A ideia do Holocausto foi de um palestiniano (diz Netanyahu)

World Economic Forum / Flickr

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, alega que o Holocausto contra os Judeus não foi ideia de Adolf Hitler, mas do líder palestino da altura, Haj Amín al Huseini.

Uma declaração que está a causar polémica e que Netanyahu proferiu durante um discurso no 27.º Congresso Sionista, na terça-feira à noite, em Jerusalém.

“Hitler não queria exterminar os judeus naquele momento, Novembro de 1941, queria expulsá-los, disse o governante israelita em declarações divulgadas pelo jornal Haaretz, acrescentando que foi o líder palestino da altura, Haj Amín al Huseini, que convenceu o ditador Nazi a enveredar pelo caminho, após um encontro entre ambos em Berlim.

Haj Amín al Huseini não queria que os judeus se refugiassem na Palestina, argumentou ainda Netanyahu.

Esta tese é corroborada por alguns historiadores, mas há vários que se afastam dela, nomeadamente a historiadora do Museu do Holocausto, Dina Porta, que diz que as alegações de Netanyahu são “factualmente incorrectas”.

O líder da oposição israelita, o trabalhista Isaac Herzog, fala numa “perigosa distorção da História” e até o ministro da Defesa, Moshe Yaalon, aliado de Netanyahu, se demarca desta posição do primeiro-ministro de Israel.

O secretário da Organização para a Libertação da Palestina, Saeb Erekat, diz, por seu turno, que “Netanyahu parece odiar tanto os palestinianos que está disposto a absolver Hitler pela matança de seis milhões de judeus”.

Uma ideia que Netanyahu refuta antes de partir para a Alemanha em visita oficial.

“Não quis dizer que absolvia Hitler da sua responsabilidade, mas sim que o fundador da nação Palestina [Al Huseini] queria destruir os judeus, mesmo antes da existência da ocupação dos territórios”, disse o primeiro-ministro israelita.

O governante, que é filho do historiador Benzion Netanyahu, já tinha dito, em 2012, numa intervenção no Parlamento de Israel, que Al Huseini foi “um dos principais arquitectos” da “solução final” imposta por Hitler.

SV, ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. É a Era da Desinformação!.. Agora só falta os Americanos virem dizer que quem mandou deitar a bomba em Hiroshima foi o Estado Islâmico.

  2. Facto: Amin al-Husayni era nazi, trabalhou sob as ordens de Himmler e era tratado pelas cúpulas do Partido Nacional Socialista por “o Grande Mufti de Jerusalém”.

  3. Este sionista é parvo todos os dias… Agora anda a inventar coisas para atacar os palestinianos… O mundo ainda não percebeu que isto está tudo f0did0 por culpa dos sionistas e que o mesmo mundo só terá paz quando esta raça for “reeducada em campos próprios” para o efeito ???
    A terceira guerra mundial e o fim disto tudo, terá origem nos sionistas !!!

  4. Na realidade o “Grande Mufti de Jerusalém” na altura da 2ª Grande Guerra era um nazi convicto e foi recebido por Hitler com honras de Chefe de Estado. Icentivou inclusive a adesão de muitos muçulmanos, principalmente na Albânia e na Europa de Leste ás SS nazis, que tiveram participação activa no massacre de prisioneiros soviéticos, judeus, ciganos, etc. Dizer no entanto que ele foi o ideólogo da solução final, apesar de concordar com ela, é uma “inverdade” histórica, sem possuir argumentação séria ou factos que o comprovem.

RESPONDER

Franceses não dão tréguas. Greves podem durar até ao Natal

As mobilizações em França contra a reforma dos sistema de pensões, que paralisam vários setores mas sobretudo os transportes públicos, entraram no seu nono dia esta sexta-feira e podem continuar até ao Natal. Os sindicatos de …

Treinadores portugueses dominam provas europeias. Vão 9 a sorteio

Nove treinadores portugueses vão continuar das provas europeias, que incluem a Liga Europa e a Liga dos Campeões. Ao todo, seguem nas competições 48 clubes, que vão ver o seu futuro decidido no sorteio da …

Aumentos da Função Pública. Frente Comum abandona negociações com o Governo (e já pensa em formas de luta)

A Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública abandonou as negociações com o Governo sobre as medidas a incluir no próximo Orçamento do Estado, indignada com os aumentos salariais de 0,3% propostos pelo Executivo. Segundo relatou …

Alphonso Davies. De refugiado no Gana a um dos maiores prodígios da Baviera

Alphonso Davies é um dos maiores talentos do futebol mundial na atualidade. O jogador nasceu num campo de refugiados no Gana e brilha agora nos relvados de Munique. Nascido já no novo milénio, Alphonso Davies é …

Bruxelas deverá aceitar redução do IVA da luz por escalões de consumo

A intenção do Governo de aplicar uma redução do IVA da eletricidade por escalões de consumo deverá ter o aval da Comissão Europeia. A notícia é avançado pelo Jornal de Negócios, que recorda que, em abril, …

Diretora da RTP boicotou investigação do "Sexta às 9" a instituto onde deu aulas

A diretora da RTP Maria Flor Pedroso confessou ter informado a diretora de uma instituição de ensino sobre uma investigação que estava a ser feita pela equipa do programa "Sexta às 9". Há uma nova polémica …

Bruno Lage renova com o Benfica até 2024

O treinador do Benfica, Bruno Lage, renovou o contrato até 2024, anunciou hoje o clube campeão português de futebol, no seu site oficial. Bruno Lage, de 43 anos, assumiu o comando da equipa principal do Benfica …

Autonomia para a contratação nos hospitais continua a depender de Centeno

Os hospitais já não precisam de autorização do Ministério das Finanças para substituir os profissionais de saúde. Porém, se quiserem ter total autonomia, continuam a precisar da aprovação do ministério tutelado por Mário Centeno. Na quarta-feira, …

Portugal garante duas entradas diretas na Champions de 2021/22

Portugal assegurou esta quinta-feira que vai terminar a época 2019/20 no 'top 6' do ranking de clubes de UEFA, garantindo duas entradas diretas, mais uma equipa na terceira pré-eliminatória, na Liga dos Campeões de futebol …

EDP processa Estado e reclama 717 milhões de euros

A EDP está a processar o Estado português, exigindo uma compensação de 717 milhões de euros devido ao antigo fundo de hidraulicidade. O Governo recusa essa hipótese. A EDP avançou com um processo contra o Estado …