A sagrada ilha japonesa proibida a mulheres é património da UNESCO

As6022014 / Wikimedia

A sagrada ilha japonesa de Okinoshima (ao fundo)

A sagrada ilha de Okinoshima, no Japão, acaba de se converter em Património da Humanidade da Unesco, debaixo de uma forte polêmica, já que, entre as suas regras, encontra-se a proibição de acesso de mulheres.

Situada a 60 km da costa de Kyushu, Okinoshima é um dos três lugares sagrados pertencentes ao Grande Santuário de Munakata, e reúne mais de 80 mil oferendas realizadas aos Deuses xintoístas do mar.

As regras são estritas. Apenas 200 homens por ano podem visitar a ilha, que fica no sudoeste do Japão, e, antes disso, têm que se banhar nus para se purificarem. Os escolhidos não podem comer carne de animais de quatro patas durante a estadia, nem levar nada da ilha – nem sequer uma pequena pedra ou algum pedaço de planta.

Depois de deixar o local, ninguém pode nunca mais falar de Okinoshima.

A UNESCO incluiu agora a pequena ilha de Okinoshima, com menos de 1 km2, na sua exclusiva lista de património protegido, por ser “um exemplo excepcional da tradição de culto de uma ilha sagrada”.

O governo japonês mostrou-se “muito satisfeito” pelo reconhecimento deste “local valioso e único a nível mundial”, e o ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, Fumiov Kishida, disse que respeita “sinceramente todas as pessoas encarregadas de manter as tradições desta ilha sagrada”.

Mas entre estas tradições, está a polémica regra de não permitir que mulheres visitem o local sagrado.

Segundo explicou à Agência EFE Ryuzo Nakaya, responsáel do Gabinete de Património Mundial da província de Fukuoka, houve um intenso debate à volta da inclusão na lista de Património um local onde ao qual é permitido o acesso a mulheres. Mas a UNESCO concluiu que já havia precedentes, como o Monte Athos, na Grécia, e a mesquita Haji Ali, na Índia, entre outros.

“É preciso detalhar, no entanto, que a ilha só aceita fazer convites a frades do Grande Santuário de Munakata”, cerca de 200 homens uma vez por ano, para a realização de um festival, pelo que as restrições não se aplicam apenas as mulheres, explicou Nakaya. “Na realidade, o acesso é proibido a toda a gente – menos a 200 frades”.

O festival, que acontece anualmente, a 27 de maio, serve como homenagem aos marinheiros que morreram numa batalha na região durante a guerra russo-japonesa de 1904-1905.

A ilha é um dos últimos locais no Japão em que não é permitido o acesso a mulheres. O icónico Monte Fuji e o Monte Koya, por exemplo, não podiam ser visitados por pessoas do sexo feminino até 1868 e 1872, respectivamente.

O segredo mais bem guardado de Fukuoka, província à qual pertence Okinoshima e cujos habitantes estavam a trabalhar no projecto há quase uma década, conseguiu tornar-se no 21º local Património da Humanidade do país do sol nascente.

Mas ainda que a presença na lista de Património da Humanidade normalmente se traduza num maior número de visitantes interessados no local, não há planos para abrir a ilha ao público – e muito menos a turistas.

Tanto assim é que, revelou Nakaya, para preservar ainda mais a ilha, o festival de maio, único momento em que é permitido acesso aos 200 frades, deixará de ser celebrado após o reconhecimento de Okinoshima pela UNESCO.

// EFE

1 COMENTÁRIO

  1. Sinceramente não sei qual é a polémica. Com tantos lugares para as mulheres irem qual é o problema de não terem acesso a apenas um lugar do planeta?
    Para as feministas que irão ver o meu comentário eu sugiro que leiam em seguida os vários artigos e várias praias onde somente as mulheres têm acesso e aos quais os homens estão interditos de irem. Vide, por exemplo: Praia só para mulheres Riccione – Itália; em Abu Dhabi a capital dos Emirados Árabes Unidos; República da Chechênia, na Rússia.. e se tiverem um poucochinho de mais paciência poderão ainda encontrar outros lugares onde estão vetados aos homens… não haja dúvida que o sistema beneficia claramente as mulheres, tal é a agenda feminista.
    Vejam:

    http://veja.abril.com.br/mundo/praia-so-para-mulheres-em-abu-dhabi-veta-entrada-de-cameras-e-celulares/
    http://mais.uol.com.br/view/my1ye4q0g9q3/conheca-a-primeira-praia-so-para-mulheres-na-chechenia-04028D993972D8A95326?types=A&
    http://www.reuters.com/article/us-italy-beach-idUSL2719164620070627

    Portanto, da mesma maneira que elas podem argumentar a falta de “privacidade” (notem o entre aspas, para os mais distraídos) também neste singular caso, os frades têm o direito à privacidade de um lugar sagrado para as suas orações.

RESPONDER

Violência doméstica: 18 mulheres assassinadas este ano

18 mulheres foram assassinadas e 23 foram vítimas de tentativa de homicídio em 2017, ano que apresenta a taxa mais baixa de incidência dos últimos 14 anos registada pelo Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA). "É o …

Mais de um mês depois dos incêndios, dois homens continuam desaparecidos

Os incêndios de 15 de outubro fizeram mais de 40 mortos e, mais de um mês depois da tragédia, duas pessoas continuam desaparecidas. A PJ está a cargo das investigações, com o auxílio do Laboratório …

Decisão de mudar Infarmed para o Porto é ilegal

A decisão do Governo de mudar a sede do Infarmed de Lisboa é ilegal porque os trabalhadores não foram consultados sobre este processo. Um dado avançado pelo jornal i quando é certo que mais de …

Caso de legionella identificado em Coimbra

Um homem está internado no Hospital Geral (Covões) do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra com o vírus da legionella, disse à agência Lusa fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). Segundo a mesma …

O fim do corte no subsídio de desemprego é meu!

Esta quarta-feira, foi aprovado o fim do corte de 10% no subsídio de desemprego, mas o que animou o debate foi a discussão entre PCP e Bloco de Esquerda sobre a proposta que deveria ser …

Governo admite que o preço da água pode subir

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, admitiu esta quinta-feira que o preço da água pode vir a subir, mas garante que as tarifas se vão manter no próximo ano, porque "já estão aprovadas". À …

Puigdemont renuncia à pensão de ex-presidente catalão e não aceita destituição

Carles Puigdemont renunciou à pensão a que tem direito como ex-presidente do governo catalão, não aceitando a sua destituição e considerando que ainda dirige o executivo "legitimo" daquela região espanhola. "O Estado continua a ser uma …

Árbitros “adiam” pedido de dispensa por 20 dias

Os árbitros de futebol, assistentes e estagiários decidiram, esta quarta-feira, entregar os pedidos de dispensa, mas dentro do prazo regulamentar de 20 dias, viabilizando assim a realização da próxima jornada. Em comunicado enviado à agência Lusa …

José Sócrates acusa o Ministério Público de manipulação

De novo no Youtube, o ex-primeiro ministro tem usado a plataforma para falar sobre as acusações de que é alvo. No mais recente vídeo, José Sócrates "desvenda" os truques da acusação. O mais recente vídeo de …

Ninguém consegue explicar os 64 misteriosos estrondos que se ouviram no céu este ano

No dia 14 de novembro, um forte estrondo foi ouvido em toda a região norte do estado do Alabama, nos Estados Unidos. Mas, só este ano, já se registaram 64 episódios semelhantes nos EUA, Reino …