Há 300 mil pessoas em risco de morte devido à fome, diz Guaidó

Leonardo Munoz / EPA

Juan Guaidó afirmou, durante uma conferência de imprensa em Brasília, no Brasil, que a Venezuela tem 300 mil pessoas em risco de morte devido à fome.

O líder do parlamento e autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, disse esta quinta-feira, em conferência de imprensa em Brasília, que a Venezuela tem 300 mil pessoas em risco de morte. Além disso, acrescentou que esses venezuelanos não puderam contar com a entrega da ajuda humanitária internacional ao país.

Juan Guaidó, que falava numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, afirmou que Nicolás Maduro continua intransigente em relação a qualquer negociação que leve à paz no país.

“Estamos a tentar negociar há cinco anos. Eleições livres são uma exigência do povo venezuelano. Não pode haver presos políticos. Temos quatro milhões de venezuelanos no exterior que não podem votar. Não há uma auditoria do processo”, afirmou.

Outro dos problemas que a Venezuela atravessa, segundo Guaidó, é a utilização de território venezuelano para a construção de passagens que facilitam o narcotráfico por parte da guerrilha colombiana Exército de Libertação Nacional (ELN): “A participação do Brasil será importante. Há muitas informações que podemos partilhar na luta anticorrupção”, declarou.

O líder da oposição venezuelana agradeceu também a ajuda do país vizinho e declarou perante Jair Bolsonaro que o Brasil vai poder contar com uma “Venezuela próspera”, de forma a recuperarem as relações económicas entre os dois países. Por sua vez, o chefe de Estado brasileiro assegurou que não poupará “esforços” para restabelecer a democracia na Venezuela.

“Nós não pouparemos esforços dentro, obviamente, da legalidade, da nossa Constituição e das nossas tradições, para que a democracia seja restabelecida na Venezuela. E todos nós sabemos que isso será possível através, não apenas de eleições, mas de eleições limpas e confiáveis”, afirmou o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro. Guaidó, 35 anos, contou de imediato com o apoio dos Estados Unidos e prometeu formar um governo de transição e organizar eleições livres.

Nicolás Maduro, 56 anos, no poder desde 2013, recusou o desafio de Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento como uma tentativa de golpe de Estado liderada pelos Estados Unidos.

A maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, reconheceram Guaidó como Presidente interino encarregado de organizar eleições livres e transparentes, tal como o Brasil.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estado de saúde de Michael Schumacher é um mistério, mas estará "muito alterado e deteriorado"

Seis anos depois do trágico acidente que o deixou em coma, pouco se sabe sobre a condição de Michael Schumacher. A lenda da Fórmula 1, de 51 anos, já saiu do coma e estará consciente, …

"Não é altura para pessimismo, mas sim para o otimismo", afirma Trump em Davos

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, apelou esta terça-feira em Davos, na Suíça, ao otimismo contra os profetas do apocalipse e exultou os outros países a seguirem o "modelo americano" que a sua …

JPMorgan Chase prepara mudança para Paris após o Brexit

O banco norte-americano JPMorgan Chase anunciou no domingo que comprou um novo edifício no centro de Paris capaz de disponibilizar 450 postos de trabalho, o mais recente passo nos seus planos para sair de Londres …

Benfica contrata Samuel Pedro ao Boavista

O extremo, que se estreou esta temporada pelos seniores do Boavista, assinou contrato com o Benfica, anunciou o clube encarnado, esta segunda-feira, no seu site oficial. Samuel Pedro, de 18 anos, fez a sua estreia na I …

Prendas aos deputados acima de 150 euros serão divulgadas na Internet

PS, PSD e Bloco aprovaram, esta terça-feira, em votação final na Comissão Parlamentar de Transparência, o conjunto de critérios orientadores em matéria de ofertas e hospitalidade de deputados, diploma que teve a oposição do PAN. Estes …

Metro do Porto compra 18 novos veículos e assegura mais 60 mil lugares por dia

A Metro do Porto assinou esta terça-feira o contrato para a aquisição, por 49,6 milhões de euros, de 18 composições à empresa chinesa CRC Tangsthan que permitirão disponibilizar mais 60 mil lugares diários, estima a …

Catarina Martins diz que Carlos Costa "não tem condições" para ser governador

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, disparou contra aqueles que considera serem "cúmplices" do "assalto ao povo angolano". Tanto a Justiça como o Governo português têm de agir, considera o Bloco de Esquerda, na sequência …

Pedro Sánchez vai reunir-se com líder do governo regional catalão

O primeiro-ministro espanhol e líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, anunciou na segunda-feira que se reunirá com o líder do governo regional da Catalunha, Quim Torra, no início de fevereiro. Em entrevista à televisão …

Governo confirma que nunca avaliou impacto dos vistos gold. Só 5% foram recusados

O Ministério da Administração Interna (MAI) confirmou que não foram realizadas avaliações ao impacto dos vistos gold e que não cabe ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) controlar as origens do capital investido em …

Conselho de Finanças Públicas alerta para "risco de desvio significativo" no ritmo de ajustamento estrutural

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) alerta para um "risco de desvio significativo" do ritmo de ajustamento estrutural da economia portuguesa em 2020, avisando que a evolução programada da despesa no OE2020 "não cumpre o …