O aeroporto de La Palma, na Ilha de Tenerife, nas Canárias, está inoperacional por acumulação de cinzas, resultante da erupção do vulcão Cumbre Vieja, informou hoje a empresa gestora dos aeroportos e do tráfego aéreo …

Siza Vieira reforça que é "trabalho" dos Bancos discutir com os clientes o reembolso das moratórias

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, reforça que cabe aos Bancos "discutir com os seus clientes que têm moratórias nos sectores mais afectados" pela pandemia o reembolso das dívidas após o fim destes mecanismos …

Domingos Soares de Oliveira de saída do Benfica

Além de João Varandas Fernandes e José Eduardo Moniz, o administrador Domingos Soares de Oliveira também não vai integrar a lista de Rui Costa para as próximas eleições. Rui Costa confirmou na terça-feira que é candidato …

Depois do Bayern, Barcelona também está atento a Luis Díaz

Luis Díaz continua a somar boas exibições e clubes interessados na sua contratação. Agora fala-se do desejo do Barcelona em contratar o colombiano em janeiro. Luis Díaz atravessa um momento de forma excecional ao serviço do …

Fuse Valley, Matosinhos

Está a nascer em Matosinhos a Silicon Valley portuguesa (e até Siza Vieira está "espantado")

O "Fuse Valley" promete ser a Silicon Valley portuguesa, em Matosinhos, num empreendimento inovador da Farfetch e da Castro Group que até deixa o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, "espantado". A abertura está prevista …

Portugal aguarda "luz verde" da EMA para avançar com terceira dose aos idosos

Portugal aguarda a autorização da Agência Europeia de Medicamentos para avançar com a administração da terceira dose da vacina contra a covid-19 a maiores de 65 anos. Com base nos resultados de dois grandes estudos científicos …

E depois de Merkel? Alemanha já sente falta da Chanceler que saiu da sombra para salvar o seu "delfim"

Angela Merkel tinha prometido ficar afastada das eleições legislativas deste domingo, na Alemanha, mas saiu da sombra para apoiar o seu "delfim", o candidato da CDU, Armin Laschet, que deverá disputar a vitória com o …