90% dos idosos preferem ficar a viver em casa

(dr) Stannah

-

90% das pessoas com mais de 65 anos querem ficar na sua própria casa, por tanto tempo quanto possível – mesmo que, por razões de segurança, tenham que efetuar estruturais alterações na residência.

Quando compramos uma casa, por vezes, não nos lembramos de que com o passar dos anos esta poderá não estar devidamente adaptada para envelhecermos de forma segura e independente.

Há dez ou 15 anos atrás, comprar o duplex dos seus sonhos parecia-lhe uma grande ideia, não era?

Infelizmente, a maior parte das casas não foram construídas a pensar nas exigências de mobilidade que vão crescendo à medida que a nossa idade aumenta.

A par desta situação, diversos estudos de entidades como a Organização Mundial da Saúde comprovam que é no conforto do nosso lar que os acidentes graves acontecem, sendo as pessoas com mais de 65 anos as mais afetadas.

Estes estudos dão especial destaque às quedas nas escadas, que são a principal causa de morte nos idosos em acidentes que acontecem em casa.

No entanto, cair das escadas não é um resultado inevitável do envelhecimento. Adotar algumas das melhores práticas de prevenção de quedas permite diminuir dramaticamente este tipo de acidentes.

De acordo com um estudo realizado pela National Conference of State Legistatures em conjunto com a AARP, cerca de 90% das pessoas com mais de 65 anos desejam ficar na sua própria casa, por tanto tempo quanto possível, e 80% acredita que a sua residência atual é onde vão viver para sempre.

Do total dos inquiridos que admitiram já ter efetuado alterações nas suas casas com o objetivo de envelhecer no conforto do seu lar, 70% assumiram que o fizeram por razões de segurança e 60% afirmaram que queriam aumentar a sua capacidade de viver de forma independente.

Um elevador de escadas é muitas vezes a solução ideal para reclamar a mobilidade em casa

Um elevador de escadas é muitas vezes a solução ideal para recuperar a mobilidade em casa

Das diversas adaptações efetuadas para aumentar a segurança e a capacidade de viver de forma independente em casa, destaca-se a preocupação com o risco de queda nas escadas de casa, situação que leva a maior parte dos idosos a viverem inseguros e a dependerem de terceiros para conseguirem ter uma vida ativa.

Recupere o segundo andar da sua casa

Se pertence ao grupo de pessoas que preferem envelhecer em casa, mas para quem as escadas que há 15 anos atrás lhe pareciam “um problema menor” são agora um obstáculo, não desespere e pense duas vezes antes de mudar de casa.

A Stannah, empresa especialista em soluções de mobilidade para idosos, enumerou alguns cuidados simples a ter para prevenir a queda nas escadas da sua casa.

  • Suba e desça as escadas sempre com a luz acesa: certifique-se de que as escadas da sua casa estão iluminadas quando pretende utilizá-las. Objetos espalhados pelas escadas são mais fáceis de serem vistos quando existe uma boa iluminação.
  • Prefira corrimões fortes: um corrimão pode ajudá-lo a manter o equilíbrio enquanto sobe ou desce as escadas da sua casa, mas certifique-se que este equipamento é suficientemente resistente.
  • Utilize calçado apropriado: normalmente, preferimos andar descalços ou de chinelos quando estamos em casa, mas esta pode não ser uma boa solução especialmente quando as nossas escadas de casa são de madeira lisa. Sugerimos que calce uns sapatos quando pretender subir ou descer as escadas da sua residência.
  • Antes de subir, analise com atenção as suas escadas: principalmente se é frequente ter crianças em casa. Por vezes, os netos deixam objetos espalhados pelas escadas como brinquedos e nunca é demais verificar se as suas escadas estão desimpedidas deste tipo de obstáculos antes de subi-las ou desce-las.
  • Escolha um elevador de escadas de qualidade: poderá tomar várias precauções para evitar a queda nas escadas, mas a obtenção de um elevador de escadas é muitas vezes a melhor opção e, sem dúvida, a mais segura. Os elevadores de escadas praticamente eliminam o risco de queda nas escadas e este equipamento está munido de vários sistemas de segurança, desde sensores de paragem automática para evitar a colisão com algum obstáculo nas escadas, cinto de segurança ou a rotação automática da cadeira no topo das escadas.

Apesar de a Stannah considerar que um elevador de escadas é a solução mais segura quando se trata de reduzir o risco de queda nas escadas, poderá combinar algumas das sugestões acima com a instalação de um destes equipamentos.

Afinal, ter as escadas iluminadas e sem obstruções é sempre uma boa prática, mesmo com um elevador de escadas instalado – e como diz o ditado, “mais vale prevenir que remediar”.

AEIOU / Stannah

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …