A heroína que nadou para fugir da Síria, nada agora nos Jogos Olímpicos

Lavandeira jr / EPA

A nadadora síria Yusra Mardini, em competição nos Jogos Olímpicos Rio 2016

A nadadora síria Yusra Mardini, em competição nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Em agosto do ano passado, Yusra Mardini, de 18 anos, estava num barco com a irmã e outras 18 pessoas. Fugiam da guerra na Síria, que já lhes tinha destruído as casas e matado amigos e familiares.

A casa da família de Yusra Mardini foi destruída durante a Guerra Civil Síria. Yusra e a irmã, Sara, decidiram fugir do país em agosto de 2015.

Chegaram ao Líbano e atravessaram a Turquia, onde arranjaram um meio de chegar à Grécia: num bote com outros 18 refugiados.

Quando faziam a travessia entre a Turquia e a ilha grega de Lesbos, o motor do barco parou.

Dos 20 passageiuros, apenas quatro sabiam nadar. Um deles era Yusra Mardini.

Perante este problema, a adolescente não hesitou e saltou para a água, juntamente com a irmã, Sara, e outras duas pessoas.

Em conjunto, nadaram durante mais de três horas e levaram o barco até terra firme.

“Eu tinha a mão numa corda, que estava presa ao barco, e movia as duas pernas e um braço”, conta Yusra Mardini ao The Independent, “foram três horas e meia na água fria“.

“O teu corpo fica quase… Exausto. Não sei se consigo descrever isso”, explica a jovem nadadora.

Depois de sobreviverem até à Grécia, a jovem e a irmã atravessaram grande parte da Europa para chegar à Alemanha.

Estabeleceram-se no país, e foi no próprio centro de treinos de Wasserfreunde Spandau 04, em Berlim, que a refugiada continuou a treinar natação.

Em março, a história de sobrevivência de Yusra Mardini tornou-se pública e o Comité Olímpico Internacional identificou-a como candidata a competir pela equipa de refugiados nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

andymiah / Flickr

Yusra Mardini e Rami Anis, dois dos atletas refugiados que competem nos Jogos Olímpicos 2016 sob a bandeira do

Yusra Mardini e Rami Anis, dois dos atletas refugiados que competem nos Jogos Olímpicos 2016 sob a bandeira do COI

Em 2012, Mardini representou a Síria no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta em várias modalidades. Em 2016, compete sob a bandeira dos cinco anéis do Comité Olímpico Internacional.

Mardini vai participar nas provas de 100m livres e 100 metros mariposa. Estreia-se na quarta-feira, 10, às 17 horas, na primeira eliminatória dos 100m livres femininos.

ZAP / Bom Dia

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Boa sorte Yursda Mardini! Persegue o teu sonho! Nuns jogos tão conturbados, há que louvar a atitude do C.O.I.!!!

    PS: ao ZAP notícias, p.f. tenham atenção ao redigir as notícias e ao usarem “matado, salvado”… é “morto, salvo”. Bom trabalho para vocês.

    • Cara Mª João,
      Obrigado pelo seu reparo.
      Na realidade, depende. É “ser morto”, e “ter matado”.
      Neste caso, “a guerra na Síria, que já lhes tinha (…) matado amigos”

RESPONDER

Cientistas criam massa que muda de formato assim que entra em contacto com a água

Da penne à fusilli: as pessoas adoram massas pelos seus formatos. Agora, uma equipa de cientistas liderada pelo Morphing Matter Lab da Carnegie Mellon University está a desenvolver massas planas que se transformam em formas …

Australiana fez uma cirurgia para remover as amígdalas (e acordou com um sotaque irlandês)

No dia 19 de abril, Angie Mcyen foi submetida a uma cirurgia para remover as amígdalas, um procedimento bastante simples que demorou apenas meia hora. Uns dias depois, acordou e apercebeu-se de que tinha um …

“Foi o crime do século“. Museu Britânico mostra o impacto do assassinato de Thomas Becket na Europa

Thomas Becket foi abatido dentro da Catedral de Cantuária por cavaleiros da comitiva do rei Henrique II. O assassinato, em 1170, causou ondas de choque em toda a Inglaterra. Agora, o religioso será recordado através …

Na Índia, ser-se rico ou pobre pode fazer a diferença no acesso à vacina

A Índia enfrenta uma grave escassez de vacinas contra a covid-19. Até ao momento, só 2,5% da população recebeu ambas as doses, enquanto 10% recebeu uma. Na Índia, as pessoas que vivem em cidades com fácil …

Ilha italiana torna-se "covid-free" e mostra-se pronta para receber turistas de todo o mundo

Numa altura em que vários países da Europa já começam a planear a abertura ao turismo de forma intensiva, há regiões que mostram já estar um passo à frente. É o caso da ilha de …

Política chinesa torna uigures reféns nas suas próprias casas

A China introduziu, em 2016, uma política de parentesco para promover a harmonia nacional e a unidade étnica, levando a que desde então mais de 1,1 milhões de funcionários do Estado ocupassem periodicamente as casas …

O palco de um dos maiores contos britânicos de sempre vai transformar-se num hostel

A Irlanda aprovou uma proposta para converter num hostel um dos pontos de referência de James Joyce mais icónicos de Dublin. O irlandês James Joyce é um dos maiores escritores da literatura britânica, sendo autor de …

Liz Cheney é a cara da oposição ao "trumpismo" no Partido Republicano

Esta quarta-feira, e depois de ter criticado o antigo Presidente dos Estados Unidos, a congressista Liz Cheney foi afastada de um cargo de liderança no Partido Republicano. Na noite desta terça-feira, e pouco antes de …

SC Braga punido com dois jogos à porta fechada por falta de habilitações de Custódio

O Sporting de Braga foi punido com dois jogos de interdição do seu estádio, após queixa da Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF), devido à falta de habilitações de Custódio, anunciou o Conselho de …

Marinha dos EUA faz apreensão de armas ilícitas no Mar da Arábia

A Marinha dos Estados Unidos apreendeu um carregamento ilícito de armas no Mar da Arábia, anunciou a Quinta Frota da Marinha americana. A apreensão do arsenal foi feita pelo navio USS Monterey na passada quinta-feira, dia …