As abelhas obreiras matam a sua rainha se esta acasalar com dois machos

As abelhas rainhas sem ferrão correm um maior risco de ser executadas pelas abelhas operárias se acasalarem com dois machos em vez de um, revelou um estudo.

A investigação, conduzida por cientistas da Universidade de Sussex, no Reino Unido, e de São Paulo, no Brasil, revela que existem várias razões que podem levar a colónia a virar-se contra a rainha, mas a principal estará associada a uma baixa qualidade na descendência.

De acordo com a publicação, um fator determinante para a eventual morte da rainha estaria associado à genética da determinação do sexo e o risco de ocorrer um “emparelhamento correspondente” – situação que acontece quando o alelo sexual masculino é o mesmo que um dos dois alelos da abelha rainha, nota o Science Daily.

O espécime de um ovo de abelha pode tornar-se masculino ou feminino dependendo de uma posição genética, o locus da determinação sexual.

Os machos comuns surgem de um óvulo não fertilizado e só têm um conjunto de cromossomas da progenitora: ou seja, só possuem um alelo sexual. Caso o óvulo seja fertilizado, o espécime terá dois conjuntos de cromossomas, um de cada progenitor.

Os alelos sexuais são diferentes quando se trata de uma fêmea e, caso sejam iguais, trata-se de um macho diplóide – uma abelha que nemé obreira, nem se pode reproduzir. Na prática, estes machos diplóides são inúteis para a colónia.

A rainha, recorde-se, é a única na colmeia capaz de se reproduzir, as obreiras são inférteis.

Num “emparelhamento pareado”, 50% dos óvulos fertilizados com o espera de um macho podem ser machos diplóides e, se uma rainha estiver emparelhada com dois machos em simultâneo, é duas vezes mais provável que produza estes espécimes.

Quando aparecem machos diplóides, as obreiras de uma colónia percebem que algo não está bem e, por norma, acabam por matar a sua rainha pouco depois.

Os resultados da investigação foram esta semana publicados na revista científica especializada American Naturalist.

ZAP //

 

PARTILHAR

16 COMENTÁRIOS

        • Pois… argumentos é que nem vê-los. Essa suposta autoridade moral de certos valores não basta por si mesma. E o amigo bem o demonstra com a falta de argumentos típica de quem come o que lhe dão.

          • Referi padrões morais, no entanto temos de ser melhor que os animais no que toca às acções, ou neste caso, punições.
            Ninguém está isento de, estando casado, desejar outra pessoa.
            Mas daí ao acto vai, como disse, um padrão moral.
            Os desejos passam, mas o matrimónio, e o alicerce familiar que ele representa, começando nas crianças que sofrem com más condutas dos seus pais, como a praga da infelidade, deve ser preservado.
            A sociedade cada vez mais defende, incentiva e normaliza a excepção à regra, e ridiculariza a monogamia.

            • Já agora, não defendo alguma punição severa para o adultério, como existem noutros países.
              Ele não consta crime no código penal português, mas creio que poderia haver um artigo no que respeita à Comunhão total de bens.

            • Está a ver que até conseguiu arguir bem a sua dama! O problema é que os valores familiares não são propriamente iguais nas diferentes culturas e o querer avaliar as culturas que nos são distantes pelos nossos próprios padrões tem um nome: etnocentrismo. É algo muito em moda como se fossemos donos da razão apenas porque os nossos valores são pretensamente superiores como resultado de se encontrarem mais generalizados nos países desenvolvidos. As culturas dos outros são como que algo marginal. Neste caso concreto acho que cada modelo de sociedade poderá defender o que bem entende e seja aceite pela maioria que a compõe. Afinal posso sempre fazer-lhe a pergunta: e se a abelha rainha andasse metida não com dois machos mas com outra fêmea?

  1. Seria interessante corrigir a reportagem, pois a ilustraram com uma imagem de APIS MELÍFERA e a reportagem oficial, cujo Link baseia a esta, trata de “ABELHA SEM FERRÃO” ou “MELÍPONAS”. São espécies totalmente diferentes, de comportamentos totalmente diferentes
    As “MELÍPONAS” são um conjunto extremamente diverso de abelhas nativas ou indígenas, típicas de cada região do Brasil, uma bem comum para ilustrar é a Jataí.

  2. É importante que se corrija as imagens que constam no texto pois as mesma sao de abelhas com ferrao do genero apis as sem ferrao sao do genero meliponas.

RESPONDER

Afastado juiz que disse que "fechar as pernas" impedia agressão sexual

Um juiz de Nova Jersey, nos Estados Unidos (EUA), que disse que fechar as pernas poderia evitar uma agressão sexual foi impedido de presidir um tribunal, tendo sido afastado da Suprema Corte do Estado. Segundo noticiou …

"Tofu nunca causou uma pandemia", publica PETA em outdoors

A organização de direitos dos animais PETA está a incentivar os norte-americanos a experimentar tofu, através de anúncios em 'outdoors' nos Estados Unidos (EUA) onde defendem que o produto de soja "nunca causou uma pandemia". A …

Portugueses estão menos preocupados com a pandemia, mas apreensivos com a economia

O grau de preocupação com a pandemia diminuiu de 80,9% durante o estado de emergência para 76,2% no estado de calamidade, mas os portugueses estão mais alerta quanto ao impacto na economia, conclui um inquérito …

Nova morte, saqueamentos e protestos. Minneapolis vive caos após homicídio de George Floyd

Um homem foi encontrado morto a tiro, na madrugada de hoje, suspeito de ter sido vítima dos protestos, em Minneapolis, contra a morte de um homem negro sob custódia policial. Durante a noite de quarta-feira, milhares …

Filho de Deeney tem problemas respiratórios. Jogador foi alvo de abusos por recusar treinar

O futebolista Troy Deeney, capitão do Watford, revelou que tem sido alvo de abusos e comentários depreciativos, por ter recusado voltar aos treinos, face aos problemas respiratórios do seu filho. “Vi comentários em relação ao meu …

Parlamento aprova alargamento de apoios a todos os sócios-gerentes afetados pela pandemia

O parlamento aprovou hoje, em votação final global, um texto final que alarga os apoios no âmbito do `layoff´ aos sócios-gerentes das micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia covid-19, independentemente do volume de faturação. Com …

Pandemia de covid-19 alimenta corrupção na América Latina

A propagação da Covid-19 na América Latina está a alimentar a corrupção nos vários países que a integram, que vai desde a inflação dos preços a situações de aproveitamento económico e de ligações entre políticos …

Mais de 500 católicos portugueses contra proibição de comunhão na boca

Mais de 500 católicos portugueses, entre leigos e sacerdotes, apelaram à Conferência Episcopal Portuguesa para revogar a proibição de os fiéis receberem a comunhão na boca, por causa da pandemia de covid-19, informou na quarta-feira …

Adeptos recusam devolução dos bilhetes. Bayern distribui dinheiro por clubes amadores

Os adeptos do Bayern renunciaram ao direito de serem reembolsados pelos bilhetes comprados para os jogos até ao final da temporada. O clube decidiu distribuir o dinheiro pelos emblemas amadores da região da Baviera. Tal como …

Trabalhadores acusam TAP de pagar abaixo do salário mínimo a tripulantes em lay-off

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) acusou hoje a TAP de não estar a pagar o previsto na lei do ‘lay-off’, indicando vários casos em que a remuneração é inferior …