Acesso ao Ensino Superior para alunos do profissional não implicará mais exames

Antoninho Perri / Unicamp

A alteração do acesso ao ensino superior para os alunos com origem nos cursos profissionais, por concursos locais nas instituições, não vai obrigar a exames adicionais e deve ter apenas por base as notas e as competências adquiridas pelos estudantes.

Segundo avançou o Jornal de Notícias na terça-feira, citando a agência Lusa, a garantia foi dada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, no parlamento, durante uma audição regimental na comissão de educação e ciência.

No encontro, o ministro disse aos deputados que o Governo, “em diálogo com as instituições e após discussão com o conselho nacional do ensino superior”, está a “conceber uma 3.ª via” de acesso ao ensino superior para estes alunos – além do concurso nacional de acesso, que obriga a exames nacionais a disciplinas fora dos seus currículos, e dos cursos superiores profissionais (CTESP).

“Mas não é para ter mais provas, foi essa a grande inovação face ao sistema que esteve em discussão e que os próprios institutos politécnicos solicitaram que não fosse posto em prática. É fazer concursos locais usando apenas as aptidões, as competências e as notas que eles têm no seu percurso profissional, à semelhança do que se passa com os alunos do científico humanístico, que não fazem mais nenhum exame”, afirmou Manuel Heitor.

E acrescentou aos deputados: “São os seus exames na via científica e humanística que lhes dão acesso ao ensino superior”.

Os concursos locais terão ainda que ser registados na Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) e só depois serão definidas as vagas alocadas a cada instituição. Segundo explicou o ministro, deverão ser fixadas em 10 a 15% do total de vagas no concurso nacional de acesso, mas o processo de decisão só deve ficar fechado em meados de maio.

Manuel de Almeida / Lusa

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor (dir.)

No final de março, o Expresso noticiou que o Governo estava a preparar alterações no regime de acesso ao ensino superior para os alunos do ensino secundário profissional com efeitos no próximo ano letivo, permitindo que estes – com planos curriculares específicos dos seus cursos mais práticos e profissionalizantes – possam entrar num curso superior sem fazer exames nacionais.

A ideia avançada na altura passava por substituir os exames nacionais em disciplinas que, muitas vezes, não faziam parte dos seus currículos, mas que são prova de ingresso nos cursos superiores, por concursos locais. É dada, assim, a possibilidade às universidades e politécnicos de definirem critérios e provas de acesso específicas para estes alunos.

Na terça-feira o ministro excluiu que as condições de acesso nos concursos locais passem por aplicar provas ou exames.

Em entrevista à Lusa no início de abril, o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Pedro Dominguinhos, recusou que as alterações a ser preparadas possam ser uma via de acesso facilitista para os alunos do ensino profissional.

O responsável sublinhou que existem outras formas de medir os conhecimentos à entrada para os cursos que não passam por exames, e que já são aplicadas em regimes especiais de acesso como o ‘maiores de 23’, um regime específico para adultos.

TP, ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. É uma espécie de autoestrada para a licenciatura e posteriormente para o doutoramento. Isto terá sido inspirado numa figura icónica do PS?!

  2. Bem… Se os cursos profissionais já são o que são… e os alunos destes cursos são o que são… Esta medida é para quê? E os meninos não podem fazer dois exames nacionais porquê??? Ah pois! Não conseguem!

  3. Há algo que escapa a quem conhece as escolas; os alunos do profissional partilham o currículo de português com todos os do regular, assim, por que razão não podem realizar essa prova para acesso ao superior em equidade, pelo menos parcial, com os colegas do regular? Não se compreende, a não ser que se assuma que, globalmente, estes alunos têm problemas ao nível da leitura, interpretação e expressão escrita… Deverão as Universidades ministrar cursos dispensando o domínio destas competências básicas? Quais são, afinal, as razões que sustentam esta medida?

  4. Falar assim é fácil, mas nota-se que não esteve no ensino profissional, eu estive, e a minha esposa no ensino regular, eu quis seguir Electrotécnica e Telecomunicações, pois seria benéfico para depois entrar em Engenharia Electrotecnica, e todas as disciplinas que não sejam relevantes ao curso, são menos aprofundadas que no ensino regular, como matemática, inglês, português, fisica e quimica…e isto pude comprar com a minha mulher, pois ela dava coisas que eu nem sabia o que eram….não deitem areia nos próprios olhos!

    Ensino profissional prepara para uma futura profissão, o ensino regular prepara para os exames nacionais e que possam depois escolher o curso superior que quiserem…

  5. O melhor colega que tive, oriundo do ensino prof., onde tinha tirado 20 a algumas discipl., chegou a reprovar 10 vezes a uma das discip. de matemática, em engenharia!

RESPONDER

Lítio pode reverter malefícios de radiação no cérebro

Cientistas concluíram numa experiência com ratos que o lítio pode reverter os malefícios da radiação no cérebro, podendo o seu uso ser promissor para tratar crianças que foram sujeitas a radioterapia e desenvolveram posteriormente défices …

Um em cada dez sites de compras online usa táticas maliciosas nos clientes

https://vimeo.com/373176205 Um em cada dez sites de compras online usa táticas maliciosas para enganar, iludir ou persuadir os clientes. A tendência é que o recurso a estas práticas aumente nos próximos anos. Um estudo apresentado na semana …

Eurovisão procura voluntários para trabalhar 18 dias seguidos sem vencimento

A procura de voluntários para o Festival Eurovisão de 2020 está a gerar polémica. A organização quer disponibilidade total durante 18 dias, não oferecendo qualquer vencimento, nem pagando despesas de viagem ou estadia. O Festival Eurovisão …

Portugal 6 vs 0 Lituânia | Ronaldo e Cia destroem lituanos

Portugal goleou a Lituânia esta quinta-feira no Estádio Algarve, por 6-0, e está a uma vitória de garantir o apuramento para o Euro 2020, decisão que está marcada para o próximo domingo, quando a seleção …

Um “caixão” nuclear da Guerra Fria pode estar prestes a colapsar

Durante a Guerra Fria, os EUA lançaram 67 bombas atómicas nas Ilhas Marshall, no oceano Pacífico. No fim nos anos 70, os detritos expostos à radiação nas seis ilhas foram transportados para um poço gigante …

App usada para ler dados biométricos de europeus no Reino Unido pode ser pirateada

A aplicação digital criada pelo governo britânico para recolher dados biométricos dos europeus candidatos ao estatuto de residente no Reino Unido, obrigatório depois do Brexit e pedido por 210 mil portugueses, pode ser pirateada, alertou …

Bruxelas abre processo de infração contra Reino Unido por não nomear comissário europeu

A Comissão Europeia anunciou esta quinta-feira a abertura de um procedimento de infração contra o Reino Unido por este Estado-membro, que está em processo de saída da União Europeia (UE), não ter nomeado um comissário. “Enquanto …

Urgência pediátrica do Garcia de Orta encerra à noite a partir de segunda-feira

O serviço de urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, vai fechar à noite a partir de segunda-feira, disse a ministra da Saúde, que prolongou o horário de duas unidades de saúde para …

Hipercarro elétrico da Aspark pulveriza recorde de aceleração

O novo hipercarro elétrico Aspark Owl vai começar a sua produção já no próximo ano e conta já com o recorde de aceleração. O carro vai dos 0 aos 100 km/h em 1,69 segundos. Depois de …

Pelé desafia Ronaldo a bater o seu recorde de 1.283 golos

O ex-futebolista internacional brasileiro Pelé desafiou esta quinta-feira o avançado português Cristiano Ronaldo a superar o seu recorde de 1.283 golos. “Espero que, com a quantidade de golos que já marcou, e foram muitos, tenha saúde …