A heroína que nadou para fugir da Síria, nada agora nos Jogos Olímpicos

Lavandeira jr / EPA

A nadadora síria Yusra Mardini, em competição nos Jogos Olímpicos Rio 2016

A nadadora síria Yusra Mardini, em competição nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Em agosto do ano passado, Yusra Mardini, de 18 anos, estava num barco com a irmã e outras 18 pessoas. Fugiam da guerra na Síria, que já lhes tinha destruído as casas e matado amigos e familiares.

A casa da família de Yusra Mardini foi destruída durante a Guerra Civil Síria. Yusra e a irmã, Sara, decidiram fugir do país em agosto de 2015.

Chegaram ao Líbano e atravessaram a Turquia, onde arranjaram um meio de chegar à Grécia: num bote com outros 18 refugiados.

Quando faziam a travessia entre a Turquia e a ilha grega de Lesbos, o motor do barco parou.

Dos 20 passageiuros, apenas quatro sabiam nadar. Um deles era Yusra Mardini.

Perante este problema, a adolescente não hesitou e saltou para a água, juntamente com a irmã, Sara, e outras duas pessoas.

Em conjunto, nadaram durante mais de três horas e levaram o barco até terra firme.

“Eu tinha a mão numa corda, que estava presa ao barco, e movia as duas pernas e um braço”, conta Yusra Mardini ao The Independent, “foram três horas e meia na água fria“.

“O teu corpo fica quase… Exausto. Não sei se consigo descrever isso”, explica a jovem nadadora.

Depois de sobreviverem até à Grécia, a jovem e a irmã atravessaram grande parte da Europa para chegar à Alemanha.

Estabeleceram-se no país, e foi no próprio centro de treinos de Wasserfreunde Spandau 04, em Berlim, que a refugiada continuou a treinar natação.

Em março, a história de sobrevivência de Yusra Mardini tornou-se pública e o Comité Olímpico Internacional identificou-a como candidata a competir pela equipa de refugiados nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

andymiah / Flickr

Yusra Mardini e Rami Anis, dois dos atletas refugiados que competem nos Jogos Olímpicos 2016 sob a bandeira do

Yusra Mardini e Rami Anis, dois dos atletas refugiados que competem nos Jogos Olímpicos 2016 sob a bandeira do COI

Em 2012, Mardini representou a Síria no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta em várias modalidades. Em 2016, compete sob a bandeira dos cinco anéis do Comité Olímpico Internacional.

Mardini vai participar nas provas de 100m livres e 100 metros mariposa. Estreia-se na quarta-feira, 10, às 17 horas, na primeira eliminatória dos 100m livres femininos.

ZAP / Bom Dia

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Boa sorte Yursda Mardini! Persegue o teu sonho! Nuns jogos tão conturbados, há que louvar a atitude do C.O.I.!!!

    PS: ao ZAP notícias, p.f. tenham atenção ao redigir as notícias e ao usarem “matado, salvado”… é “morto, salvo”. Bom trabalho para vocês.

    • Cara Mª João,
      Obrigado pelo seu reparo.
      Na realidade, depende. É “ser morto”, e “ter matado”.
      Neste caso, “a guerra na Síria, que já lhes tinha (…) matado amigos”

RESPONDER

Guitarrista dos Queen teve um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte

Brian May, guitarrista dos Queen, sofreu um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte, anunciou o próprio músico, de 72 anos. May partilhou um vídeo no Instagram no qual conta todo o episódio. Tudo …

"Missão Tianwen". China planeia lançar sonda para Marte em julho

A China planeia lançar uma sonda e um pequeno robô de controlo remoto para Marte, em julho, na sua primeira missão ao Planeta Vermelho, anunciou esta segunda-feira a agência responsável pelo projeto. "O nosso objetivo era …

Bairros de lata são incubadoras de covid-19, mas ninguém ajuda os milhões que lá vivem

Bairros de lata, como as favelas, são consideradas incubadores de covid-19. No entanto, pouca atenção lhes tem sido dada na resposta à pandemia. Tendo devastado algumas das cidades mais ricas do mundo, a pandemia do novo …

Morreu Saturn, o jacaré que sobreviveu a um bombardeamento da II Guerra (e que se diz que pertenceu a Hitler)

Saturn, um jacaré norte-americano de 84 anos, morreu esta sexta-feira no jardim zoológico de Moscovo, na Rússia, anunciou a instituição na sua conta de Facebook, dando conta que o animal morreu de velhice. O réptil …

Antiviral Remdesivir pode ser eficaz no combate à covid-19

O antiviral Remdesivir é eficaz contra a covid-19 caso seja administrado antes dos pacientes necessitarem de ventilação mecânica, indica um ensaio internacional com este medicamento, coordenado pelo Hospital Can Ruti, em Badalona, Barcelona, Espanha. Segundo um …

Há uma misteriosa ilha em Nova Iorque que quase ninguém pode visitar (e está abandonada)

A menos de 1,6 quilómetros de Manhattan, em Nova Iorque, localiza-se uma misteriosa ilha abandonada há mais de meio século. É preciso ter autorização do New York City Department of Parks and Recreation para visitar …

Israel não vai desperdiçar "oportunidade histórica" para anexar a Cisjordânia

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu voltou a defender hoje a anexação de partes da Cisjordânia nos próximos meses e em prosseguir este polémico plano, apesar do crescente coro de condenações de diversos aliados. Os palestinianos, e …

Zlatan Ibrahimovic lesiona-se e deixa carreira em risco

No treino com vista ao regresso da Liga italiana, Zlatan saiu a coxear do centro de treinos, com os milaneses a explicarem que exames vão determinar se se trata de lesão no gémeo ou tendão …

Há uma orquestra presa num palácio da Alemanha há 75 dias

Um grupo de músicos bolivianos, que pertencem à Orquestra Experimental de Instrumentos Nativos, está confinado no Palácio Rheinsberg, na Alemanha, há cerca de 75 dias devido à pandemia de covid-19. No início de março, os membros da …

Bolsonaro diz ter imagem negativa no exterior porque a imprensa "é de esquerda"

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse hoje que a sua imagem no exterior é negativa porque a imprensa mundial é de esquerda, enquanto falava com apoiantes junto ao Palácio da Alvorada, em Brasília. "A imprensa …